Elaboração de um Guia Panc para o Ensino de Botânica

Autores

  • Maiara Luiza Abeling Morsch Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)
  • Elaine Biondo Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Fernanda Ludwig Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14696

Palavras-chave:

agroecologia, plantas alientícias não convencionais, alimentos, educação

Resumo

O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de elaborar um guia, contendo plantas alimentícias não convencionais (PANC) como recurso didático para o ensino de botânica. O guia possibilitará o entendimento da disciplina de botânica, a partir do reconhecimento, pelos estudantes, das PANC presentes na própria escola, identificando-as como alimento. Para elaboração do guia, foram selecionadas dez espécies de PANC, das 31 identificadas. Após apresentação dos resultados aos estudantes, foi aplicado questionário, a fim de avaliar a percepção dos respondentes sobre o tema. A elaboração de um “Guia PANC” teve um resultado positivo, alcançando a aprovação de 100% dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, A.T.M. dos S. O treino do paladar marcador precoces de uma alimentação saudável para a vida. 2010.47f. Monografia. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação. Universidade do Porto, Porto, 2010.

BARBOSA, P. P.; MACEDO, M.; URSI, S. Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no ensino contextualizado de “Fotossíntese”: uma proposta para o Ensino Médio. Revista da Associação Brasileira de Ensino de Biologia, v.9, p.2244-55, 2016.

BARREIRA, T. F. et al. Diversidade e equitabilidade de Plantas Alimentícias Não Convencionais na zona rural de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, v.17, n.4, p.964-974, 2015.

BERCHEZ, F. A. S. et al. Marine and coastal environmental education in the context of global climate changes - synthesis and subsidies for ReBentos (Coastal Benthic Habitats Monitoring Network). Brazilian Journal of Oceanography, v.64, p.137-56, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CARNEIRO, A.M. Espécies ruderais com potencial alimentício em quatro municípios do Rio Grande do Sul, Brasil. 2004. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre,2004.

CHEROBINI, L.; MARQUES, F. L.; BIONDO, E. Cultivo e consumo de plantas alimentícias não convencionais incentivam práticas de Educação Ambiental em escola de Igrejinha (RS). Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 17, n. 2, 199-219, 2022.

COOKE, L; WARDLE, J; GIBSON, E.L. Relationship between parental report of food neophobia and everyday food consumption in 2–6-year-old children. Appetite,v. 41, n. 2, p. 205–206,2003.

COOKE, L. J.; WARDLE, Jane. Genetic and environmental influences on children ’ s food. American Journal of Clinical Nutrition, v. 86, p. 428–433,2007.

DANDALO, R. M.; LEME, J. S.; URSI, S. Biotecnologia Vegetal no Ensino Médio: uma proposta para estimular reflexões e tomada de decisão consciente. Revista da Associação Brasileira de Ensino de Biologia, v.7, p.4298-307, 2014.

FAGUNDES, J.A.; GONZALES, C.E.F. Herbário escolar: suas contribuições ao estudo da Botânica no Ensino Médio. Curitiba, 2009.

FIGUEIREDO. J. A.; COUTINHO, F. A.; AMARAL, F. C. O Ensino de Botânica em uma Abordagem Ciência, Tecnologia e Sociedade. Anais do II Seminário Hispano Brasileiro - CTS, p. 488-498, 2012.

FILGUEIRAS, T. S.; NOGUEIRA, P. E.; BROCHADO A. L.; GUALA, G. F. Caminhamento - um método expedito para levantamentos florísticos qualitativos. Cadernos de Geociências IBGE, 12, p.39-43,1994.

FLORA DO BRASIL. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/. Acesso em: 3 out. 2020.

FRANCO, C. O.; URSI, S. As plantas e sua exuberante diversidade: trabalhando com registros fotográficos na área verde do CEU EMEF Atlântica. Revista da Associação Brasileira de Ensino de Biologia, v.7, p.1220-9, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2013.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre, UFRGS, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. Ed,Editora Atlas SA, 2008.

KINUPP, V.F. Plantas alimentícias não convencionais da região metropolitana de Porto Alegre, RS. 2007. 562p. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

KINUPP, V.F.; BARROS, I.B.I. Levantamento de dados e divulgação do potencial das plantas alternativas no Brasil. Horticultura Brasileira, v. 22, n. 2, p. 4, Porto Alegre/RS. Universidade Federal de Porto Alegre – RS. 2004.

KINUPP V.F.; LORENZI, H. - Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. Instituto Plantarum de Estudos da Flora Ltda,2014.

