Educação Ambiental: estudo da percepção ambiental na comunidade ribeirinha na proximidade dos rios Munim e Iguará (MA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14781

Palavras-chave:

Rio; Riberinhos; Percepção, Ambiental.

Resumo

O município de Nina Rodrigues é o berço da Revolta da Balaiada, devido seu relevo estar situado entre morros e as margens dos rios Iguará e Munim, com confluência praticamente no centro da cidade, fazendo com que mesmo virassem rotas de fugas e esconderijos na famosa revolta. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a percepção ambiental na comunidade ribeirinha na proximidade dos rios Munim e Iguará no município de Nina Rodrigues no Maranhão. Para a realização da educação ambiental aplicou-se um questionário a essa comunidade a fim de verificar a percepção do ambiente. Os resultados encontrados mostraram que o lançamento de lixo e as queimadas, bem como as retiradas de areia do rio compreendem os principais impactos existentes na região. Diante disso, a Educação Ambiental (EA) mostrou-se de suma importância na contribuição do conhecimento e para intensificar a fiscalização e as ações voltadas para a preservação e recuperação das áreas degradadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Henrique Ramos Braga, Universidade CEUMA

Possui graduação em Direito - UFMA - Universidade Federal do Maranhão (1992) e é mestrando do curso de Meio Ambiente pela Universidade CEUMA. Atualmente é diretor de Ação Social da Universidade Ceuma. Foi Deputado Estadual por três mandatos. Entre Prêmios, Honrarias e títulos, recebeu as Medalhas do Mérito Militar Centenária Governador Luís Domingues do Gabinete Militar do Maranhão, dos 200 anos do Tribunal de Justiça do Maranhão, da Ordem do Mérito Militar Medalha Brigadeiro Falcão da Polícia Militar do Maranhão, Título de cidadão das cidades de Nina Rodrigues, São Benedito do Rio Preto e Itapecuru Mirim. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Administrativo, atuando principalmente nos seguintes temas: bacanga, município, nina rodrigues, turismo e água.

Noelle Silva de Sousa, Universidade CEUMA

Mestranda em Saúde e Meio Ambiente pelo Programa de Pós Graduação em Meio Ambiente da Universidade Ceuma (PPMA). Biomédica pela Universidade Ceuma. Integrante do Laboratório de Pesquisa Científica em Microbiologia Ambiental da Universidade Ceuma. Ex Presidente e atual Colaboradora da Liga Acadêmica de Microbiologia da Universidade Ceuma-LAMIC. Voluntária na Fundação Antônio Dino/ Hospital do Câncer Aldenora Bello. Bacharela em Direito pela Universidade Ceuma. Pós Graduada em Direito Público com Formação para o Magistério Superior pela Universidade Anhanguera Uniderp.

Luciano Freato, Universidade CEUMA

Possui graduação em licenciatura plena em história pelo Centro Universitário Central Paulista (2006), graduação em 2ª licenciatura em pedagogia pelo Centro Universitário FIEO (2021) e graduação em Gastronomia pela Universidade Ceuma (2020). Tem experiência na área de História, com ênfase em História, atuando principalmente no seguinte tema: gomes neto orientador.

Anna Regina Lanner de Moura, Universidade CEUMA

Possui Licenciatura em Física pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos-UNISINOS (1974); Mestrado em Educação ? Área de Concentração: Educação Matemática, pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP (1983); Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP (1995); Livre Docência pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP (2015). Professora aposentada da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP. Tem vínculo institucional atual na Universidade CEUMA-UNICEUMA de São Luís do Maranhão. É membro do grupo de pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática desta mesma Universidade. Foi membro fundador e é membro integrante do Grupo Interinstitucional de pesquisa PHALA da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP que pesquisa e orienta na temática Educação, Linguagem e Práticas Culturais, incluindo as práticas escolares. Participa, também, na qualidade de professora colaboradora e orientadora, do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Matemática-PPGECEM, na linha de pesquisa, Formação de professores para a educação em Ciências e Matemática-REAMEC do Instituto de Educação da Universidade Federal do Mato Grosso-UFMT.

