Percepção ambiental dos feirantes em relação aos resíduos sólidos gerados no mercado central de Ananindeua (PA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.12019

Palavras-chave:

Resíduos Sólidos, Percepção Ambiental, Feira, Gerenciamento

Resumo

Diagnosticar a percepção ambiental dos feirantes em relação à geração dos resíduos sólidos no Mercado Central de Ananindeua-PA é foco deste trabalho. A metodologia empregada se baseou em estudo quanti-qualitativo, construindo uma explicação sobre a realidade pesquisada. A coleta de dados foi realizada mediante aplicação de Checklist sobre o gerenciamento de resíduos sólidos (RS) gerados na área de estudo e o questionário foi o instrumento utilizado para obter informações em relação à percepção dos feirantes. Os formulários foram analisados utilizando a estatística não-paramétrica por meio do teste qui-quarado de aderência e tendência, os cálculos foram realizados com o auxílio do Software BioEstast. Os resultados apontaram que o gerenciamento dos RS é inadequado, principalmente o acondicionamento em virtude da ausência de sacolas plásticas ou recipientes com incompatibilidade física e química com os resíduos produzidos. A grande maioria dos trabalhadores possuem conhecimento sobre a problemática ocasionadas pelos RS na feira, o que facilita a aceitação para implantação de projetos ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Sergio Lima Brito, Universidade Federal do Minas Gerais (UFMG)

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos (PPG-SMARH) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Engenheiro Sanitarista e Ambiental formado pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em saneamento ambiental, saneamento básico, sistemas de abastecimento de água, qualidade da água para consumo humano, gestão e gerenciamento de resíduos sólidos e líquidos, além da participação em projetos de Educação Ambiental.

Rafaella Louzeiro Braga, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Possui graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Pará (2015). Pós graduação em Análise ambiental pelo Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Pará (2019). Em julho de 2020 iniciou no cargo de Técnico em Gestão de Meio Ambiente na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará-SEMAS, trabalha na Gerência de Outorga especificamente com outorga de captação superficial. Suas pesquisas estão relacionadas principalmente as Políticas Sustentáveis, Resíduos Sólidos, Educação Ambiental, Reciclagem e Coleta seletiva.

Referências

ALMEIDA, N. C. C; SANTOS JUNIOR, C. F dos; NUNES, A. A. L; LINS; M. S. M. de. Educação Ambiental: a conscientização sobre o destino de resíduos sólidos, o desperdício de água e o de alimentos no município de Cametá/PA. Rev. Bras. Estud. Pedagog, v.100, n.255, pp.481-500. 2019.

ANANINDEUA. Lei nº 2.666, de 30 de abril de 2014. Dispõe sobre a criação da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos – SEURB, do Município de Ananindeua, e dá outras providências. Disponível em:< http://www.ananindeua.pa.gov.br/public/arquivos/legislacao/LEI_No._2.666_DE_30_DE_ABRIL_DE_2014.pdf>. Acesso em: 20 mar.2021.

BONJARDIM, E. C; PEREIRA, R. S.; GUARDABASSIO, E. V. Análise bibliométrica das publicações em quatro eventos científicos sobre gestão de resíduos sólidos urbanos a partir da Política Nacional de resíduos Sólidos – Lei nº 12.305/2010. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, v. 46, p. 313-333, 2018.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2020.

COSTA, R. G. S.; COLESANTI, M. M. A contribuição da percepção ambiental nos estudos das áreas verdes. Raega - O Espaço Geográfico em Análise, Curitiba,v. 22, p. 238 –251, 2011.

GAMA, A. S. M.; FERNANDES, T. G.; PARENTE, R. C. P.; SECOLI, S. R. Inquérito de saúde em comunidades ribeirinhas do Amazonas, Brasil. Cad. Saúde Pública, v. 34, n.2, p.1-16, 2018.

GARCIA FILHO, B. F., MELO, I. B. N., & MARQUES, S. C. M. Percepção ambiental: consciência e atitude em escolas do ensino fundamental do município de Jaboticabal (SP). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v. 11, n. 4, p.162-173. 2016.

GIL, A. C. Metodologia do ensino superior. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2012

GONÇALVES, J. S. Dos. Diagnóstico da limpeza e análise da percepção sanitária e ambiental dos feirantes na feira livre do Planalto, Natal-RN. 130 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. Natal. 2017.

HOLANDA, R. O et al. GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA FEIRA DO MERCADÃO 2.000, EM SANTARÉM - PA. Anais do VIII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, Campo Grande- Ms, v. 01, n. 01, p. 1-4, nov. 2017. Disponível em: <https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2017/III-052.pdf>. Acesso em: 11 jun. 2020.

