FORMAÇÃO CONTINUADA E POLÍTICAS EDUCACIONAIS: RELAÇÃO DE UM GRUPO DE PEDAGOGAS COM A PROGRESSÃO CONTINUADA

Autores

  • Anoel Fernandes PUC/SP

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2014.v2.259

Resumo

O presente estudo tem por objetivo verificar se a formação continuada realizada por um grupo de professoras atuantes no ciclo I da rede pública estadual paulista interfere nas percepções que possuem sobre a política educacional que, no ano de 1998, organizou o ensino em ciclos com progressão continuada. O referencial teórico para análise dos dados é à teoria critica da sociedade. Busca-se responder a seguinte questão: de que maneira a formação continuada interfere nas percepções de professoras atuantes no ciclo I da rede pública estadual paulista sobre a organização do ensino em ciclos com progressão continuada? Como procedimento de pesquisa, aplicou-se um questionário para 37 professoras. Os dados apontaram que a formação continuada das professoras é realizada, em sua maior parte, pelo próprio lócus de trabalho em que estão inseridas.  Tais dados, ao serem cotejados com o referencial adotado, sublinham que a formação no âmbito do trabalho é pseudoformação por ser uma formação voltada para atender  às demandas do sistema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Anoel Fernandes, PUC/SP

Doutorando em Educação: história, política, sociedade. PUC/SP

Downloads

Publicado

2014-11-30

Como Citar

Fernandes, A. (2014). FORMAÇÃO CONTINUADA E POLÍTICAS EDUCACIONAIS: RELAÇÃO DE UM GRUPO DE PEDAGOGAS COM A PROGRESSÃO CONTINUADA. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 2(2), 86–110. https://doi.org/10.34024/olhares.2014.v2.259