Darlan Ferreira da Silva, Universidade CEUMA

Doutor em Química Analítica pela Universidade de São Paulo - IQSC/USP (2016). Mestre em Química Analítica pela Universidade Federal do Maranhão ­ UFMA (2010). Graduado em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual do Maranhão­ - UEMA (2008). Durante o mestrado desenvolveu pesquisa na área de Química Analítica, estudando a contaminação por inseticidas organofosforados em grãos de arroz por meio de técnicas cromatográficas (HS­-SPME­-GC/MS) na Universidade Federal do Maranhão e eletroanalíticas empregando biossensores amperométricos na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (IQ/UNESP). Durante o doutorado adquiriu experiência na área química analítica ambiental, atuando nos seguintes temas: contaminação de solos, poluentes orgânicos persistentes (POPs, PCBs), métodos de extração em fase sólida (SPE, SPME), extração assistida por micro-ondas (MAE), cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC), cromatografia gasosa (GC/­MS), bioerbicidas, otimização de métodos (RSM). Tem experiência no Sistema de Gestão de Laboratório (NBR ISO/IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório) e no Sistema de Gestão Ambiental (NBR ISO 14001). Atualmente, trabalha com análise de fitoativos em resíduos orgânicos; análise de parâmetros físico-químicos de água, solo e sedimento; Processos Oxidativos Avançados (POA) utilizando análise estatística multivariada.

Rita de Cassia Mendonça de Miranda, Universidade CEUMA

Possui graduação em Ciências Biolólogicas pela Faculdade de Frassinetti do Recife (1997) especialização em biotecnologia pela UNIMONTES e mestrado em Biotecnologia de Produtos Bioativos pela Universidade Federal de Pernambuco (2001). Doutora em Biologia de Fungos pela UFPE. Tem experiência na área de microbiologia, com ênfase em Biotecnologia. Atuou no ensino básico no Colégio de Aplicação da UFPE, ministrando ciências e biologia para ensino fundamental e médio, bem como no ensino de graduação e pós graduação onde ministrou as disciplinas de microbiologia básica, microbiologia ambiental e prevenção e controle da poluição atmosférica. Realizou o pós doutoramento como bolsista do programa PNPD na Universidade Federal de Sergipe vinculada ao mestrado de Ciências e Tecnologia de Alimentos, onde atuou na investigação de compostos de aroma em frutos tropicais e produção de pigmentos e compostos de aroma por via biotecnológica, além de ministrar disciplina no programa de Pós Graduação em Ciências e Tecnologia de Alimentos e no Instituto Tecnologia e Pesquisa (ITP), da Universidade Tiradentes desenvolvendo projetos na área de Biotecnologia e Bioprocessos. Atualmente é professora da Universidade Ceuma, vinculada aos programas de mestrado em Meio Ambiente como professora permanente e Biologia Microbiana como professora colaboradora além de atuar nos cursos de graduação em Engenharia Ambiental, Fisioterapia, Nutrição e Biomedicina. Pertence ao quadro de professores permanente do Doutorado em Rede de Biodiversidade e Bioecnologia da Amazônia Legal atuando com pesquisas na área de Biorremediação, Tratamento de Resíduo e Investigação de Compostos Bioativos.

Maria Raimunda Chagas Silva, Universidade CEUMA

Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Federal do Maranhão (1999), Formação pedagógica, Licenciatura em Química pela Instituto de Ensino Superior Franciscano ( 2017), Especialização Educação Ambiental e Recursos Hídrico pela EESC-CRHEA/USP ( (2001) mestrado em Química (Química Analítica) pela Universidade de São Paulo (2002) e doutorado em Química Analítica pelo Instituto de Química de São Carlos (2006).Works Mission- Pós- Doutorado: Projeto Desenvolvido no Departamento de Solo Qualitativo, Wageningen University Holanda (2010).Desenvolve de Projeto de Pesquisa e atualmente consultora ADHOC na FAPEMA e CNPQ e Avaliadora da revista CERES e Revista Ciências Exatas e Naturais e RENEFARA. Atualmente é Professora e Pesquisadora ( Mestrado Meio Ambiente da Universidade Ceuma ) e os Cursos de Engenharia Ambiental e Cívil Produção, Farmácia, Nutrição,Biomedicina. Medicina (linha de pesquisa: gestão ambiental e Politica e Saúde e Meio Ambiente) . Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise de Metais - Traços e Química Ambiental e identificação microbiológicas e parasitas em areia e água na zona costeiras, atuando principalmente nos seguintes temas: Água potável, águas subterrâneas, microbiologia do solo e água , efluente , alimentos, bromatologia, resíduos sólidos e sedimentos, herbicidas , solo, educação ambiental e bacias hidrográficas

Referências

ALMEIDA, De S.N. O papel da Educação Ambiental na formação do Gestor Ambiental: uma análise da experiência do Projeto Sucupira. 2013, 38f. Monografia. Faculdade UnB Planaltina, Universidade de Brasília, 2013.

