O jardim de infância do colégio Nossa Senhora de Lourdes, Farroupilha/RS (décadas de 1930 e 1950)

Memórias de práticas escolares

Palavras-chave: Instituição escolar, Jardim da infância, Práticas escolares

Resumo

O colégio Nossa Senhora de Lourdes é uma instituição confessional inaugurada em 1917 pelas ir- mãs de São Carlos Borromeo Scalabrinianas, Farroupilha, Rio Grande do Sul. Criada como escola primária passou gradualmente a acolher o jardim de infância. Neste artigo, perscrutamos indícios das práticas escolares do jardim de infância, nas décadas de 1930 e 1950, na referida instituição. Os pressupostos teóricos são auferidos pela História Cultural e História da Educação e como cate- goria de análise as culturas escolares e como foco as práticas escolares. A metodologia utilizada é análise documental histórica e História Oral. Os documentos foram narrativas de duas professoras religiosas e acervo pessoal de Raul Pedro Tartarotti. As práticas escolares lembradas apontam para atividades como música, teatro, literatura infantil e uso de diversos materiais didáticos, além dos rituais das orações. Representações de práticas escolares vivenciadas em uma instituição es- colar confessional e realizadas por professoras religiosas que assumiram como missão, o educar.

Métricas

Carregando métricas...

Biografia do Autor

Gisele Belusso, Universidade de Caxias do Sul

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Caxias do Sul, bolsista CAPES. Mestra em Educação(2016) com ênfase no campo da História da Educação, no eixo das instituições escolares, e graduação em Pedagogia(2006) pela mesma instituição. Integrante da Associação Nacional de Pós-Graduacão e Pesquisa em Educação(ANPED), da Associação Nacional de História (ANPUH), da Associação Sul-Riograndense de Pesquisadores em História da Educação (ASPHE). Participante do grupo de pesquisa História da Educação Imigração e Memória da Universidade de Caxias do Sul (GRUPHEIM). Os principais temas de interesse na História da Educação são: instituições escolares, ensino primário, ensino confessional, culturas e práticas escolares, memória e a atuação das municipalidades na oferta pública educacional. Possuo experiência na área da educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental.

Terciane Ângela Luchese, Universidade de Caxias do Sul

Possui graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade de Caxias do Sul (1997), mestrado em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2001) e doutorado em Educação - Linha de Pesquisa Currículo, Cultura e Sociedade, UNISINOS (2008). É professora da Universidade de Caxias do Sul, atua na graduação e nos Programas de Pós-Graduação em História e no de Pós-Graduação em Educação - Curso de Mestrado e Doutorado, tendo sido coordenadora do PPGEdu/UCS (2013 - 2017). É bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq desde 2013. Integra a rede transnacional TRANSFOPRESS (França - Brasil). Lidera o Grupo de Pesquisa História da Educação, Imigração e Memória (GRUPHEIM) e participa do grupo de pesquisa Educação no Brasil: memória , instituições e cultura escolar. É associada da SBHE, ASPHE, ANPED e ANPUH. É membro associado do Instituto Histórico de São Leopoldo. Foi presidente da Associação Sul-rio-grandense de Pesquisadores em História da Educação (ASPHE) no biênio 2015 - 2017. Integra o Observatório de Educação na UCS. É suplente no Comitê de Assessoramento Educação e Psicologia da FAPERGS (2017 - 2019). É editora associada da Revista Brasileira de História da Educação. Tem experiência na área de Educação e História, com ênfase em História da Educação e Ensino de História, atuando principalmente nos seguintes temas de pesquisa: processo escolar, instituições escolares, cultura escolar, memórias da educação, etnia, história regional, escolarização entre imigrantes e ensino de História. Trabalhou em programas sociais de atendimento a crianças e adolescentes, inclusive coordenando projeto financiado pelo CNPQ. Foi professora da educação básica na rede pública municipal e particular.

Referências

ALBERTI, Verena. Histórias dentro da história. In: PINSKY, Carla Bassanesi. Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p. 155 – 202.

BELUSSO, Gisele. Colégio Nossa Senhora de Lourdes, Farroupilha/RS: Histórias de sujeitos e práticas (1922-1954). 2016. 233 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Caxias do Sul, Programa de Pós-Graduação em Educação, Caxias do Sul, 2016.

BELUSSO, Gisele e LUCHESE, Terciane Ângela. Memórias de uma religiosa-professora: representações do cotidiano escolar do Colégio Nossa Senhora de Lourdes, Farroupilha/RS (1951-1962). Licencia&acturas – (ISEI). v.4, n.6, p.50-59, jul./dez. 2016.

