O Lúdico na Geografia: possibilidades e limites no ensino fundamental

  • Denize Tomaz de Aquino Universidade de Pernmabuco-UPE
  • Marlene Burégio Freitas Universidade de Pernambuco -UPE
  • Thainá Santos Sobral Universidadede Pernambuco-UPE
  • José Lucas do Santos Universidade de Pernambuco-UPE
Palavras-chave: Ensino de geografia, Jogos lúdicos, Outras linguagens

Resumo

A presente investigação tem como objetivo propor a interação teoria-prática, no sentido de transformar a sala de aula de modo mais atrativo, fazendo uso de diversas linguagens, por meio da ludicidade, facilitando a prática docente da geografia, contribuindo assim, para que o estudante seja capaz de pensar a partir de novos paradigmas, e como protagonista do espaço social. A proposta parte do entendimento de que o ensino é um processo de construção do conhecimento e o aluno é o sujeito ativo nesse processo. O trabalho discute o lúdico, como elemento fundamental no ensino de geografia, a partir das experiências e vivências no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), no ano de 2018,2019 em uma escola pública da rede municipal de Ensino Fundamental, campo de estágio, no município de Garanhuns, agreste pernambucano. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de análise descritiva e interpretativa. A investigação contou com a participação de 01 professora e de 60 estudantes, de faixa etária de 11 anos, componentes de 02 turmas do 6º ano, na disciplina Geografia. Os dados apontam que, por meio do lúdico, foi possível perceber aprendizagens, a partir de uma maior interação entre professora e estudantes nos conteúdos trabalhados nas aulas de geografia.

 

Métricas

Carregando métricas...

Biografia do Autor

Denize Tomaz de Aquino, Universidade de Pernmabuco-UPE

Professora assistente com dedicação exclusiva do curso de licenciatura em geografia e de pedagogia. da Universidade de Pernambuco- UPE. Orienta trabalhos na linha de pesquisa educação e desafios educacionais e ludicidade através de jogos e histórias em quadrinhos. Integra o Núcleo Docente Estruturante (NDE) de ambos os cursos. Está coordenadora do Programa de Iniciação à Docência (PIBID) do curso de geografia .É vice Líder do Grupo de Pesquisa a Cultura da Infância nas Políticas Pedagógicas da Educação Infantil(GRUPEI). Participa do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de representações Sociais e Formação em Educação e Meio Ambiente (GIRSFEMA).

Marlene Burégio Freitas, Universidade de Pernambuco -UPE

Professora adjunta do curso de Pedagogia da Universidade de Pernambuco UPE e Integra o Núcleo Docente Estruturante (NDE) do referido curso. É pesquisadora do brincar e da ludicidade na educação infantil, líder do Grupo de Pesquisa “À Cultura da Infância nas Políticas e Práticas Pedagógicas da Educação Infantil(GRUPEI) e membro efetivo do Grupo de Pesquisa “O lugar da interdisciplinaridade na pedagogia freireana, ambos vinculados à UPE. É membro do Conselho Gestor do Fórum em Defesa da educação infantil de PE(FEIPE).

Thainá Santos Sobral, Universidadede Pernambuco-UPE

Graduanda em licenciatura de Geografia na Universidade de Pernambuco-UPE/Campus Garanhuns, participa na organização de eventos do curso de licenciatura em geografia. Integra o Grupo de Pesquisa a Cultura da Infância nas Políticas e Práticas Pedagógicas da Educação Infantil (GRUPEI) desde 2018.

José Lucas do Santos, Universidade de Pernambuco-UPE

Graduando em licenciatura de geografia na Universidade de Pernambuco-UPE/Campus Garanhuns. Participou do Programa Ganhe o Mundo (PGM) estudando inglês em 4 módulos no Programa nível básico, intermediário e avançado. Participou do Programa de Iniciação à Docência (PIBID), no período de 2018 a 2019, na área da Cartografia e Geoprocessamento com apoio de Geotecnologias, no ensino fundamental do 6º ao 7º ano onde aprofundou o lúdico como fmeio para a aprendizagem. Desenvolve atividades docentes no Programa Pré vestibular da Universidade de Pernambuco (PREVUPE). Integra o Grupo de Pesquisa a Cultura da Infância nas Políticas e Práticas Pedagógicas da Educação Infantil (GRUPEI) desde 2018.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdos. Lisboa: Edições 70, 1977.

BONDÍA. Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. Nº19. Jan/Fev/Mar/Abr, 2002. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2016.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Geografia. Brasília: MEC/ SEF, 1998.
BROUGÉRE, Gilles. A criança e a cultura lúdica.In:KISHIMOTO,Tizuko Morchida (Orgs) et.al. O brincar e aprender teorias. São Paulo: CENGAGE Learnig,2011, P. 19-32.
CRUZ, Gabriel Souza.; FERNANDES, Isabela Duarte; AZEVEDO Júnior Roberto, Sete. Construção de materiais didáticos para o ensino de geografia: O jogo da memória e dos domínios morfoclimáticos. Revista Tamoios, Rio de Janeiro, ano V, n.1, p. 77-82.2009.
FORTUNA, Tânia Ramos. A formação lúdica docente e a universidade: contribuições da ludicidade e da hermenêutica filosófica. 2011.Tese (Doutorado em Educação) -Faculdade de Educação- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre,2011.

FRANÇA, Daise Lima. de Andrade. A prática docente expressa com ludicidade: um repensar sobre as regras do jogo educativo na escola pública. 2008.147f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1994.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: Um Reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
FREITAS, Eliana Sermidi; SALVI, Rosana Figueiredo. A ludicidade e a aprendizagem significativa voltada para o ensino de geografia. Portal Educacional do Estado do Paraná. 2007.
GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6ª ed. São Paulo: Atlas,2008.
KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil Revista Perspectiva, Florianópolis, nº 22. v. 12, p. 105-128, ago. /dez.1994.
LÜDCKE, Menga. A complexa relação entre o professor e a pesquisa. In: ANDRÈ, Marli (Org) O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 12ª ed. Campinas SP: Papirus,2012.
MACEDO,Lino de: PETTY, Ana Lúcia Sicoli;PASSOS, Norimar Chiste. Os Jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artimed,2005.
MINAYO, Maria Cecília. O desafio do conhecimento em saúde: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: HUCITEC, 2004.
PAGNI, Pedro Angelo; BROCANELLI Claudio Roberto. Filosofia da educação e educação filosófica, segundo John Dewey. In: PAGNI, Pedro Angelo; SILVA, Divino José da Silva( Orgs) et al.In. Introdução à filosofia da educação: temas contemporâneos e história. São Paulo: Avercamp,2015, p. 216-242.
REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação.25ª ed. Petrópolis: Vozes, 2011.
SANTOS, Santa Marli Pires dos (Org.) Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos,15ª ed. Petrópolis: Vozes, 2011.
SANTAELLA, Lúcia. O papel do lúdico na aprendizagem Revista Teias, Rio de Janeiro, nº 30. v. 13, p. 185-193, set./dez. 2012.
TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes 2002.
Publicado
2020-11-24
Como Citar
Tomaz de Aquino, D., Burégio Freitas, M., Santos Sobral, T., & do Santos, J. L. (2020). O Lúdico na Geografia: possibilidades e limites no ensino fundamental. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 8(3), 19-35. https://doi.org/10.34024/olhares.2020.v8.10779