A DEFICIÊNCIA SOB A ÓTICA CURRICULAR: INTERFACES COM A EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Marcia Torres Neri Soares Universidade do Estado da Bahia e Secretaria Municipal de Feira de Santana - Bahia

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2016.v4.559

Resumo

Adentrar no debate sobre a organização curricular em atendimento às necessidades de estudantes com deficiência nas classes comuns de ensino é uma das oportunidades mais ricas para a caracterização de processos educacionais inclusivos. Desse modo, o presente texto tem por objetivo discutir a deficiência sob a ótica da organização curricular, especialmente na Educação Infantil. Com base em levantamento teórico realizado, consideramos as possibilidades de contribuir ao debate, tendo em vista a defesa do modelo social da deficiência. O estudo revelou a importância da demarcação do tema no campo da Educação Infantil, bem como a superação de práticas assistencialistas e a garantia de condições de acesso ao conhecimento escolar por quaisquer crianças. A inclusão do estudante com deficiência é um desafio que se impõe aos contextos educacionais e, incontestavelmente, situa-se como tarefa de todos os envolvidos com processos de escolarização, desde a mais tenra idade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Torres Neri Soares, Universidade do Estado da Bahia e Secretaria Municipal de Feira de Santana - Bahia

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Coordenadora da Proposta Curricular da rede municipal de Feira de Santana. Professora da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Campus XXI- Ipiaú.

Downloads

Publicado

2016-11-29

Como Citar

Soares, M. T. N. (2016). A DEFICIÊNCIA SOB A ÓTICA CURRICULAR: INTERFACES COM A EDUCAÇÃO INFANTIL. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 4(2), 38–55. https://doi.org/10.34024/olhares.2016.v4.559