KRASILCHIK, M. Práticas de ensino de biologia. 4ª ed. São Paulo: Edusp, 2016.

LAFRAIRE, J.; RIOUX, C.; GIBOREAU, A.; PICARD, D. Food rejections in children: Cognitive and social/environmental factors involved in food neophobia and picky/fussy eating behavior. Appetite, 96, p. 347–357,2016.

MAIZ, E.; BALLUERKA, N. Trait anxiety and self-concept among children and adolescents with food neophobia. Food Research International, v.105, p. 1054– 1059, 2018.

MELO, E. A. et al. A aprendizagem de botânica no ensino fundamental: dificuldades e desafios. Scientia Plena, v. 8, n. 10, p. 8, 2012.

NUNES, L. V. ., GIANNONI, J. A. ., COSTA, A. G. ., FERREIRA, A. C. ., ROSSI, P. H. S. DE .; FAVONI, S. P. de G. Avaliação do conhecimento sobre plantas alimentícias não convencionais (PANC) por meio de questionário da plataforma google forms aplicado a população. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(7), 250–261,2021.

NEDOPETALSKI, P. F., KRUPEK, R. A. O uso de plantas medicinais pela população de União da Vitória – PR: o saber popular confrontado pelo conhecimento científico. Arquivos do Mudi, v. 24, n. 1, p. 50-67, 2020.

PAZ, D.P. O potencial das PANC como agentes transformadoras das escolhas alimentares em Santo Antônio da Patrulha, RS.2017.82p. Monografia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

PEIXOTO, A.L.; MAIA, L.C. Manual de procedimentos para herbários. Recife: Editora Universitária UFPE, 2013.

PREFEITURA MUNICIPAL DE VALE DO SOL (PMVS). Localização. <https://www.valedosol.rs.gov.br/>.; 2020. Disponível em: <https://www.valedosol.rs.gov.br/Pages/30372/localizacao>. Acesso em: 26/12/2020.

PLINER, P. Development of measures of food neophobia in children. Appetite, v. 23, n. 2, p. 147–163,1994.

RAPOPORT, E.H.; MARZOCCA, A.; DRAUSAL, B.S. Malezas comestibles del Cono Sur Y Otras Partes del Planeta. Argentina: INTA, 2009.

RODRIGUES, F.A. Coleções Botânicas e suas Contribuições para o Ensino de Sistemática e Morfologia Vegetal no Ensino Médio. 2019. 125 f. Monografia (Mestrado em Ensino de Biologia) - Universidade Estadual do Piauí, Piauí, 2019.

ROZIN, P. The Selection of Foods by Rats, Humans, and Other Animals. Advances in the Study of Behavior,v. 6, n. C, p. 21–76,1976.

SALATINO, A. BUCKERIDE, M. Mas de que serve saber botânica? Estudos Avançados, v. 30, n.87, p. 177-196, 2016.

SILVA, T. S. da. A botânica na educação básica: concepções dos alunos de quatro escolas públicas estaduais em João Pessoa sobre o ensino de botânica. 2015. 63 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas – Licenciatura), Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

SOUZA, A.P.S. de; SILVA, L. S. da; PIERRE, F.C. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC):Um estudo de caso na cidade de Botucatu. XI Simpósio Nacional de Tecnologia em Agronegócio,2019.

SKINNER, J.D.; CARRUTH, B.R.; BOUNDS, W.; ZIEGLER,P.J. Child’s food preferences: A longitudinal analysis.Journal of the American Dietetic Association, v.102,n.11,p.1638-1647,2002.

URSI, S. et al. Ensino de Botânica: conhecimento e encantamento na educação científica. Estudos Avançados, v. 32, n. 94, p. 7-24, 2018.

URSI, S.; BARBOSA, P. P. Fotossíntese: abordagem em um curso de formação docente continuada oferecido na modalidade Educação a Distância. Revista da Associação Brasileira de Ensino de Biologia, v.7, p.6198-208, 2014.

WANDERSEE, J. H.; SCHUSSLER, E. E. Preventing plant blindness. The American Biology Teacher, v.61, p.84-6, 1999.

Downloads

Publicado

18-08-2023

Como Citar

Morsch, M. L. A., Biondo, E., & Ludwig, F. (2023). Elaboração de um Guia Panc para o Ensino de Botânica. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(5), 101–114. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14696

Edição

Seção

Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-12-16
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-03-27
##plugins.generic.dates.published## 2023-08-18

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.