CONCEPÇÕES DE LINGUAGEM E AVALIAÇÃO DO ALUNO COM DIAGNÓSTICO DE DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Autores

  • Catia de Azevedo Fronza Unisinos (RS)
  • Cassiano Ricardo Haag UNISINOS
  • Andréia Gulielmin Didó Escola Especial para Surdos Frei Pacífico

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2014.v2.198

Resumo

Neste artigo, trazemos discussões sobre a avaliação na escola, voltando-nos ao que temos chamado de contexto de diferenças. Inicialmente, compartilhamos reflexões acerca da avaliação no processo de ensino-aprendizagem, apontamentos sobre concepções de avaliação e algumas de suas consequências. Dando continuidade ao texto, propomos uma discussão sobre a avaliação do indivíduo com suspeita e/ou diagnóstico de deficiência intelectual. Essa discussão traz a avaliação da deficiência intelectual a partir da definição postulada pela American Association on Intellectual and Developmental Disabilities (AAIDD), problematizando-a no sentido de compreender de que maneira a concepção de linguagem interfere na reflexão sobre a definição de deficiência intelectual. Por meio dessas ponderações, colocamos algumas de nossas inquietações e perspectivas, cientes de que há muito mais a discutir sobre o contexto de diferenças e a avaliação nesse cotidiano escolar.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Catia de Azevedo Fronza, Unisinos (RS)

Possui graduação em Letras Português-Inglês, pela Fundação Educacional da Região dos Vinhedos (1991), Mestrado em Letras (1994) e Doutorado em Letras (1999), pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, com área de concentração em Linguística Aplicada. É docente do Curso de Letras, do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em aquisição da linguagem, aquisição da fonologia, atuando principalmente nos seguintes temas: aquisição da fala, aquisição/aprendizagem da escrita e implicações desses processos no ensino e na aprendizagem de línguas, considerando a educação de surdos e especificidades linguísticas no âmbito da educação inclusiva.

Cassiano Ricardo Haag, UNISINOS

Graduado em Letras pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2006). Mestre e doutorando em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da UNISINOS. Editor da Revista Virtual de Estudos da Linguagem - ReVEL. Pesquisa as relações entre o desenvolvimento da linguagem e a deficiência intelectual. Tem particular interesse pela construção discursiva sobre a deficiência intelectual e suas representações. Como metodologias de pesquisa, interessa-se pelo uso de jogos digitais e pela produção de narrativas orais. Assume uma perspectiva sociointeracionista de concepção de linguagem.

Andréia Gulielmin Didó, Escola Especial para Surdos Frei Pacífico

É graduada em Letras pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2009). Possui Mestrado em Linguística Aplicada pela mesma instituição (2012). Sua dissertação de Mestrado analisou os Pareceres Descritivos de Língua Portuguesa de alunos surdos do Ensino Fundamental. Atualmente é professora da Escola Especial para Surdos Frei Pacífico e cursa pós graduação em Educação Especial. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: Língua Portuguesa, Surdos, Libras, Criança Surda e Avaliação.

Downloads

Publicado

2014-05-31

Como Citar

Fronza, C. de A., Haag, C. R., & Didó, A. G. (2014). CONCEPÇÕES DE LINGUAGEM E AVALIAÇÃO DO ALUNO COM DIAGNÓSTICO DE DEFICIÊNCIA INTELECTUAL. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 2(1), 194–221. https://doi.org/10.34024/olhares.2014.v2.198