A CONSTITUIÇÃO DA ATIVIDADE PEDAGÓGICA NO CLUBE DE MATEMÁTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2023.v11.15028

Palavras-chave:

Clube de Matemática, Formação Inicial, Professores de Matemática

Resumo

O objetivo desse artigo é compreender as contribuições oriundas do movimento de reelaboração de uma SDA para a aprendizagem da docência no Clube de Matemática (CluMat), as quais demonstram indícios da contribuição de uma Situação Desencadeadora da Aprendizagem (SDA) para a aprendizagem da atividade pedagógica. O Clube de Matemática da Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Sudoeste – Sede: Quirinópolis (CluMat-UEG)[1] é o contexto da investigação e os sujeitos foram 30 (trinta) licenciandos que participam do Clube. Tal espaço, alicerça-se nos pressupostos da Teoria Histórico-Cultural e da Teoria da Atividade. Na busca de alcançar o objetivo dado, optou-se pelo experimento formativo como estrutura metodológica, e os dados foram coletados por meio de gravações audiovisuais e questionários, durante todos os encontros do ano letivo de 2022. Logo, a estrutura da análise de dados escolhida foi: unidade, episódio e flashes. Os resultados demonstram que os sujeitos compreendem o significado da atividade pedagógica a partir da coletividade que pertenciam, e assim atribuíram novos sentidos ao processo de aprendizagem que vivenciavam.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lukas Adriel Francisco Alves, Universidade Estadual de Goiás - UEG

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sociedade pela UEG. Membro do Clube de Matemática e do Grupo de Estudos e Pesquisas acerca da Atividade Pedagógica e do Ensino e Aprendizagem de Conceitos Matemáticos (GEPEAM) da UEG.

Maria Marta da Silva, Universidade Estadual de Goiás - UEG

Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sociedade da UEG. Doutora em Educação em Ciências e Matemática pela UFG. Líder do Clube de Matemática e do Grupo de Estudos e Pesquisas acerca da Atividade Pedagógica e do Ensino e Aprendizagem de Conceitos Matemáticos (GEPEAM) da UEG.

Referências

AUTOR, 2022.

ARAUJO, Elaine Sampaio; MORAES, Silvia Pereira Gonzaga de. Dos princípios da pesquisa em educação como atividade. In: MOURA, Manoel Oriosvaldo de (org.). Educação Escolar e Pesquisa na Teoria Histórico-Cultural. São Paulo: Edições Loyla, 2017. p. 47-70.

BERNARDES, Maria Eliza Mattosinho. A educação como mediação na teoria histórico-cultural: compromisso ético e político no processo de emancipação humana. Revista psicologia política. vol. 10, nº 20, jul./dez, p. 293-296. 2010.

BOROWKSY, Halana Garcez. A Atividade Orientadora de Ensino como princípio do Clube de Matemática. Revista Obutchénie, [S.L.], p. 509-533, 25 set. 2020. EDUFU - Editora da Universidade Federal de Uberlândia. http://dx.doi.org/10.14393/obv4n2.a2020-57494.

CECCO, Bruna Larissa; BERNARDI, Luci T. M. dos Santos; DELIZOICOV, Nadir Castilho. Formação de Professores que Ensinam Matemática: um olhar sobre as redes sociais e intelectuais do bolema. Bolema: Boletim de Educação Matemática, [S.L.], v. 31, n. 59, p. 1101-1122, dez. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1980-4415v31n59a13.

CEDRO, Wellington Lima; MORAES, Silvia Pereira Gonzaga de; ROSA, Josélia Euzébio da. A atividade de ensino e o desenvolvimento do pensamento teórico em matemática. Ciência & Educação (Bauru), [S.L.], v. 16, n. 2, p. 427-445, 2010. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-73132010000200011.

CORAZZA, Gentil. O todo e as partes: Uma introdução ao método da economia política. Estudos Econômicos São Paulo, v. 26, n. Especial, p. 35-50, 1996.

