Diagnóstico da gestão dos resíduos sólidos em duas unidades escolares

  • André dos Santos Universidade Federal de Pernambuco - UFPE https://orcid.org/0000-0002-9700-9815
  • Valéria Sandra de Oliveira Costa Universidade Federal de Pernambuco.
  • Thais Garcia Santos Universidade Federal de Minas Gerais.
Palavras-chave: Ambiente Escolar; Educação Ambiental; Lixo Escolar.

Resumo

Escolas são espaços, que geram diariamente uma grande quantidade de resíduos sólidos. Diante disso, existe a necessidade assim como diversos municípios, que instituições de ensino possuam um plano de gerenciamento de resíduos, de acordo com suas necessidades. A presente pesquisa avaliou a percepção do alunado sobre assuntos relacionadas a coleta seletiva e como é feito o gerenciamento dos resíduos sólidos em unidades escolares. A partir de um estudo descritivo e de uma abordagem quali-quantitativa, como forma investigativa foram aplicados questionários semiestruturados com oito questões fechadas para 30 alunos do Ensino Fundamental (9º ano), 30 alunos do Ensino Médio (3º ano), assim como oito questões para 18 professores das duas escolas públicas, ambas localizadas no município de São Joaquim do Monte–PE. A partir da metodologia aplicada, e os dados obtidos, ficou perceptível que o problema do gerenciamento/gestão dos resíduos sólidos, é bem parecido nas duas escolas e mesmo havendo uma discrepância para algumas questões, existe um déficit em relação ao serviço de coleta seletiva e gerenciamento nessas instituições. Por outro lado, mesmo os professores trabalhando de forma efetiva com ações direcionadas de Educação Ambiental, reciclagem e coleta seletiva, a problemática toma dimensões maiores, pois na própria cidade o serviço de coleta municipal, faz a destinação de todos os resíduos, inclusive os escolares em terreno baldio, sem nenhuma condição de tratamento/reciclagem. A fim de sensibilizar as duas turmas, foram realizadas palestras voltadas para questão do descarte sustentável, importância da coleta seletiva, reciclagem e principalmente o incentivo a mudança de atitudes e comportamento perante o meio ambiente.

 

 

Biografia do Autor

André dos Santos, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Aluno do Mestrado em Ensino de Ciências Ambientais - (PROFCIAMB), Universidade Federal de Pernambuco.

Valéria Sandra de Oliveira Costa, Universidade Federal de Pernambuco.

Docente do PROFCIAMB, CAPES/PNPD- PRODEMA, Universidade Federal de Pernambuco.

Thais Garcia Santos, Universidade Federal de Minas Gerais.

Doutouranda em Biologia Celular. Universidade Federal de Minas Gerais .

Referências

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, J. A. Gestão de resíduos sólidos em instituições de ensino: experiências internacionais e nacionais no município de Belo Jardim - PE. R. Gest. Sust. Ambient. v. 7, n. 1, pp. 467-485. Disponível em: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e12018467-485. Acesso em: 10 nov. 2018.

Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos - ABRELPE. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2017. Disponível em: http://abrelpe.org.br/pdfs/panorama/panorama_abrelpe_2017.pdf. Acesso em: 15 set. 2018.

ARAÚJO, M. I. O. A universidade e a formação de professores para a educação ambiental. Revbea. n.0, p.71-78, 2004. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/1859/1264. Acesso em: 19 dez. 2018.

BARROS, R. M. Tratado sobre resíduos sólidos: gestão uso e sustentabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Interciência, 2013. 374p.

BARBOSA, G. B; JACAÚNA, C. L. F. S. Análise da percepção ambiental dos estudantes da escola municipal Charles Garcia sobre a produção de resíduos sólidos no bairro Santa Rita de Cássia. TCC (Licenciatura em Geografia) Universidade do Estado do Amazonas – EUA. Acre, Amazonas, 2017. Disponível em: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br/jspui/handle/riuea/707. Acesso em: 30 nov. 2018.

BEZERRA, Y. B. S;PEREIRA, F. S. P; SILVA, A. K. P; MENDES, D. G. P. S. Análise da percepção ambiental de estudantes do ensino fundamental II em uma escola do município de Serra Talhada (PE). Revbea. v. 9, n. 2, p.472-488. 2014. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/1851. Acesso em: 10 out. 2018.

BRASIL. Lei n.12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n. 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Casa Civil Subchefia Para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em:

BRASIL. Lei n. 9.795, de 27 abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Política Nacional de Educação Ambiental. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm. Acesso em: 02 out. 2018.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – Meio Ambiente Saúde. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro091.pdf. Acesso em: 02 maio. 2018.

