Cartilha educativa com propostas de inserção das lagoas de Feira de Santana no ensino de Ciências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11563

Palavras-chave:

Lagoas; Cartilha; Educação Ambiental.

Resumo

Considerando a relevância ambiental e contextual da abordagem das lagoas de Feira de Santana na educação básica, este estudo teve como objetivo, construir uma cartilha com propostas para inserção dessas lagoas no ensino de Ciências. Para isso, descreveu-se a situação ambiental das lagoas, e elencou-se os conteúdos para a produção da cartilha. Foram construídas cinco propostas envolvendo atividades teóricas e práticas sobre a importância das lagoas, teia alimentar, meio ambiente e saúde pública, e elaboração de um projeto de recuperação de uma lagoa. Esse material apresenta potencial para ser utilizado nas escolas dado o seu aporte teórico e metodológico para a Educação Ambiental contínua, não apenas em momentos pontuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda da Silva Souza, Universidade Estadual de Feira de Santana

Licenciada em Ciências Biólogicas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Técnica de nível médio em Biocombustíveis no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) Campus Irecê, Bahia. Foi Voluntária (Iniciação Científica) no Laboratório de Pesquisa em Microbiologia (LAPEM) na Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia. Foi Diretora de Projetos da Empresa Renova Ambiental Júnior/UEFS. Desenvolveu trabalhos de pesquisa sobre qualidade de água das lagoas de Feira de Santana e de extensão sobre educação ambiental nas escolas.

Taise Bomfim de Jesus, Universidade Estadual de Feira de Santana

Possui graduação em Biologia pela Universidade Católica do Salvador (2001), mestrado em Geoquímica e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Bahia (2005) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (2009). Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Estadual de Feira de Santana. Tem experiência na área de Geoquímica Ambiental e Ecologia, com ênfase em Ecotoxicologia e Biomonitoramento, atuando principalmente nos seguintes temas: bioindicadores, biomarcadores, manguezais, metais pesados e monitoramento ambiental.

Leila Thaise Santana de Oliveira Santos, Secretaria de Educação Bahia

Doutora em Biotecnologia (2017), pelo PPGBIOTEC- UEFS, em pesquisas com Ênfase Bactérias Biorremediadoras de Metais Pesados. Mestre em Ciências Ambientais (2013), pelo PPGM-UEFS, com ênfase em Geoquímica Ambiental e Geotecnologias. Bióloga (UEFS 2010). Ministra aulas de Biologia, Ciências e Química desde 2009 na rede Estadual de Ensino como funcionária pública efetiva, lecionou em Instituição Privada (2007-2008), Ministrou aulas de Educação Ambiental e Mineralogia, Petrologia e Petrografia no SENAI de Feira de Santana (2009-2012), Ensinou aulas de Ecologia, Ciências e Biologia no Curso IDEAL de Feira de Santana (2008-2011) e Ministrou aulas de Mineração e Meio Ambiente no CEEP-CETEB em Feira de Santana (2013).

Referências

ABÍLIO, F.J.P. Ética, Cidadania e Educação Ambiental. In: ANDRADE, M.O. (org.). Meio Ambiente e Desenvolvimento: bases para uma formação interdisciplinar. João Pessoa, PB: Editora Universitária da UFPB, 2008.

ANA. Agência Nacional de Águas. Relatório Atlas Esgoto. 2017. Disponível em: <http://atlasesgotos.ana.gov.br/>. Acesso: 10 Abr 2021.

BRASIL, Resolução n. 357, de 17 de março de 2005. Classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 18 mar. 2005.

BRASIL. Identidades da Educação Ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. 156 p.

BRASIL. Ministério da Educação e Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio Ambiente (terceiro e quarto ciclo do ensino fundamental). 1998. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencias.pdf>. Acesso em 23 Jan. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. BNCC (terceira versão). Dezembro, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em 15 Mai. 2019.

CAMARGO, D. O ensino da Educação Ambiental através da ludicidade: atividades lúdicas para os anos iniciais do ensino fundamental. Anais... In: Fórum Internacional de Pedagogia, Santa Maria, Rio Grande do Sul, 8 p. 2014.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Editora Cultrix: São Paulo, 2006, 249 p.

FEIRA DE SANTANA. Lei nº 3.326, de 05 de junho de 2012. Aprova o plano municipal de educação de Feira de Santana, e dá outras providências. Leis Municipais, 26 Mar. 2013.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População estimada Feira de Santana. 2021. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ba/feira-de-santana.html>. Acesso em 15 Jul 2021.

IVIC, I. Lev Semionovich Vygostsky: ensaio. Recife: Editora Massangana, 2010.

