Aprendendo a sonhar com CIEJA Campo Limpo: a inclusão escolar através de uma metodologia na perspectiva freiriana

Autores

  • Martha Milene Fontenelle Carvalho Universidade Regional do Cariri (URCA)
  • Rosane Santos Gueudeville Universidade Regional do Cariri (URCA) https://orcid.org/0000-0003-0030-7734

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.12587

Palavras-chave:

Paulo Freire, Inclusão educacional, EJA

Resumo

É necessário pensar as práticas educativas com foco em ações mais humanas, democráticas e equitativas, que ultrapassem os muros ainda resistentes de uma educação bancária e homogênea, que não valoriza a diversidade e liberdade humana. O cenário exige transformação. Diante disso, fazem-se necessárias atitudes que promovam a inclusão educacional, possibilitando que todas as pessoas participem da vida em sociedade, assegurando o acolhimento à diversidade humana e aceitação das diferenças e peculiaridades dos educandos público-alvo da Educação Especial. Assim, o objetivo desta investigação foi compreender as práticas pedagógicas no CIEJA Campo Limpo que dialogam com uma perspectiva freiriana e inclusiva. Tratou-se de um estudo de avaliação do Estado do Conhecimento (ou Estado da Arte). Do ponto de vista do corpus empírico, tratou-se de uma pesquisa documental, alicerçada metodologicamente na Análise de Conteúdo.  Os resultados foram obtidos através do levantamento sistematizado de literatura, realizado por meio do Catalogo de teses e Dissertações da CAPES, através dos descritores: CIEJA e inclusão. Foi encontrado um total de 24 dissertações, utilizando-se como critérios de inclusão estudos que apresentassem como campo empírico o CIEJA Campo Limpo e/ou tivessem a inclusão como eixo de discussão; e como critérios de exclusão, estudos que não tivessem sido realizados no Centro Integrado mencionado. Após a leitura inicial dos respectivos resumos e das descrições metodológicas (em capítulos específicos) apenas 4 (quatro) tratavam diretamente do CIEJA Campo Limpo. Os resultados apontaram que as práticas pedagógicas ancoradas nas concepções freirianas conduzem para a libertação e para uma educação emancipatória e possibilitam pensar o processo de transformação da realidade, tão indispensável ao contexto atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martha Milene Fontenelle Carvalho, Universidade Regional do Cariri (URCA)

Doutorado em Letras pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, (UERN). Mestrado em Ensino pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Professora pesquisadora da Universidade Regional do Cariri – URCA e membro gestor do Núcleo de Acessibilidade (NUARC).

Rosane Santos Gueudeville, Universidade Regional do Cariri (URCA)

Doutoranda em Educação (UFRN) Mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Graduação em Pedagogia (UFBA) Graduação em Fisioterapia (UCSAL). Atualmente é professora da Universidade Regional do Cariri – URCA e Coordenadora do Núcleo de Acessibilidade (NUARC)

 

Referências

BRASIL. Presidência da República. Decreto N° 6.949, de 25 de agosto de 2009 – Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo facultativo, assinado em Nova York, em 30 de março de 2007.

_______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

______. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).COSTA, M. P. R.; TURCI, P. C. Inclusão Escolar na perspectiva da educação para todos de Paulo Freire. VII Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial. Londrina – 08 a 10 Novembro de 2011.

FACCI, M. G.D.; MEIRA, M. E. M.; TULESKI, S. C. (Orgs.). A exclusão dos “incluídos”: uma crítica da psicologia da educação à patologização e medicalização dos processos educativos. Maringá: Eduem, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 22 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

_____. A educação na cidade. São Paulo: Editora Cortez, 2001.

_____. Pedagogia da Tolerância. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

_____. Pedagogia do oprimido. 17ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

_____. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2013.

GRAVATÁ André, et. al. Volta ao mundo em 13 escolas. São Paulo: Fundação Telefônica: A. G., 2013.

MANTOAN, M.T.E. Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MANTOAN, M. T. E; BARANAUSKAS, Maria Cecília ; CARICO, Janaína Amorim. Todos nós – Unicamp acessível. In: MNANTOAN, Maria Teresa. E. (Org). O desafio das diferenças nas escolas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MEDEIROS, M. da M. Direito de ser: formação e experiência na Educação de Jovens e Adultos. 2018. 84 f. Dissertação (Mestrado em Educação: História, Política, Sociedade) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política, Sociedade, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. CIEJAs na cidade de São Paulo: identidades, culturas e histórias. São Paulo : SME / COPED, 2020.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

Toledo, A. L. B. S. de. Educação de Jovens e Adultos (EJA): um estudo sobre a inclusão de adolescentes no Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA). 2017. 95 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Nove de Julho - UNINOVE, São Paulo, 2017

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos e plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia: UNESCO, 1990.

UNESCO. Declaração de Salamanca: Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca-Espanha,1994.

Downloads

Publicado

2021-11-25

Como Citar

Carvalho, M. M. F. ., & Gueudeville, R. S. (2021). Aprendendo a sonhar com CIEJA Campo Limpo: a inclusão escolar através de uma metodologia na perspectiva freiriana. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(3). https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.12587