BOTO, Carlota. A escola primária como rito de passagem. Ler, escrever, contar e se comportar. Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

BURKE, Peter. O que é a história cultural? Tradução de Sergio Goes de Paula. 2.ed. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2008.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do cotidiano: 1.artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 22 ed. Petropólis, RJ: Vozes, 2014.

CHARTIER, Anne- Marie. Fazeres ordinários da classe: uma aposta para a pesquisa e para a formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.26, n.2, jul./dez. 2000. p. 157-168. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ep/v26n2/a11v26n2.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2019.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Tradução de Marcia Manuela Galhardo. 2. ed. Lisboa: Difusão Editorial, 2002.

DE BONI, Luís A. O catolicismo da imigração: do triunfo à crise. In: DACANAL, José H. (org.). RS: Imigração e Colonização. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1980, p. 234 - 255.

ERRANTE, Antoniette. Mas afinal a memória é de quem? Histórias orais e modos de lembrar e contar. História da Educação, ASPHE/Fa/UFPEL, Pelotas:ASPHE, v.4, n.8, p.141-174, set.2000. Disponível em:<http://www.ser.ufgrs.br/asphe/article/view/30143/0>.Acesso em 20 jun. 2019.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros. Verdadeiro, falso, fictício. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

HALBWACHS, Maurice. A memória Coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. 2 ed. São Paulo: Centauro, 2003.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto historiográfico. Tradução de Gizele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação, n.1, p.9-44, jan./jun. 2001. Disponível em: http://www.rbhe.sbhe.org.br/index.php/rbhe/article/view/273. Acesso em: 15 abr. 2019.

LUCHESE, Terciane Ângela. Modos de fazer história da Educação: pensando a operação historiográfica em temas regionais. Revista História da Educação. v.18, n.43. p.145-161. Porto Alegre: mai./ago. 2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/heduc/v18n43/09.pdf>. Acesso em: 22 abr. de 2015.

LUCHESE, Terciane Ângela. História das instituições escolares, um olhar teórico-metodológico. In: LUCHESE, Terciane Ângela; FERNANDES, Cassiane C. e BELUSSO, Gisele (org.). Instituições, Histórias e Culturas Escolares. Caxias do Sul: EDUCS, 2018, p. 55 – 68.

NUNES, Maria J. Rosado. Freiras no Brasil. In: PRIORE, Mary del (org.). História das mulheres no Brasil. 7ª ed. São Paulo: Contexto, 2004, p. 482 – 509.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História e história cultural. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PORTELLI, Alessandro. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

SAVIANI, Demerval. História das Ideias Pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

SCARIOT, Eléia. Centelhas de vidas escondidas. Caxias do Sul: Lorigraf, 2006. Vol. II.

SIGNOR, Lice Maria. Irmãs Missionárias de São Carlos, Scalabrinianas – 1895 - 1934. Brasília: CSEM, 2005.

SIGNOR, Lice Maria. Irmãs Missionárias de São Carlos, Scalabrinianas – 1934-1971. Brasília: CSEM, 2007.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Sistemas educativos, culturas escolares y reformas. España: Editora Morata, 2002.

ENTREVISTAS

SEGANFREDO, Amantina. Entrevista concedida a Gisele Belusso. Caxias do Sul, 10 de dezembro de 2015. Entrevista.

SEGANFREDO, Mafalda; SEGANFREDO, Rosalina Seganfredo. Entrevista concedida a Gisele Belusso. Caxias do Sul, 10 de dezembro de 2015. Entrevista.

Documentos acessados no Arquivo da Secretaria da Província Imaculada Conceição – Caxias do Sul/RS.

Ficha de pessoal de Maria Cleufe Ferronato.

Curriculum Vitae de Maria Cleufe Ferronato.

Documentos do acervo escolar do Colégio Nossa Senhora de Lourdes

Publicação comemorativa ao cinquentenário do Colégio Nossa Senhora de Lourdes, 1967.

Documentos do acervo pessoal de Raul Pedro Tartarotti

Atividade do Jardim de Infância do Colégio Nossa Senhora de Lourdes, 1936

Boletim Escolar do Jardim de Infância, primeiro trimestre, 1936.

Publicado
2019-11-27
Como Citar
Belusso, G., & Luchese, T. Ângela. (2019). O jardim de infância do colégio Nossa Senhora de Lourdes, Farroupilha/RS (décadas de 1930 e 1950). Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 7(3), 70-85. https://doi.org/10.34024/olhares.2019.v7.9690