JACOBI, P. Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de pesquisa. Março, 2003, n. 118, p. 189-205

LAYRARGUES, P.P. Educação para a Gestão Ambiental: a cidadania no enfrentamento político dos conflitos socioambientais. In: LOUREIRO, C.F.B., LAYRARGUES, P.P.; CASTRO, R. S. de (orgs). Sociedade e Meio Ambiente: A Educação Ambiental em Debate. São Paulo: Cortez, 2000.

LEITE, A.E.B. Simulação do lançamento de esgotos domésticos em rios usando um modelo de qualidade d’água, SisBAHIA. 2004. 94f. Dissertação (mestrado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública, Fiocruz, Rio de Janeiro, 2004.

LOBÃO, J.S.B.; MACHADO, R.A.S. Avaliação multi-temporal, da ocupação das Lagoas urbanas de Feira de Santana-BA, por meio de Sistema de Informação Geográfica. Anais... In: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Goiânia. Abr, 2005.

MACHADO, M.F.R.C.; MATOS, E.L.M. O planejamento e uso dos recursos didáticos tecnológicos no apoio às aulas expositivas. In: FERREIRA, J.L. (Org.). Formação de Professores: Teoria e Prática Pedagógica. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 148-170.

MARTINS, L.; SANTOS, G.S.; EL-HANI, C.N. Abordagens de saúde em um livro didáticos de biologia largamente utilizado no ensino médio brasileiro. Investigações em ensino de ciências, v.17, n.1, p.249-283, 2012.

NASCIMENTO, G.M. et al. A cartilha como instrumento de apoio didático: uma abordagem sobre os invertebrados da caatinga. Revista brasileira de Educação Ambiental, v.15, n.6, 17-51, 2020.

NETO, J.M.; FRACALANZA, H. O livro didático de ciências: problemas e soluções. Ciência e Educação, v.9, n.2, p. 147-157, 2003.

NUNES, V.J. 2012. 44f. Determinação de metais pesados (Mn, Cd, Cr, Cu, Pb) em espécies de peixes presentes na Lagoa Salgada – Feira de Santana. Monografia (Graduação em Ciências Biológicas) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2012.

OLIVEIRA, A.J.; et al. Coliformes termotolerantes: bioindicadores da qualidade da água destinada ao consumo humano. Atas de Saúde Ambiental, v.3, p. 24-29, 2015.

OLIVEIRA, D.K.; ANTUNES, M.S.; SOARES, B.M. Saída de campo: atividade que possibilita explorar uma diversidade de conteúdos no meio ambiente. Anais... In: II Congresso Internacional de Educação Científica e Tecnológica, Santo Angelo, 2012.

PERONI, N.; HERNÁNDEZ, M.I.M. Ecologia de populações e comunidades. Florianópolis: CCB/EAD/UFSC. 125p. 2011.

PRIMACK, R.B.; RODRIGUES, E. Biologia da conservação. Editora Planta. 327p. 2001.

PRUDÊNCIO, C.A.; GUIMARÃES, F.J. A contextualização no ensino de ciências na visão de licenciandos. Anais... In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2017.

RABELO, R.C.; GUTJAHR, A.L.N.; HARADA, A.Y. Metodologia do processo de elaboração da cartilha educativa “O papel das formigas na natureza”, Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, v.11, n.21, p. 2769-2777, 2015.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental. Editora Brasiliense. 112p. 2001.

SANTO, S.M. O desenvolvimento urbano em Feira de Santana, Sitientibus, v.1, n.28, p. 9-20, 2003.

SANTOS, J.D. et al. Artes plásticas e Educação Ambiental: uma reflexão e sensibilização interdisciplinar. Revista monografias ambientais, v.14, n.1, p.123-135, 2015.

SCHALL, V.T.; DINIZ, M. C. P. Information and Education in Schistosomiasis Control; an Analysis of the situation in the State of Minas Gerais, Brazil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 96, p. 35-43, 2001.

VASCONCELOS, C.; PRAIA, J.F.; ALMEIDA, L.S. Teorias de aprendizagem e o ensino/aprendizagem das ciências: da instrução à aprendizagem. Psicologia escolar e educacional, v.7, n.1, p. 11-19, 2003.

VIVEIRO, A.A.; DINIZ, R.E.S. As atividades de campo no ensino de ciências: reflexões a partir das perspectivas de um grupo de professores. In: NARDI, R. (org.) Ensino de ciências e matemática. São Paulo: Cultura Acadêmica, 258p. 2009.

VYGOSTSKY, L. A formação social da mente. 4ª ed. São Paulo, Martins Fontes, 1991.

VYGOSTSKY, L. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos superiores. São Paulo, Martins Fontes, 1988.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed. 224p. 1998.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Souza, A. da S., Jesus, T. B. de, & Santos, L. T. S. de O. (2021). Cartilha educativa com propostas de inserção das lagoas de Feira de Santana no ensino de Ciências. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(5), 27–45. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11563

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido em 2020-12-14
Aceito em 2021-07-14
Publicado em 2021-10-01