COELHO, A. L. A. L; ARAÚJO, L. A. S; SILVA, A. W. P; SANTOS, H. C. C; COELHO, C. Educação para sustentabilidade e gestão pública em uma escola estadual na cidade de João Pessoa – PB. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada. n. 4, v.12, pp. 23-38. Disponível em: http://rica.unibes.com.br/index.php/rica/article/viewArticle/938. Acesso em: 2 set. 2018.

CORREIA, J. N; FIGUEIREDO-DE-ANDRADE, C. A; LIMA, N. B. Lixo e reciclagem: a percepção ambiental de estudantes de escolas públicas e privadas do município de bom jesus do Itabapoana (RJ). Persp. On line. n. 6, v. 15, pp, 53-65. 2016. Disponível em: http://www.seer.perspectivasonline.com.br/index.php/humanas_sociais_e_aplicadas/article/view/972. Acesso em: 06 out. 2018.

DANTAS, M. M. M; MARTINS, J. G. S; SOUZA, D. M; GUIMARÃES, M. L. C; SILVA, E. A. A importância da educação ambiental no amplo escolar. Cadernos de Agroecologia. n. 3, v. 10. 2015. Disponível em: http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/19418. Acesso em: 15 jun. 2018.

FÉLIX, R. A. Z. Coleta seletiva em ambiente escolar. REMEA. v. 18, p. 56-71. 2007. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3321/1985. Acesso em: 13 jul. 2018.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: 6. ed. Atlas, 2012, 200p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATÍSTICA - IBGE. Censo 2017.

JUNIOR, C. H. L. S. Diagnóstico preliminar do gerenciamento dos resíduos sólidos gerados na cidade do Novo Gama/GO. Monografia. (Bacharelado em Engenharia Ambiental) Universidade de Brasília – UNB, Brasília, DF, 2016. Disponível em: http://bdm.unb.br/handle/10483/16931. Acesso em: 07 ago. 2018.

KLIPPEL, A. S. Gerenciamento de resíduos sólidos em escolas públicas. Monografia. (Especialização em Gestão Ambiental em Municípios). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Foz do Iguaçu, PR, 2015. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/6211/1/MD_GAMUNI_VI_2014_1.pdf. Acesso em: 06 set. 2018.

MARTINS, J. S. Entendendo as causas do descarte de resíduos sólidos comuns: Uma modelagem da percepção ambiental. Monografia. (Graduação em Ecologia). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, 2017. Disponível em: https://monografias.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/5577/1/DescarteInadequado_Martins_2017.pdf. Acesso em: 07 dez. 2018.

MINAYO, M. C. de S. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. de S (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2012.

OLIVEIRA, T. K. S; JÚNIOR, I. M. P. Política nacional de resíduos sólidos. Cadernos de Graduação - Ciências Exatas e Tecnológicas. v. 4, n. 3, p. 77-84. 2018. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/index.php/fitsexatas/article/view/5567/2818. Acesso em: 12 dez. 2018.

RIBEIRO, L. C. S; FREITAS, L. F. S; CARVALHO, J. T. A; FILHO, J. D. O. Aspectos econômicos e ambientais da reciclagem: um estudo exploratório nas cooperativas de catadores de material reciclável do Estado do Rio de Janeiro. Nova Economia. n. 1, p. 191-214. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/neco/v24n1/0103-6351-neco-24-01-0191.pdf. Acesso em: 12 out. 2018.

SANTOS, A; LIMA, M. L. B; MACIEL, L. M. N. L; PAZ, M. C. P; PAZ, R. J. A interdisciplinaridade na educação ambiental. Revista Educação Ambiental em Ação. n. 61. 2017. Disponível em: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=2871. Acesso em: 05 abr. de 2018.

STANGHERLIN, C. C. C; SPECHT, S. Resíduos Sólidos: Percepções de Alunos do Ensino Fundamental. REGET, v. 18, n. 2, pp. 919-927. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reget/article/view/13745/pdf. Acesso em: 27 set. 2018.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1986, 108p.

VILHENA, A. Lixo municipal: manual de gerenciamento integrado do CEMPRE. (4ª ed.). São Paulo. 2018. Disponível em: http://cempre.org.br/upload/Lixo_Municipal_2018.pdf. Acesso em 10 dez. 2018.
Publicado
2019-12-04
Como Citar
Santos, A. dos, Costa, V. S. de O., & Santos, T. G. (2019). Diagnóstico da gestão dos resíduos sólidos em duas unidades escolares. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 14(4), 25-39. https://doi.org/10.34024/revbea.2019.v14.9658
Seção
Artigos