Gerindo identidades marginalizadas entre conhecimento local e cultura global. O ambientalismo como recurso: exemplos da sociedade árabe em Israel

Conteúdo do artigo principal

Rakefet Sela-Sheffy
Marcello Stella

Resumo

A crítica do Orientalismo traz à discussão o desempoderamento das culturas locais operado pela visão ocidental, a qual impõe conceitos culturais irrelevantes, silenciando dessa forma, modos de vida e valores culturais. Entretanto, por uma perspectiva oposta, também permite um olhar sobre a criatividade social das culturas locais reagindo a repertórios externos, rejeitando-os ou incorporando-os na reconstrução de sua própria vitalidade cultural. Tal criatividade social está embebida nas incessantes lutas simbólicas que envolvem as identidades locais. Um vetor central dessas lutas é a tensão entre conservação cultural – o uso de uma herança local ou adesão a cânones locais – e a mudança cultural – a adaptação ou ajuste do novo e a transformação das modas. Interligadas na construção da identidade, essas duas dinâmicas se intensificam em situações de tensão étnica e nacional. Neste artigo, discuto as formas em que as identidades locais são negociadas e transformadas através da valorização ou contestação de repertórios existentes e da intermediação de novos repertórios implícitos nas lutas de poder dos grupos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
SELA-SHEFFY, R. .; STELLA, M. . Gerindo identidades marginalizadas entre conhecimento local e cultura global. O ambientalismo como recurso: exemplos da sociedade árabe em Israel. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 4, n. 6, p. 45–68, 2023. DOI: 10.34024/exilium.v4i6.15224. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/15224. Acesso em: 23 fev. 2024.
Seção
Dossiê
Biografia do Autor

Rakefet Sela-Sheffy, Tel Aviv University

Professora aposentada na Escola de Ciências Culturais da Universidade de Tel Aviv e ex-presidenta da Unidade de Pesquisa da Cultura. Seus principais campos de atuação são as teorias da cultura e da identidade e a análise sociocultural do discurso. Sua pesquisa lida com lutas de identidade e reivindicações de status em vários ambientes sociais, com foco especial no ativismo ambiental comunitário em contextos periféricos; campos profissionais e o ethos da contraprofissionalização (casos: tradutores, cuidadores de crianças, professores); tradução e transferência intercultural; e discursos emocionais em contextos de imigração.