DAVYDOV, Vasili Vasilovich; MARKOVA, Aelita Kapitonovna. La concepción de la actividad de estudio en los escolares. In: SHUARE, Marta. La Psicología Evolutiva en la URSS: Antología. Moscú: Editorial Progreso, 1987. p. 156-178.

ENGELS, Friedrich. Dialética da natureza. São Paulo: Boitempo, 2020. 398 p. Tradução de: Nélio Schneider.

AUTOR, 2021.

GADOTTI, Moacir. Concepção Dialética da Educação: Um estudo introdutório. 9ª ed. São Paulo: Cortez, 1995. 165 p.

KOPNIN, Pável Vasilyevich. A Dialética como Lógica e Teoria do Conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978. 358 p.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976. 230 p.

LANNER DE MOURA, Anna Regina; FERREIRA, Erica da Silva Moreira. A ressignificação da linguagem formal do sistema de numeração decimal. In: Congresso de Leitura do Brasil, 15., 2005, Campinas. Anais do 15º Congresso de Leitura do Brasil. Campinas: Associação de Leitura do Brasil, 2005. p. 1-7. Disponível em: https://alb.org.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais15/Sem04/ericadasilva.htm. Acesso em: 30 abr. 2022.

LANNER DE MOURA, Anna Regina; LORENZATO, Sergio. O medir de crianças pré-escolares. Zetetiké, Campinas, v. 1-2, n. 9, p. 7-42, 27 fev. 2007. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v9i15-16.8646932.

LEFEBVRE, Henry. Lógica Formal e Lógica Dialética. Madrid: Siglo Veitiuno de Espana Editores as, 1970. 301 p.

LEONTIEV, Alexei Nikolaevich. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

LEONTIEV, Alexei Nikolaevich. Actividad, conciencia y personalidad. Havana: Pueblo y Educación, 1982. 249 p.

LEONTIEV, Alexei Nikolaevich. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da Psique infantil. In: VIGOTSKI, Lev Semionovitch.; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alexei Nikolaevich. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2001, p. 59-83.

LIBÂNEO, José Carlos. A integração entre o conhecimento disciplinar e o conhecimento pedagógico na formação de professores e a contribuição da teoria do ensino de Vasili Davídov. In: LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora. São Paulo: Cortez, 2014.

LONGAREZI, Andréa Maturano; FRANCO, Patrícia Lopes Jorge. A. N. Leontiev: a vida e a obra do psicólogo da atividade. In: LONGAREZI, Andréa Maturano; PUENTES, Roberto Valdés. Ensino desenvolvimental: vida, pensamento e obra dos principais representantes russos. Uberlândia: EDUFU, 2015. p. 67-110.

LORENZATO, Sergio. Para aprender matemática. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

LUKÁCS, György. Ontologia do Ser Social: Os princípios ontológicos fundamentais de Marx. [Trad. Carlos Nelson Coutinho] São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979.

MARX, Karl. Para a crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Col. Os Pensadores).

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002. 363 p.

MORAES, Silvia Pereira Gonzaga. Avaliação do processo de ensino e aprendizagem em matemática. 2008. 260 f. Tese (Doutorado em educação). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

MORETTI, Vanessa Dias; MOURA, Manoel Oriosvaldo de. O sentido em movimento na formação de professores de matemática. Zetetiké, Campinas, SP, v. 18, n. 2, 2011. DOI: 10.20396/zet.v18i34.8646682. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646682. Acesso em: 10 de dez. 2022.

MORETTI, Vanessa Dias; MOURA, Manoel Oriosvaldo de. Professores de matemática em atividade de ensino: contribuições da perspectiva histórico-cultural para a formação docente. Ciência & Educação (Bauru), [S.L.], v. 17, n. 2, p. 435-450, 2011. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-73132011000200012.

