CULTURAS COTIDIANAS: análise de experiências com educação patrimonial em escolas baianas

Autores

  • Lidiane Sousa Trindade Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB https://orcid.org/0000-0002-3720-2322
  • Mary Weinstein Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2022.v10.12845

Palavras-chave:

Educação patrimonial, Cultura local, Cidade

Resumo

Neste artigo analisamos a aproximação entre a cultura e a escola no processo de formação de estudantes da educação básica e tem como objetivo refletir como o patrimônio cultural local pode ser partícipe deste processo. Realizamos uma pesquisa qualitativa do tipo exploratória, por meio de revisão bibliográfica e documental, elaboramos um estado de conhecimento sobre o projeto Educação Patrimonial e Artística – EPA em escolas baianas, como resultado constatamos que com intencionalidade pedagógica é possível que os estudantes da educação básica se reconheçam como partícipes da construção do patrimônio e memórias locais por meio destas políticas culturais promovidas e estabelecidas pela SEC/BA. O Projeto EPA é uma possibilidade de estudo do patrimônio cultural formalizada pelo Estado, mas que pode ser adaptada pelos educadores para o ensino – aprendizagem do patrimônio cultural local. Pode ser uma iniciativa para os educandos realizarem pesquisas e aprender sobre a história, a cultura, o patrimônio e as memórias locais, baianas e brasileiras. Deste modo, cabe às escolas e aos docentes usufruírem da sua autonomia e com criatividade, reflexão e criticidade aprimorar estas metodologias e adaptar à realidade local.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Lidiane Sousa Trindade, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Professora de Geografia na educação básica no município de Barra do Choça - Bahia; Mestre em Ensino pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Membro do Grupo de Ensino e Pesquisa em Geografia - GRUPEG/UESB.

 

Mary Weinstein, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Professora no Departamento de Filosofia e Ciências Humanas - DFCH, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Leciona nas pós-graduações em Ensino (Uesb) e Museologia (Ufba). Coordena o grupo de pesquisa Jornalismo, Cidade e Patrimônio Cultural e o projeto de extensão Cidades e Memórias.

Referências

BAHIA, Governo do Estado; SEI - Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, Salvador, 2014.

BAHIA, Governo do Estado; SUPED - Superintendência de Políticas para a Educação Básica. Síntese dos projetos estruturantes EPA, Estado da Bahia. Salvador: SUPED. 2015.

BARROS, José D’Assunção. Cidade e História. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas I. Magia e técnica. Arte e Política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. Pref. Jeanne-Marie Gagnebin. São Paulo: Brasiliense, 1985. 272p.

BRASIL, Lei Constituição Federal de 1988. Artigo 215 e 216.

BRASIL, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e bases da educação Nacional.

BRASIL, Portaria n° 1.570, de 21 de dezembro de 2018. Base Nacional Comum curricular – BNCC.

CALLAI, Helena Copetti. Aprendendo a ler o mundo: a geografia nos anos iniciais do ensino fundamental. Cad. Cedes, Campinas, vol. 25, n. 66, p. 227-247, maio/ago. 2005.

CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. Tradução: Diogo Mainardi – 2ª ed.- São Paulo: Companhia das Letras, 1990. 71p.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: Estratégias para Entrar e Sair da Modernidade. 4.ed. 8. Reimp. Trad. CINTRÃO, Heloísa Pezza; LESSA, Ana Regina. – São Paulo: editora da Universidade São Paulo, 2019. 385 p.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O lugar no/do mundo. São Paulo: Labur Edições, 2007, 85p.

CASTRO, Jane Mary Lima. Geopatrimônio e Geopreservação: Ponderações Sobre Educação Patrimonial e Artística (Epa). In: V Colóquio nacional e XII Colóquio internacional do museu pedagógico, Anais, Vitória da Conquista: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Vol. 12, n 1, 2017.

