A "Nossa História pode ser contada" – Um relato sobre alfabetização em círculos de cultura em Nazaré (RO)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.12536

Palavras-chave:

Educação Popular, Diálogo, Participação

Resumo

A desigualdade social é uma das mais fortes marcas do Brasil, mantendo grupos segregados e hierarquizados, seja por razões econômicas, étnicas, raciais, de gênero, de sexualidade e até por seus níveis de escolarização. O analfabetismo persiste em nosso país e coincide quase exatamente com a geografia da pobreza. Frente a este contexto, o presente artigo traz o relato de uma vivência com mulheres ribeirinhas cuja história, segundo uma delas: “pode ser contada”. A experiência foi realizada na comunidade de Nazaré, localizada no baixo Rio Madeira/RO, na Amazônia brasileira e ocorreu no âmbito das ações do Núcleo de Apoio às Populações Ribeirinhas da Amazônia - NAPRA. Este artigo apresenta o relato de um trabalho cujo objetivo foi o de desenvolver encontros pedagógicos com vistas à alfabetização de algumas mulheres adultas. A metodologia foi pautada nos círculos de cultura segundo o referencial freiriano. Como resultados são apontados quatro aprendizados principais: 1) a importância de estar, de forma genuína, no território onde os encontros acontecem; 2) a necessidade de articulação regional-local e da permanência para o êxito das atividades; 3) a importância do processo como gerador de potencialidades coletivas e individuais; 4) o entendimento de que, mesmo a experiência sendo pontual, pode gerar mobilização, possibilidade concreta de transformação e partilhas amorosas. Importante ressaltar que, a Amazônia tem sido foco de graves ameaças sociais e ambientais, sendo reduzida a histórias de conflito e violência. Porém, há muitas narrativas a serem compartilhadas e sempre é possível ter esperança quando conseguimos contar outra história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helen Cristiane da Silva Theodoro, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Atualmente, desenvolve pesquisa na área de Sexualidade, Educação Sexual e Deficiência Visual, além de cursar especialização em Intervenção ABA pela CBI of Miami.

 

Michele Cristina Batista Barbado, Unisal/Faveni

Graduanda em Letras pela UNIFAVENI, graduada Pedagogia (UNISAL - 2020) e em Comunicação Social pela Faculdade de Americana (2010). Trabalha como voluntária no Núcleo de Apoio à População Ribeirinha da Amazônia (NAPRA). Professora da rede estadual de ensino, acredita que o saber nunca ocupa espaço, frase essa que a direciona pela vida. 

Sophia Ricci Noronha, Fundação Getulio Vargas - FGV

Formada em Administração Pública pela FGV (Fundação Getulio Vargas), Já trabalhou em projetos de impacto socioambiental com povos ribeirinhos (NAPRA - Núcleo de Apoio às Populações Ribeirinhas da Amazônia) e é membra voluntária da Amparar (Associação de Familiares e Amigos de Presos). Hoje atua como consultora de negócios comunitários na Mandu Inovação Social.

 

Valéria Oliveira de Vasconcelos, Unisal/Faveni

Professora do Programa de Mestrado em Educação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa CNPq/UFSCar Práticas Sociais e Processos Educativos e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Ambiental (GEPEA-CNPq/UFSCar). Membro do Grupo de Trabalho "Educación Popular y pedagogías críticas" (CLACSO). Coordenadora do GT 06 - Educação Popular - Anped (2021-2023). 

 

Referências

ALENCAR, Carolina Pena de. Trilhando memórias: reflexões acerca das identidades dos trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. 137 f. Dissertação (Mestrado em Preservação do Patrimônio Cultural). Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro/RJ. 2012. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/estrada_de_ferro.pdf. Acesso em: 25 jun. 2021.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Paulo Freire: a educação, a cultura e a universidade. Memória de uma história de cinquenta anos atrás. Revista EJA EM DEBATE, Florianópolis, ano 3, n. 4. jul. 2014.

BRASIL. Decreto-lei nº 6040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Lex: coletânea de legislação: edição federal, São Paulo, 1943. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm> Acesso em: 31 junho 2021.

CANDIDO, Sílvio Eduardo A. Comunidades ribeirinhas, engenheiros e conservação da floresta: construção participativa do espaço tecnológico em empreendimentos econômicos solidários na Amazônia. 195f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. São Carlos/SP. 2010. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/3638/3170.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 10 dez. 2018.

CRUZ, Adejard Gaia. Dois séculos de extrativismo e especialização primário-exportadora na Amazônia: uma análise comparada entre os ciclos da borracha e do minério de ferro. Cadernos CEPEC, vol. 08, nº 01, jun., 2019, p. 43-66. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/cepec/article/view/7764. Acesso em: 15 mai. 2021.

