DOS Inícios de A Arte Brasileira, de Gonzaga Duque, em Guanabara

Autores

  • Paula Ferreira Vermeersch Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP

Palavras-chave:

Gonzaga Duque, Crítica De Arte, Imprensa Fluminense

Resumo

Em 1888, o crítico de Arte carioca Luiz Gonzaga Duque Estrada (1863-1911) publicou seu livro de estreia, A Arte Brasileira, em que buscava compreender aspectos da pintura e da escultura no país, desde os tempos coloniais. Objeto de estudo e comentário ao longo de décadas, A Arte Brasileira ainda suscita muitas questões para o atual debate historiográfico sobre artistas, obras, temas e técnicas, notadamente nos temas relativos às Artes do Segundo Império. Neste texto, a intenção é buscar elementos para a compreensão da formação deste livro fundamental, a partir do exame de algumas das primeiras participações de Gonzaga Duque na imprensa do Rio de Janeiro, que se dão a partir de 1883, quando o jovem crítico funda, junto com Olímpio de Niemeyer (1859-1931), o jornal Guanabara. No Guanabara, Gonzaga Duque comenta exposições, efemérides e talvez neste processo estejam as bases para o pensamento que moldará A Arte Brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Blake, A. V. A. S. (1883). Diccionario bibliographico brazileiro. Primeiro volume. Typograhia Nacional.

Blake, A. V. A. S. (1898). Diccionario bibliographico brazileiro. Quarto volume. Imprensa Nacional.

Bosi, A. (2015). História concisa da literatura brasileira. Cultrix.

Giannetti, R. (n.d.). Biografia de Emílio Rouède. DezenoveVinte. dezenovevinte.net/bios/bio_eRouède.htm.

Gonzaga, D. (1883). Édouard Manet. Guanabara, 2.

Gonzaga, D. (1995). A arte brasileira. Mercado de Letras.

Fischer, J. (1937). Indice alphabetico do Diccionario bibliographico brazileiro de Sacramento Blake. Imprensa Nacional.

Lins, V. (1991). Gonzaga Duque: A estratégia do franco-atirador. Tempo Brasileiro.

Lins, V. (1996). Gonzaga Duque: crítica e utopia na virada do século. Fundação Casa de Rui Barbosa.

Migliaccio, L. (2000). O século XIX: Catálogo da Mostra do Redescobrimento. Associação 500 Anos Artes Visuais.

Nunes, L. A. B. (2022). As pinturas de marinha de Émile Rouède no Brazil Ilustrado (1887) [Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”].

Santos, C, Passe-Partout. L, Gonzaga D. E. (1883). Guanabara, 5.

Silva, R. J. (Org.). (2016). Notas e artigos sobre crítica de arte na Revista Illustrada. 19&20, XI(2). https://www.doi.org/10.52913/19e20.XI2.04

Souza, G. M. (1974). Pintura brasileira contemporânea: os precursores. Discurso, 5(5),119-130. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.1974.37767.

Vermeersch, P. (2002). Notas de um estudo crítico sobre a arte brasileira, de Luiz Gonzaga Duque Estrada [Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas]

Downloads

Publicado

2024-01-30

Como Citar

Ferreira Vermeersch, P. (2024). DOS Inícios de A Arte Brasileira, de Gonzaga Duque, em Guanabara. Imagem: Revista De Hist´ória Da Arte, 3(2), 42–53. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/img/article/view/16217
Recebido: 2024-01-28
Publicado: 2024-01-30