CERQUEIRA, Fábio Vergara. Patrimônio Cultural, Escola, Cidadania e desenvolvimento sustentável. Revista Diálogos. n.1, 2005. v.1.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. Coleção cultura é o quê. Ed. Secretaria de Cultura da Bahia. Salvador, 2007.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do Cotidiano: Artes de Fazer. Petrópolis: Vozes, 1998. 316p.

FREIRE, Paulo, A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989. 49p.

FREIRE, Paulo, Política e educação: ensaios. 5. ed., São Paulo, Cortez, 2001. 57p.

FREIRE, Paulo. A Ação cultural para a liberdade. 5 ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1981. 149p.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Editora: Paz e Terra, 1967. 157p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo. Paz e Terra, 1996. 76p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido, 7.ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra,1987. 107p.

GADOTTI, Moacir. A escola na cidade que educa. In: Cenpec Educação, 2006.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva e o espaço. In: A memória Coletiva. 2º ed. Presses Universitaires de France, 1968.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 12ª Edição. 2ª reimpr. ed. Lamparina, Rio de Janeiro, 2019. 64p.

HISSA, Cássio Eduardo Viana. Fronteiras entre ciência e saberes locais. Revista Geografias. Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Belo Horizonte, 2010, v6. p. 57-69.

HORTA, Maria de Lourdes Parreira; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiróz. Guia Básico de Educação Patrimonial, Rio de Janeiro: Museu Imperial, 1999. 69p.

NORA, Pierre. Entre memória e História: a problemática dos lugares. Proj. História, São Paulo, 1993.

RODRIGUES, Angla Pereira dos Santos; DE ALMEIDA, Alana Aparecida. A Educação Patrimonial e Artística - (Epa) nas Escolas Estaduais da Bahia: A Experiência do Colégio Doutor Juca Sento-Sé. Anais. V CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONEDU. Olinda – Pernambuco. 2018.

SANTOMÉ, Jurjo Torres. As culturas negadas e silenciadas no currículo. In: Da Silva. Tomas Tadeu. (org.). Alienígenas na sala de aula. Petrópolis. RJ: Editora Vozes, 1995. 246p.

SANTOS, José Jackson Reis dos. CASTRO, Francisco Mirtiel Frankson Moura. ARAÚJO, Osmar Hélio. Docência (s) na educação de pessoas jovens, adultas e idosas: desafios políticos, teóricos e metodológicos para a (trans)formação e resistência(s) no contexto contemporâneo. Periódico Horizontes. USF. Itatiba. SP. Brasil. v. 38 n. 1 2020.

SANTOS, Milton, 1926-2001. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção - 4. ed. 2. Reimpr. - São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. 392p.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Cidadã: Por uma Epistemologia da Existência. Boletim Gaúcho de Geografia. Porto Alegre – RS: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. v.21, n.1. p.7-192, ago. 1996.

SILVA, Fabiany de Cássia Tavares. Cultura Escolar: quadro conceitual e possibilidades de pesquisa. Revista: Educar. Curitiba: Editora UFPR. n.28. 2006. p.101-119.

SILVA, Rodrigo Manoel Dias da. Políticas socioculturais brasileiras e os interesses formativos do Programa Cultura Viva. Rev. bras. Est. pedag., Brasília, v. 94. 2013.

SOUZA, Hanilton Ribeiro de. ANDRADE JÚNIOR, Aldo de Oliveira. A desinvenção da cidade de Castro Alves/Bahia/Brasil: a destruição do patrimônio histórico e cultural e suas influências sobre a memória, identidade e cidadania. In: Simpósio Cidades Médias e Pequenas da Bahia. Anais. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Vitória da Conquista-Bahia, 2014.

Downloads

Publicado

2022-07-20 — Atualizado em 2022-07-21

Versões

Como Citar

Trindade, L. S., & Weinstein, M. (2022). CULTURAS COTIDIANAS: análise de experiências com educação patrimonial em escolas baianas. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 10(1). https://doi.org/10.34024/olhares.2022.v10.12845 (Original work published 20º de julho de 2022)

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.