FIGUEIREDO, Rafaela Lopes; SEVERINO, Natália Búrigo. Boi Curumim de Nazaré: um estudo sobre a cultura popular tradicional de uma comunidade ribeirinha. XI Encontro Regional Sudeste da Associação Brasileira de Educação Musical Educação Musical em tempos de crise: percepções, impactos e enfrentamentos. São Carlos/SP, p. 1-14, 2018. Disponível em: http://abemeducacaomusical.com.br/conferencias/index.php/sd2018/regsd/paper/viewFile/3213/1766. Acesso em: 22 mai. 2021.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro/RJ, Ed. Paz e Terra, 1967.

____________. A importância do Ato de Ler. São Paulo/SP, Cortez Editora, 1989. 104 p.

____________. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro/RJ, Paz e Terra, 1992.

_________. Pedagogia do Oprimido. 60º ed. Rio de Janeiro/RJ, Paz e Terra, 2016. 288 p.

INQUÉRITO. Lição de Casa. Independente. 2018. Duração: 4’25’’. Disponível em: https://onerpm.lnk.to/LicaoDeCasa. Acesso em: 29 jul. 2021.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de Indicadores Sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira de 2016. Rio de Janeiro/RJ, vol.36, 2016 2016. V. 36, 141 p. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf. Acesso em: 22 jun. 2021.

JEFFREY, Debora Cristina; LEITE, Sandra Fernandes. Qualidade de ensino na modalidade EJA sob a perspectiva dos docentes. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, vol. 04, nº 01, mai. 2016, p. 8-26. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/olhares/article/view/525/171. Acesso em: 15 mai. 2021.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. Nova edição. Editora Companhia das Letras, 2019.

MACIEL, Antônio Carlos. Identidade e diversidade na formação cultural da Amazônia: estudo comparativo entre Belém, Manaus e Porto Velho. In: GHANEM, E; NEIRA, M. G. Educação e Diversidade Cultural no Brasil – Ensaios e Práticas. Organizadores: GHANEM, Elie; NEIRA, Marcos; 1ª ed., Araraquara/SP, Junqueira & Marin, 2014, 271 p.

MAIOR. Nível de Escolaridade Está Associado a Maior Expectativa de Vida. Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, 2019. Disponível em: https://www.medicina.ufmg.br/maior-nivel-de-escolaridade-esta-associado-a-maior-expectativa-de-vida/. Acesso em: 31 jul. 2021.

MENEZES, Elisangela Ferreira. A representação do lugar: um estudo sobre juventude ribeirinha da comunidade de Nazaré-RO. 136 f. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Federal de Rondônia. Porto Velho/RO. 2014. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/294854238.pdf. Acesso em: 25 jun. 2021.

NAPRA. Núcleo de Apoio à População Ribeirinha da Amazônia. Consolidação do Estatuto Social. 5ª Alteração do Estatuto Social. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1SZeic_PVxBVLF3mLPInXJKrqvbhoFcJF/view. Acesso em: 02 abr. 2021.

ROSA, Sonia. Quando a escrava Esperança Garcia escreveu uma carta. Pallas, 2012.

ROSADO, Andrea da Conceição Cândido; FERNANDES, Cássia do Carmo Pires. Políticas e concepções de Educação de Jovens e Adultos: fundamentos da prática docente. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, vol. 01, nº 02, 2013, p. 180-192. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/olhares/article/view/139. Acesso em: 22 jun. 2021.

SOUZA, Valdir Aparecido. Rondônia, uma memória em disputa. 202f. Tese (Doutorado em História e Sociedade). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP. Faculdade de Ciências e Letras. Programa de Pós-Graduação em História e Sociedade. Assis/SP. 2011. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/103127/souza_va_dr_assis.pdf?sequence=1. Acesso em: 10 dez 2018.

VALDANHA NETO, Diógenes; WHITAKER, Dulce Consuelo Andreatta; VASCONCELOS, Valéria Oliveira de. Educação e(m) Unidades de Conservação: luta por direitos e direito à luta. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 17, n. 2, p. 51-67, mai/ago. 2018. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/41518. Acesso em: 15 jul. 2021.

VASCONCELOS, Valéria Oliveira de. Bebendo em uma fonte de Água Fresca – caminhos para a formação de agentes comunitários de lazer. 331f. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Educação. São Carlos/SP. 2002. Disponível em: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/318. Acesso em: 25 mai. 2021.

VASCONCELOS, Valéria Oliveira de; SIQUEIRA, Cristiano Tierno de; SANTOS, Raquel; SALAZAR, Marcelo; STRAATMANN, Jeferson; NEVES, Letícia; REIS, Allan Ribeiro dos; & CAMPOS, Patrícia Greco. Educação Popular e meio ambiente: diálogos com populações tradicionais amazônicas. Ambiente & Educação, vol. 15, nº 01, 2010, p. 47-66. Disponível em: https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/879. Acesso em: 08 jun. 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-25

Como Citar

Theodoro, H. C. da S., Barbado, M. C. B., Noronha, S. R., & Vasconcelos, V. O. de. (2021). A &quot;Nossa História pode ser contada&quot; – Um relato sobre alfabetização em círculos de cultura em Nazaré (RO) . Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(3). https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.12536