MOURA, Manoel Oriosvaldo de. A atividade de ensino como ação formadora. In: CASTRO, Amélia; CARVALHO, Anna de (orgs). Ensinar a ensinar: didática para a escola. São Paulo: Editora Pioneira. 2001. p. 145-166.

MOURA, Manoel Oriosvaldo de. Pesquisa colaborativa: um foco na ação formadora. In: BARBOSA, Raquel Lazzari Leite (Org.). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Editora Unesp, 2004. p. 257-284.

MOURA, Manoel Oriosvaldo de.; et al. A atividade orientadora de ensino como unidade entre ensino e aprendizagem. In: MOURA, Manoel Oriosvaldo de (org.) A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília, DF: Liber Livro, 2010. p. 93-126.

MOURA, Manoel Oriosvaldo de.; SFORNI, Marta Sueli de Faria; LOPES, Anemari Roesler Luersen Vieira. A objetivação do ensino e o desenvolvimento do modo geral da aprendizagem da atividade pedagógica. In: MOURA, Manoel Oriosvaldo de (org.). Educação Escolar e Pesquisa na Teoria Histórico-Cultural. São Paulo: Edições Loyla, 2017. p. 71-100.

MOURA, Manoel Oriosvaldo de. Atividade de formação em espaço de aprendizagem da docência. Ridphe_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas (SP), v. 7, p. 1-22, 29 dez. 2021. RIDPHE-R - Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo. http://dx.doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.16028.

OLIVEIRA, Daniela Cristina de. Quando os estudantes não são mais os mesmos: o processo de apropriação de conhecimentos geométricos nos anos iniciais e a teoria histórico-cultural. 2022. 234 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2022.

PANOSSIAN, Maria Lucia; SOUZA, Flávia Dias de. A Teoria Histórico-Cultural e a Teoria da Atividade em pesquisas sobre formação de professores e o ensino de matemática: o movimento do geforprof - utfpr. Actio: Docência em Ciências, [S.L.], v. 6, n. 3, p. 1-14, 5 nov. 2021. Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). http://dx.doi.org/10.3895/actio.v6n3.14565.

PIMENTA, Selma Garrido. O protagonismo da didática nos cursos de Licenciatura: a didática como campo disciplinar. São Paulo: Cortez. 2012.

PINO, Angel. As marcas do humano: às origens da constituição cultural da criança na perspectiva de Lev. S. Vigotski. São Paulo: Cortez, 2005.

RUÉ, Joan.; et al. El desarrollo de la profesionalidad docente mediante redes. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 3, n. 1, p. 403‑411, 2005.

AUTOR, 2018.

AUTOR, 2019.

AUTOR, 2021.

AUTOR, 2021.

AUTOR, 2022.

SILVESTRE, Bruno Silva. Os motivos que sustentam as escolhas dos futuros professores para a organização do ensino de Matemática na formação inicial. 2022. 263 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2022.

SOUSA, Maria do Carmo de. O ensino de álgebra numa perspectiva lógico-histórica: um estudo das elaborações correlatas de professores do ensino fundamental. 2004. 285 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2004.

SOUSA, Maria do Carmo de. O movimento lógico-histórico enquanto perspectiva didática para o ensino de matemática. Revista Obutchénie, [S.L.], v. 2, n. 1, p. 40-68, 30 ago. 2018. EDUFU - Editora da Universidade Federal de Uberlândia. http://dx.doi.org/10.14393/obv2n1a2018-3.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. Psirrologuia Iskusstva. Minsk: Sovremennoie Slovo, 1998.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. Obras Escogidas II: Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores, España: Visor, 2003.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A formação social da mente. 7 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Downloads

Publicado

2023-10-21

Como Citar

Alves, L. A. F. ., & Silva, M. M. da. (2023). A CONSTITUIÇÃO DA ATIVIDADE PEDAGÓGICA NO CLUBE DE MATEMÁTICA. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 11(1). https://doi.org/10.34024/olhares.2023.v11.15028