Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA): agricultura e sustentabilidade sociambiental

Autores

  • Alessandro Medeiros Pedro Universidade Federal de Alfenas
  • Carmino Hayashi Universidade Federal de Alfenas

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2024.v9.15577

Palavras-chave:

Equilíbrio Ambiental, Direitos e Deveres, Ações Antrópicas, Capitalismo

Resumo

É pretendido, neste estudo, abordar a importância da sustentabilidade ambiental, que surge da colaboração entre o Poder Público e a sociedade para proteger e preservar a natureza, visando um ambiente ecologicamente equilibrado para as atuais e futuras gerações. Essa sustentabilidade é estabelecida por meio de políticas públicas que consideram o aspecto ambiental, principalmente ao promover a Educação Ambiental em todos os níveis de ensino. Destaca os desafios da atualidade, em que a exploração gradual dos recursos naturais para o desenvolvimento econômico tem impactado o ambiente. O presente estudo tem como objetivo realizar uma abordagem qualitativa, por meio de levantamento bibliográfico com estudo exploratório através do Portal de Periódicos CAPES, Web Of Science e Google Scholar. Com recorte temporal dos últimos dez anos (2012-2022).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmino Hayashi, Universidade Federal de Alfenas

Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA)

Referências

ANDRADE, C. B.; TIBÚRZIO, V. L. B. Teatro de fantoches como estratégia pedagógica para Educação Ambiental no ensino fundamental. Revista Triângulo, v. 15, n. 2, p. 171-186, 2022.

ASANO, J. G. P.; POLETTO, R. S. Educação Ambiental: em busca de uma sociedade sustentável, e os desafios enfrentados nas escolas. Revista Caderno Pedagógico, v. 14, n. 1, p. 92-102, 2017.

BARRETO, L. M.; VILAÇA, M. T. M. Controvérsias e consensos em Educação Ambiental e educação para o desenvolvimento sustentável. Research, Society and Development, v. 7, n. 5, p. e975167-e975167, 2018.

BOMFIM, A. M. AGRONEGÓCIO ACIMA DE TUDO, AGRONEGÓCIO ACIMA DE TODOS: DESCONSTRUINDO A EDUCAÇÃO HEGEMÔNICA MIDIÁTICA. Revista Trabalho Necessário, v. 20, n. 43, p. 01-17, 2022.

BORGHI, T. C.; LOBO, L. L.; TONELLO, K.T. Sustentabilidade rural com a implantação de sistemas agroflorestais: incorporação como rotina pós-projeto. In: HAYASHI, C. et al. (Org). Ciências Ambientais: Gestão e Educação Ambiental. 1. ed., Ribeirão Preto, SP, 2020.

BRASIL. 1988. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> Acesso em: 17 ago. 2023.

BRASIL. 1999. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental, Brasília. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em 17 ago. 2023.

CRUZ, C. A.; MELO, N. B. I.; MARQUES, M. C. S. A Educação Ambiental Brasileira: História e adjetivações. Revista Brasileira de Educação Ambiental. São Paulo, v. 11, n. 1, p. 183-195, 2016.

DAMASCENO, T. N. F.; MEIRELES, A. J. A.; DELABRIDA, Z. N. C. Discussões acerca da relação humano-natureza no contexto das mudanças socioambientais e da sustentabilidade. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.8, n.5, p. 35375-35399, 2022.

DA SILVA, E. R. A. Agroecologia como ferramenta para a Educação Ambiental. Tese de Doutorado. Universidade Federal Rural da Amazônia. Editora Científica Digital, v. 2, 2022. Disponível em: <https://downloads.editoracientifica.com.br/articles/220910368.pdf> Acesso em: 17 agos. 2023.

DE PAULA, L. A. C.; BRISOLA, E. M. A.; RODRIGUES, A. M. Desenvolvimento e economia solidária: uma reflexão necessária. Revista Grifos, v. 32, n. 58, p. 01-24, 2023.

FERNANDES, I. M. B.; PIRES, D. M.; DELGADO, J. I. Ciência-tecnologia-sociedade-ambiente nos documentos curriculares portugueses de ciências. Cadernos de pesquisa, v. 47, n. 165, p. 998-1015, 2017.

GARCIA, N. D. Licitação sustentável: o papel da administração pública na garantia da sustentabilidade do meio ambiente. In: HAYASHI, C. et al. (Org). Ciências Ambientais: Gestão e Educação Ambiental. 1. ed., Ribeirão Preto, SP, 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed., São Paulo: Atlas S.A. 2008.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades@. Informações completas. 2019. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101770.pdf> Acessado em: 17 ago. 2023.

IMPERADOR, A. M.; BOTEZELLI, L.; RIONDET-COSTA, D. R. T. As comunidades tradicionais, o direito ambiental, o uso de recursos naturais e a Educação Ambiental em um contexto de impacto ambiental. In: HAYASHI, C. et al. (Org). Ciências Ambientais: Gestão e Educação Ambiental. 1. ed., Ribeirão Preto, SP, 2020.

JACOBI, P. Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n.118, p. 189–206, 2005.