MAGALHÃES, V. A; FERREIRA, K. S; CAVALCANTE, L. C. Feiras móveis: uma perspectiva histórica comparativa com as feiras medievais. Extensão em Ação, Ceará, v. 14, n. 2, p. 7-20, 2017.

MONTEIRO, M. M. G.; TETTO, A. F.; BIONDI, D.; SILVA, R. R. S. Percepção dos usuários em relação à arborização da Avenida Cândido de Abreu -Curitiba -PR. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v. 8, n. 2, p. 20-34, 2013.

PEDRAZA, D. F.; SALES, M. C.; MENEZES, T. N. Fatores associados ao crescimento linear de crianças socialmente vulneráveis do Estado da Paraíba, Brasil. Ciência e saúde coletiva, v. 21, n.3, p. 935-945, 2016.

PEREIRA, A. S., SHITSUKA, D. M., PARREIRA, F. J., SHITSUKA, R. Metodologia da pesquisa científica 1. ed. Santa Maria, RS: UFSM, 2018.

QUERINO, L. A. L., PEREIRA, J. P. G., & BARROS, M. K. L. V. (2018). Análise da percepção dos moradores de São Sebastião de Lagoa de Roça (PB) quanto a redução, reutilização e reciclagem de resíduos sólidos. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v. 13, n .2, p.228-245.

QUEVEDO, A. L. A. de; LEOTTI, V. B; GOULART, B. N G. de. Análise da prevalência de perda auditiva autodeclarada e fatores associados: informante primário versus proxy. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 33, n. 6, 2017.

RAIOL, I., CASTRO, L., & NEVES, D. Diagnóstico do gerenciamento de resíduos sólidos na feira livre 8 de maio no distrito administrativo de Icoaraci em Belém –Pará. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 8, n. 4, p. 182-198, jan. 2020.

RIBEIRO, M. M et al. O processo de urbanização e seus reflexos na geração de resíduos sólidos urbanos em Belém do Pará, Amazônia, brasil. Educação Ambiental em Ação, NI, v, n. 68, p. 1-18, jul. 2019.

ROSA, C.L.S.; SOUZA, B.N.C., ARAÚJO, A.R.R.; COSTA, C.E.A.S.; AGUIAR, A.F. Análise da gestão de resíduos sólidos em feiras livres da Amazônia. UNISANTA Bioscience, v. 8, n, 4, p. 349-363, 2019.

SAATH, K. C. O; FACHINELLO, A. L. Crescimento da demanda mundial de alimentos e restrições do fator terra no Brasil. Rev. Econ. Sociol. Rural, v.56, n.2, p.195-212, 2018.

SANTOS, A. G. M.; SANTOS, M. C. M. Uma análise da percepção ambiental dos alunos da Escola Maria Menina de Alagoa Grande - PB. Educação Ambiental em Ação, v. 53, p. 2134, 2015.

SOUSA, C. A. F.; ALVES, A. F.; ANDRADE, T. M.; NICODEMO, S. C. T. E S.; VITORINO, G. O. A percepção ambiental de atores sociais de escolas públicas e privadas, em um bairro de João Pessoa (PB). Revista Brasileira De Educação Ambiental, v. 12, n.4, p-180-191, 2017.

SOUZA, C. R. As feiras livres como lugares de produção cotidiana de saberes do trabalho e educação popular nas cidades: alguns horizontes teóricos e analíticos no campo trabalho-educação. Trabalho Necessário, v.3, n. 22, p. 126-144, 2015.

SOUZA, G. M. et al. O estudo da geração de resíduos sólidos orgânicos: na feira da prata da cidade de campina grande. Revista Brasileira de Gestão Ambiental. Pombal-pb, v. 11, n. 1, p. 162-167, dez. 2017.

SOUZA, J. B.; RIBEIRO, K. V.; BATISTA, M. de S.; SANTOS, k. P. Feirantes do extremo sul piauiense: percepção ambiental e produção de resíduos sólidos. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 2, p. 259–276, 2021.

VAZ, L. M. S.; COSTA, B. N.; GUSMÃO, O. S.; AZEVEDO, L. S. Diagnóstico dos resíduos sólidos produzidos em uma feira livre: o caso da feira do Tomba. Sitientibus, Feira de Santana, n.28, p. 145-159, jan/jun. 2003.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5 ed. São Paulo: Bookman, 2015.

ZANELLA, L. C. H. Metodologia de pesquisa. 2. ed. reimp. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração-UFSC, 2013.

Downloads

Publicado

2021-08-01

Como Citar

Brito, F. S. L., & Braga, R. L. . (2021). Percepção ambiental dos feirantes em relação aos resíduos sólidos gerados no mercado central de Ananindeua (PA). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(4), 434–450. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.12019

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2021-04-16
Aceito em 2021-05-25
Publicado em 2021-08-01