CRIANÇAS NEGRAS E CULTURAS INFANTIS: APORTES PARA A DESCOLONIZAÇÃO DAS INFÂNCIAS

Autores

  • Ellen Gonzaga Lima Souza Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2016.v4.556

Resumo

O presente artigo aborda as práticas sociais que envolvem as crianças negras e as produções de culturas infantis, por meio das pesquisas de Souza (2012; 2016), que se referem, respectivamente, às compreensões de infâncias de crianças negras, por professoras de educação infantil, e produção de culturas infantis em um terreiro de candomblé. Lança um convite para a reflexão sobre as compreensões plurais de infâncias, visando trazer aportes para a construção de pedagogias descolonizadoras, destacando os conceitos de ancestralidade, corporalidade e oralidade; afim de que colaborem para a equidade na educação infantil e inspirem novas políticas públicas de superação do racismo e distorções que transformam diferenças em desigualdades.

 

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ellen Gonzaga Lima Souza, Universidade Federal de Lavras

Pedagoga, Mestre em Educação e Doutora em Educação pela UFSCar

Downloads

Publicado

2016-11-29

Como Citar

Souza, E. G. L. (2016). CRIANÇAS NEGRAS E CULTURAS INFANTIS: APORTES PARA A DESCOLONIZAÇÃO DAS INFÂNCIAS. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 4(2), 24–37. https://doi.org/10.34024/olhares.2016.v4.556