LOUREIRO, C. F. B. Educação Ambiental Transformadora. In: Layrargues, P. P. (Coord.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

MATIAS, T. P. et al. Educação Ambiental e Avaliação Ambiental Estratégica na Gestão Ambiental: desafios e oportunidades no Antropoceno. Educação Ambiental (Brasil), v. 3, n. 1, 2022.

MELO, M. L. G. F.; MIRANDA, M. J. A.; LIMA, M. E. N. Concepções e práticas de Educação Ambiental. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 9, p. 15495-15509, 2019.

NANNINI, W. T.; CASIMIRO, F. H. C. Cooperativismo e territorialização do agronegócio do café no sul de Minas Gerais. PEGADA - A Revista da Geografia do Trabalho, v. 24, n. 1, 2023.

OGAWA, E. A.; NARDES, A. M. M. Um olhar fenomenológico do assentamento São José Operário/Pedra Preta-MT sobre o uso de agrotóxicos. Scientific Electronic Archives, v. 16, n. 1, 2023.

OLIVEIRA, H. F. F. et al. Educação Ambiental no ensino superior: uma análise do currículo do curso de pedagogia em uma Universidade Federal de Minas Gerais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 17, n. 5, p. 23-32, 2022.

ONUBR (Brasil). Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Brasília: ONU Brasil, 2015.

RABELO, J. P. M.; HAYASHI, C. Educação Ambiental: aspectos gerais e inserção nos diferentes níveis de ensino. In: HAYASHI, C. et al. (Org). Ciências Ambientais: Gestão e Educação Ambiental. 1. ed., Ribeirão Preto, SP, 2020.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental. Coleção primeiros passos, São Paulo: Brasiliense, 2012.

REIS, F. A. G. V. et al. Contextualização dos cursos superiores de meio ambiente no Brasil: engenharia ambiental, engenharia sanitária, ecologia, tecnólogos e sequenciais. Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia, [s.l.], v. 2, n. 1, p. 05-34, 2005.

REIS, L. N. G.; MARTINS, M. T.; ROSA, D. A. Educação Ambiental frente à reforma do Ensino Médio no Brasil. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 13, n. 2, 2017.

RIOS, M.; MEIRA, J. F. P.; BARROS, R. F. M. O (des) caminho ambiental: O agronegócio e a mudança necessária para a eficácia do Direito Ambiental. Juris Poiesis, v. 25, n. 37, p. 200-220, 2022.

RODRIGUES, J.M.M. SILVA, E.V. Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: problemática, tendências e desafios. 5.ed., Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2017.

ROHRICH, S. S.; TAKAHASHI, A. R. W. Environmental sustainability in Higher Education Institutions, a bibliometric study on national publications. Gestão & Produção, v. 26, n. 2, 2019.

SAUVÉ, L. Viver juntos em nossa Terra: Desafios contemporâneos da Educação Ambiental. Revista Contrapontos, v. 16, n. 2, p. 288-299, 2016.

SELLTIZ, C.; WRIGHTSMAN, L. S.; COOK, S. W. Métodos de pesquisa das relações sociais. São Paulo: Herder, 1965.

SILVA, B. M. da.; SILVA, R. A.; FRÓES, M. A. Novas percepções conquistadas por alunos do ensino integral da escola Felipe dos Santos no município de inconfidentes - MG sobre alguns artrópodes por meio da Educação Ambiental. Revista Insignare Scientia. v. 2, n. 1, p. 91-103, 2019.

SOUZA, O. V. Educação Ambiental na efetivação de práticas ecológicas: Um estudo de caso sobre práticas ecológicas e coleta seletiva na Universidade Estadual da Paraíba. Revista Brasileira de Educação Ambiental. São Paulo, v. 9, n. 2: 364 -375, 2014.

SOUZA, V. M. Para o mercado ou para a cidadania? A Educação Ambiental nas instituições públicas de ensino superior no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro-RJ, v. 21, n. 64, 2016.

TRAVALHA, C. C. X. Complexidade, Prática Social e Saberes. In: PAES, S. R. et al. (Org.) Saberes silenciados. UFVJM: Diamantina, 2016.

VASCONCELOS, E. R.; FREITAS, N. M. S. O paradigma da sustentabilidade e a abordagem CTS: mediações para o ensino de ciências. Amazônia. Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, v. 9, n. 17, p. 89-108, 2012.

UHDE, E. M. et al. Práticas de Educação Ambiental em uma Escola de Campo. Revista Brasileira de Educação Ambiental. São Paulo, v. 16, n. 1, p. 114-129, 2021.

WU, Y. J.; SHEN, J. Higher education for sustainable development: a systematic review. International Journal Of Sustainability In Higher Education, v. 17, n. 5, p.633-651, 2016.

Downloads

Publicado

01-04-2024

Como Citar

Pedro, A. M., & Hayashi, C. (2024). Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA): agricultura e sustentabilidade sociambiental. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 19(2), 85–97. https://doi.org/10.34024/revbea.2024.v9.15577

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2023-08-28
Aceito: 2024-01-24
Publicado: 2024-04-01