TRABALHO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: reflexões a partir do estágio supervisionado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2023.v11.15417

Palavras-chave:

Pesquisa da educação, Contexto da Educação, Crítica da Educação

Resumo

Este artigo tem o objetivo de relatar e analisar o trabalho educativo desenvolvido em uma escola estadual do sul de Minas Gerais, no âmbito do Estágio Supervisionado realizado em um curso de Ciências Biológicas. Consideramos “trabalho” como atividade vital do ser humano e que, por meio dele, homens e mulheres transformam a natureza e a si mesmos. Valemo-nos da Pesquisa Qualitativa como fundamento de nossa investigação, com relatos a partir da observação participante, tomando as experiências vivenciadas como objeto de estudo. Amparados pela Pedagogia Histórico-Crítica e também de abordagens críticas sobre o Estágio Supervisionado na formação docente, observamos e discutimos elementos importantes à compreensão do trabalho educativo: as condições do trabalho docente; as práticas pedagógicas dentro de sala de aula e alguns de seus obstáculos; observações do ambiente para além da sala de aula; um projeto de horta desenvolvido na Escola; reflexões sobre a individualização das responsabilidades e os desafios para as  práticas pedagógicas; e, finalmente, o Projeto Político Pedagógico e sua articulação com o trabalho educativo. A partir dessas discussões, entendemos e defendemos o Estágio Supervisionado como atividade potente para vivência-reflexão do trabalho educativo, um importante momento para a construção da identidade, valorização e formação de docentes como intelectuais críticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Antonio de Oliveira Temoteo, Universidade Estadual de São Paulo - UNESP

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Lavras, é Mestre e Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Atualmente é docente da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais.

Susane Silva Tostes, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Ricardo Campos Queixas, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Bacharel e Licenciado em Educação Física, é Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Ambiental da Universidade Federal de Lavras – UFLA. Membro do Grupo JACI de Estudos em Educação Ambiental Crítica (UFLA) e do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental – GPEA (UNESP, Câmpus Bauru).

Marina Battistetti Festozo, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Licenciada em Ciências Biológicas, Mestre e Doutora em Educação para a Ciência, com ênfase em Educação Ambiental e Formação de Professores pelo PPG em Educação para a Ciência (UNESP, Bauru/SP). É docente no curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Lavras (UFLA), na área de Educação Científica e Ambiental.

Referências

BORDENAVE, Juan E. Diaz. O que é participação. 8 ed. São Paulo: Brasiliense, 1985. (Coleção Primeiros Passos)

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação 9394-96. LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm

CAVALCANTI, Cláudio José de Holanda; NASCIMENTO, Matheus Monteiro; OSTERMANN, Fernanda. A falácia da culpabilização do professor pelo fracasso escolar. Revista Thema, v. 15, n. 3, p. 1064-1088, 2018.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisas em ciências sociais e humanas. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

COSTA, Adriana Alves Fernandes; VARANI, Adriana. Do trabalho coletivo docente: o conceito revisitado (Teacher´ s working in group: the concept revisited). Crítica Educativa, v. 3, n. 1, p. 50-66, 2017.

DIESEL, Aline; BALDEZ, Alda Leila Santos; MARTINS, Silvana Neumann. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE-revista de administração de empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

INAF, Indicador de Analfabetismo Funcional, Analfabetismo no Brasil. 2023. Disponível em: https://alfabetismofuncional.org.br/alfabetismo-no-brasil/ Acesso em 06 jul. 2023.

KONDER, Leandro. O futuro da filosofia da práxis: o pensamento de Marx no século XXI. 2 ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1992.

KONDER, Leandro. O que é dialética. 28 ed. São Paulo: Brasiliense, 2008. (Coleção Primeiros Passos)

LEITE, Rita de Cássia Duarte; MARTINS, Pedro Saulo Rocha; PINHEIRO, Angela Maria Vieira. A Alfabetização no Brasil: caminhos a seguir para o ensino efetivo da leitura. Paidéia, v. 13, n. 19, 2018.

LOPES, Quenizia Vieira et al. A práxis enquanto categoria fundante na constituição da formação de professores sob a perspectiva da pedagogia histórico-crítica. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp.1, p. 0967–0980, 2022

MARX, Karl. Manuscritos econômicos-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. O Capital: crítica da Economia Política. Livro 1. São Paulo: Boitempo, 2015.

MORAES, Vinícius, O Operário Em Construção, Rio de Janeiro, 1959. Disponível em: http://www.viniciusdemoraes.com.br/pt-br/poesia/poesias-avulsas/o-operario-em-construcao. Acesso em: 09 Dez. 2017

NOBRE, Ricardo Holanda; SOUSA, José Alex; NOBRE, Cibelli De Sá Pinheiro. Uso dos Laboratórios de Informática em Escolas do Ensino médio e Fundamental no interior Nordestino. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 23, n. 03, p. 68, 2015.

PARO, Vitor Henrique. A utopia da gestão escolar democrática. Cadernos de pesquisa, n. 60, p. 51-53, 1987.

PIMENTA, Selma Garrido. Questões sobre a organização do trabalho na escola. In: BORGES, Abel S. et. al. (Org). A autonomia e a qualidade do ensino na escola pública. São Paulo: FDE, 1995. (Série Idéias, 16) Edição especial.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis, v. 3, n. 3, p. 5-24, 2006.

QUINQUIOLO, Natália. O papel do professor como mediador de conflitos entre crianças da educação infantil. Revista Ciências Humanas, v. 10, n. 1, p. 116-125, 2017.

SATYRO, Natália; SOARES, Sergei. A infraestrutura das escolas brasileiras de ensino fundamental: um estudo com base nos censos escolares de 1997 a 2005. Brasília: IPEA, 2007.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-critica: primeiras aproximações. 3ª ed. São Paulo: Autores associados,1992.

SETTON, Maria da Graça Jacintho. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 20, p. 60-70, Aug. 2002.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (org) Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 14ª edição Papirus, 2002.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. Pensamento e Linguagem. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

Downloads

Publicado

2023-10-23

Como Citar

Temoteo, P. A. de O., Tostes, S. S., Queixas, R. C., & Festozo, M. B. (2023). TRABALHO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: reflexões a partir do estágio supervisionado . Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 11(1). https://doi.org/10.34024/olhares.2023.v11.15417