ANDRADE, D.B.; FERNANDES, M.L.O. Construindo escola sustentável: elaboração e utilização de cartilha como ferramenta de educação ambiental. Revista eletrônica EcoDebate. Jun, 2017.

BRAGA, F.H.R.; DUTRA, M.L.S.; LIMA, N.S.; SILVA, G.M.; MIRANDA, R.C.M.; FIRMO, W.C.A.; MOURA, A.R.L.; MONTEIRO, A.S.; SILVA, L.C.N.; SILVA, D.F.; et al. Study of the Influence of Physicochemical Parameters on the Water Quality Index (WQI) in the Maranhão Amazon, Brazil. Water, 14 2022, 1546.

CABRAL, H. M.; DA SILVA, M. A. A percepção ambiental da população ribeirinha dos setores Jaó e Negrão de Lima, Goiânia (GO). Brazilian Applied Science Review, v.4, n.1, pp.202-217, 2020.

CASTRO, T.M. et al. Aspectos Limnológicos e microbiologicos da água do médio curso do Rio Mearim – Maranhão, Brasil. In: SILVA et al (Orgs.). Pesquisas Multidisciplinares em saúde. Curitiba: Ed. CRV, 2019.

DUTRA, M. et.al. Avaliação Físico – Química do Sedimento da Porção Nordeste da Bacia Hidrográfica do Rio Tocantins. Curso de Engenharia Ambiental) Monografia. 2020. Universidade CEUMA, p. 25, 2020.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br>. Acesso em: 21 ago. 2019.

LAYRARGUES, P.P. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: MMA. 2004.

MARIN, A.A. Percepção Ambiental e Imaginário dos moradores do município de Jardim/MS. 2003. 317 f. Tese de Doutorado (Ecologia e Recursos Naturais). Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais. da Universidade Federal de São Carlos, São Paulo.

MUNIZ, J. N.; DUARTE, K. G.; BRAGA, F. H. R.; LIMA, N. S.; SILVA, D. F.; FIRMO, W. C.; SILVA, M. R. C. Limnological Quality: Seasonality Assessment and Potential for Contamination of the Pindaré River Watershed, Pre-Amazon Region, Brazil. Water, v.12, n,3, pp.851, 2020

RIBEIRO, M.A. et al. Gestão da Água e Paisagem Cultural. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 20, n. 2, 2016.

ROOKES, P.; WILLSON, J. Perception: Theory, development and organisation. Routledge, Londres, 1. ed., 2000.

SILVA, M.A. A técnica da observação nas ciências humanas. Educativa, Goiânia, v. 16, n. 2, p. 413-423. jul./dez. 2021.

SANTOS, A. L; SILVA, E; ALMEIDA, E. P. O. A percepção ambiental da população ribeirinha dos setores Jaó e Negrão de Lima, Goiânia (GO) Braz. Ap. Sci. Rev.,Curitiba, v. 4, n. 1, p. 202-217 jan./fev. 2020.

SANTOS, A. S. R dos, Educação ambiental e o poder público. 2000. Disponível em <http://www.aultimaarcadenoe.com.br/educacao-ambiental/>. Acesso em 16/05/2022

SANTOS, V.O. A educação ambiental no contexto dos comitês de bacia hidrográfica. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 18, n. 64, dez. 2017.

SUESS, R. C.; GONÇALVES, R.; CARVALHO, H. DE. Percepção Ambiental De Diferentes Atores Sociais Sobre o Lago Do Abreu Em Formosa ─ GO. HOLOS, v. 6, p. 241–258, 2013.

Downloads

Publicado

18-08-2023

Como Citar

Braga, F. H. R., Sousa, N. S. de, Freato, L., Moura, A. R. L. de, Silva, D. F. da, Miranda, R. de C. M. de, & Silva, M. R. C. (2023). Educação Ambiental: estudo da percepção ambiental na comunidade ribeirinha na proximidade dos rios Munim e Iguará (MA). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(5), 29–38. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14781

Edição

Seção

Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2023-01-27
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-03-29
##plugins.generic.dates.published## 2023-08-18

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.