A contação de história e seus contributos para a interação e desenvolvimento linguístico da criança

  • Acreciana de Sousa Melo Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Adelaide Alves Dias Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF).
  • Maria Lúcia Pessoa Sampaio Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF).
  • Raimunda Queiroz Rêgo Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF).
Palavras-chave: Contação de histórias, Interação, Desenvolvimento linguistico

Resumo

Contar, ouvir e recontar histórias serve a diversos propósitos, especialmente à formação intelectual, psicológica, linguística e cultural do ser humano. Este artigo versa sobre a contação de histórias, sobretudo, como uma estratégia favorável às interações e ao desenvolvimento linguístico da criança. Tem como objetivo compreender como a contação de histórias viabiliza interações e o desenvolvimento linguístico das crianças, evidenciando sua importância nas práticas escolares. A pesquisa foi realizada em quatro turmas de 1o ano do ensino fundamental de uma escola pública da cidade de São Miguel-RN. Baseia-se nos pressupostos da pesquisa qualitativa e caracteriza-se como pesquisa de campo. Utilizou-se como instrumento entrevistas semi-estruturadas com as quatro professoras, bem como a observação não participante de quatro sessões de contações de histórias em forma de teatro, desenvolvidas nas referidas turmas pelo Programa Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas - BALE Micaelense, um Programa de extensão da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte que visa estimular o gosto e o prazer pela leitura. Os resultados indicam que a contação de histórias contribui de forma significativa para o processo de interação e desenvolvimento da competência linguística das crianças, além de despertar a imaginação criadora através da capacidade de ouvir, participar, recontar e se expressar. Conclui-se que esta arte configura-se, portanto, uma importante estratégia de mediação e estímulo frente ao processo formativo das crianças.

 

Métricas

Carregando métricas...

Biografia do Autor

Acreciana de Sousa Melo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Docente em Sala de Recursos Multifuncionais com o Atendimento Educacional Especializado, na rede pública municipal de ensino da cidade de Crato/CE. Mestranda do Curso de Mestrado Acadêmico em Ensino pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Campus de Pau dos Ferros. Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Faculdade Católica do Cariri (FACC). Especialista em Gestão Escolar pela Universidade Vale do Acaraú (UVA). Especialista em AEE e Educação Inclusiva pela Faculdade FAVENI. Graduada em Pedagogia pela Universidade Regional do Cariri (URCA).

Adelaide Alves Dias, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF).

Professora visitante da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF)

Maria Lúcia Pessoa Sampaio, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF).

Professora adjunto IV da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGE/UERN) e do Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS/UERN). Colaboradora do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL/UERN). Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), com Especialização em Educação e Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Mestre em Educação e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Pós Doutorado na Universidade de Paris (França). Atualmente, assume Assessoria Técnica na Escola de Governo do RN.

Raimunda Queiroz Rêgo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros (CAPF).

Supervisora pedagógica na Escola Estadual Gilney de Souza e na Escola Municipal Padre Cosme, Coordenadora do Programa de Extensão Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas (BALE) na cidade de São Miguel/RN. Mestranda do Curso de Mestrado Acadêmico em Ensino, especialista em Educação de Jovens e Adultos, graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Campus de Pau dos Ferros.

Referências

ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 5. ed. São Paulo: Scipione, 1997.
AMARILHA, M. Estão mortas as fadas? 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.
BRASIL. Ministério da Educação. Governo Federal. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: educação é a Base. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf . Acesso em: 05 de junho de 2020.
BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. vol. 3. Brasília: MEC/SEF, 1998.
BUSATTO, C. A arte de contar histórias no século XXI: tradição e ciberespaço. Petrópolis: Vozes, 2006.
________. Contar e Encantar: Pequenos segredos da narrativa. 8ª ed. Petrópolis: Vozes, 2012.
CANDIDO, A. A literatura e a formação do homem. In: DANTAS, V. Textos de intervenção. São Paulo: Duas Cidades, 2002.
COELHO, N.N. Literatura Infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.
COELHO, B. Contar histórias: uma arte sem idade. 10ª ed. São Paulo: Ática, 2006.
COSTAS, F.A.T.; FERREIRA, L.S. Sentido, significado e mediação em Vygotsky: Implicações para a constituição do processo de leitura. Revista Iberoamericana de Educación. Nº 55, p. 205-223, 2010. Disponível em: https://rieoei.org/historico/documentos/rie55a09.pdf. Acesso em: 18 de abril de 2020.
FREITAS, M.T.A. Vygotsky e Bakhtin. Psicologia e Educação: um intertexto. São Paulo: Ática, 1994.
GADAMER, H-G. Verdad y método. Fundamentos de una hermenêutica filosófica. 3ª ed. Salamanca: Ediciones Sígueme, 1988.
GIORDANO, A. A arte de contar histórias e o conto de tradição oral em práticas educativas. Construção psicopedagógica. São Paulo, v. 21, n. 22, p. 26-45, 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-69542013000100004. Acesso em: 10 de maio de 2020.
GRAVES & GRAVES. A experiência de leitura com andaimes: uma referência flexível para ajudar os estudantes a obter o máximo do texto, 1995.
JOBIM e SOUZA, S. Infância e linguagem: Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. Campinas, SP: Papirus, 1994.
LEMOS, S.A.N.; DIAS, A.A. Infância e linguagem: A importância da literatura infantil no processo de desenvolvimento da criança pequena. In: DIAS, Adelaide Alves; AMORIM, Ana Luisa Nogueira de (Orgs.). As crianças, suas infâncias e educação: Intinerâncias de 15 anos do Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre Criança (Nupec). Curitiba: Appris, 2018, p. 131 - 144.
MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.
MARTINS, L. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico cultural e da pedagogia histórico-crítica. Tese de livre docência. Bauru, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832012000100025. Acesso em: 22 de maio 2020.
PRODANOV, C.C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2ª. ed. - Novo Hamburgo, RS: Feevale, 2013.
SANTOS, F.C.; SILVA, L.U.M. A linguística no processo do contar histórias: Uma contribuição para a neuroeducação. In: SANTOS, F.; CAMPOS, A.M. (Orgs.). A contação de histórias: contribuição à neuroeducação. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2016, p. 21-39.
SISTO, C. Textos & pretextos sobre a arte de contar histórias. 3. ed. – Belo Horizonte: Aletria, 2012.
TAHAN, M. A arte de ler e contar histórias. 4. ed. Rio de Janeiro: Conquista, 1964.
VILLARDI, R. Ensinando a gostar de ler e formando leitores para a vida inteira. Rio de Janeiro: Qualitymark/Dunya, 1999.
VYGOTSKI, L.S. Obras Escogidas. Tomo II. Madrid: Visor, 2001.
ZILBERMAN, R. A literatura infantil na escola. 11. ed. – São Paulo: Global, 2003.
Publicado
2020-11-24
Como Citar
de Sousa Melo, A., Alves Dias, A., Pessoa Sampaio, M. L., & Queiroz Rêgo, R. (2020). A contação de história e seus contributos para a interação e desenvolvimento linguístico da criança. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 8(3), 1-18. https://doi.org/10.34024/olhares.2020.v8.11161