Educação Ambiental, democracia e pedagogia freireana: uma possível articulação no contexto da Ilha de Bubaque (Guiné-Bissau)

Autores

  • Loriana Guimarães Borges do Canto Moreira Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11923

Palavras-chave:

Guiné-Bissau; Educação Ambiental; Democracia; Pedagogia Freireana

Resumo

A Ilha de Bubaque, assim como as demais ilhas pertencentes ao Arquipélago das Bijagós (Guiné-Bissau), contempla cotidianamente o isolamento, o esquecimento e a exposição clamorosa de suas vulnerabilidades enquanto anela por voz, dignidade e justiça social. O presente artigo parte de uma pesquisa de mestrado em andamento e objetiva, através dos dados expostos a seguir, anunciar a efetiva similitude conexa presente nos conceitos democráticos e político-pedagógicos freireanos e nos conceitos que permeiam a Educação Ambiental num enfoque emancipatório, como potenciais articuladores de reumanização da comunidade insular de Bubaque a partir de sua implementação conjunta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BALLESTRIN, L. América Latina e o Giro Decolonial. Brasília: Revista Brasileira de Ciência Política, n. 11, p. 89-117, 2013.

BONASSINA, A.L.B.; KUROSHIMA, K.N. Impactos do Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária: instrumento de transformação socioambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n. 1, p.163-180, 2021.

BRUNDTLAND, G.H. Nosso Futuro Comum: comissão mundial sobre meio ambiente e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Instituto de Documentação Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1988.

CARIDE, J.A.; MEIRA, P.A. Educación Ambiental y Desarrollo Humano. 1ª ed., Barcelona: Ed. Ariel Educación, 2001.

CARVALHO, I.C.M. Educação Ambiental Crítica: nomes e endereçamentos da educação. In: LAYRARGUES, P.P. (Org.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 13-24.

CHAUÍ, M. Cultura e Democracia. 2ªed. Salvador: Secretaria de Cultura, 2012.

CRUZ, G.A. Direito do Ambiente e Teoria da Normação na Guiné-Bissau: de uma teoria do Direito do Ambiente guineense ao seu contributo para a teoria e prática da normação na Guiné-Bissau. UICN Serviço de Publicação. Alemanha: Estudo de Política e Ambiente da UICN, N.42, 2000.

FARIA, J.H. Por Uma Teoria Crítica da Sustentabilidade. ResearchGate, 2018. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/325999231_POR_UMA_TEORIA_CRITICA_DA_SUSTENTABILIDADE>. Acesso em: 15/08/2021.

FREIRE, P. Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. 2ª ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.

FREIRE, P. Educação Como Prática da Liberdade. 23ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

FREISLEBEN, P.A. A Educação Ambiental na Perspectiva Dialética Materialista. Mato Grosso: Revista Eletrônica Geoaraguaia, vol. 3, n.2, p 100-112, 2013.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, P.P. (Org.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 25-34.

JACOBI, P.R.; TRISTÃO, M.; FRANCO, M.I.G.C. A Função Social da Educação Ambiental nas Práticas Colaborativas: participação e engajamento. Campinas: Cad. Cedes, vol. 29, n. 77, p. 63-79, 2009.

JACOBI, P.R. Educação Ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. São Paulo: Educação e Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 233-250, 2005.

LAYRARGUES, P.P. (Re)Conhecendo a Educação Ambiental Brasileira. In: LAYRARGUES, P.P. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 7-9.

LOUREIRO, C.F.B. Complexidade e Dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em Educação Ambiental. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 94, 2006.

LOUREIRO, C.F.B. Educação Ambiental Transformadora. In: LAYRARGUES, P.P. (Org.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 65-84.

MADEIRA, J.P. Bijagos Archipelago: impacts and challenges for environmental sustainability, Grajaú/MA, InterEspaço, v.2, n.5 p. 291-305, 2016.

MORALES, A.G.M. Processo de Institucionalização da Educação Ambiental. Curitiba: Cadernos Temáticos da Diversidade 1. Paraná: Secretaria de Estado da Educação – SEED, 2008.

OLIVEIRA, A.L.A.; CARVALHO, F.M.; OLIVEIRA, F.F.; OLIVEIRA Jr, A.F.O; MOREIRA, S.M. Inovação em Educação Ambiental: um estudo de caso sobre a trilha dos sentidos do Parque Estadual Mata do Limoeiro. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n. 3, p.429-438, 2021.

PANZO, T.I Educação Ambiental nos países lusófonos e a sua contribuição para um desenvolvimento sustentável. In: Confluências de culturas no mundo lusófono -XXVII Encontro Associação das Universidades de Língua Portuguesa CAMPINAS, BRASIL, 2017.

PERNAMBUCO, M.M.; SILVA, A.F.G. Paulo Freire: a educação e a transformação do mundo. Ed. Eletrônica. Brasília: Ministério da Educação, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao4.pdf Acesso em: 10/11/2020.

POLET, F.; BARROS, M.; RAMOS, E. Dinâmicas e Impactos da Expansão do Turismo no Arquipélago dos Bijagós Guiné-Bissau: IMVF e Tiniguena, 2011. Disponível em: https://issuu.com/imvf/docs/dinamicas_e_impactos_da_expansao_do_turismo Acesso em: 15/07/2021.

SEN, A.K. Desenvolvimento Como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SORRENTINO, M.; TRAJBER, R.; MENDONÇA, P.; FERRARO Junior, L.A. Educação Ambiental Como Política Pública. Educação e Pesquisa, v.31, n.2, pp.285-299.

SUCUMA, A. Breve Histórico Sobre a Construção do Estado da Guiné-Bissau. Pernambuco: Cadernos de História da UFPE - Revista do Departamento De História da Universidade Federal de Pernambuco, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/cadernosdehistoriaufpe/article/view/110099 ISSN: 2594-3766. Acesso em: 10/11/2020.

TEIXEIRA, C. Educação e Desenvolvimento Sustentável na Agenda 21 Brasileira. Goiás: Revista Inter-Ação, n. 33, p. 31-48, 2008.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Moreira, L. G. B. do C. (2021). Educação Ambiental, democracia e pedagogia freireana: uma possível articulação no contexto da Ilha de Bubaque (Guiné-Bissau). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(5), 270–287. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11923

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2021-03-22
Aceito em 2021-06-21
Publicado em 2021-10-01