Educação Ambiental no Ensino Superior Brasileiro: análise do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) aplicados aos cursos de Direito (2006-2015)

  • Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR
  • Adrielly Pinho dos Santos Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR
  • Mariana Gmach Philippi Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR
Palavras-chave: ENADE; Educação Ambiental; Ensino Superior.

Resumo

O artigo propõe-se a avaliar se os conceitos e competências relacionados à educação ambiental estão inseridos no ensino superior nacional, especificamente no que tange ao curso de Direito, e se os princípios e objetivos previstos na Política Nacional de Educação Ambiental são, em alguma medida, contemplados nos exames aplicados aos estudantes. Os objetivos específicos elencados foram: averiguar se e como as questões ambientais são abordadas no ensino superior; e apurar em que medida este conteúdo é avaliado no Enade. Com arcabouço bibliográfico e documental a pesquisa analisou os dados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), aplicados no período trienal entre 2006 e 2015, aos cursos do Direito do Brasil.

Biografia do Autor

Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR

Licenciada em Pedagogia e bacharel em Direito.

Mestre em Educação, Mestre em Gestão de Instituições de Educação Superior, Doutora em Educação.

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado - da PUCPR.

Editora da Revista Diálogo Educacional - Qualis A2.

Adrielly Pinho dos Santos, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR

Mestranda em Direito Socioambiental e Sustentabilidade pela PUCPR. Advogada militante em Maringá-PR.

Mariana Gmach Philippi, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR

Mestranda em Direito Socioambiental e Sustentabilidade pela PUCPR. Advogada militante em Curitiba-PR.

Referências

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Diário Oficial, Brasília, 1981. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.
BRASIL. Decreto n. 4.281 de 25 de junho de 2002. Diário Oficial, Brasília, 2002. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.
BRASIL. Lei n. 6.938 de 31 de agosto de 1981. Diário Oficial, Brasília, 1981. Disponível em: . Acesso em 18 jan. 2018.
BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial, Brasília, 1996. Disponível em: . Acesso em 08 fev. 2018.
BRASIL. Lei n. 9.795 de 27 de abril de 1999. Diário Oficial, Brasília, 1999. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.
DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia, 2000.
FIORILLO, C. A. P. Curso de direito ambiental brasileiro. 17. ed. São Paulo: Saraiva, 2016.
INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Enade. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2018.
LIMA, G. F. C. Educação ambiental no Brasil: formação, identidades e desafios. Campinas, SP: Papirus, 2015. Recurso eletrônico.
LUZZI, D. Educação e meio ambiente uma relação intrínseca. São Paulo: Manole, 2012. Recurso on-line.
MARCOMIN, F. E.; SILVA, A. D. V.. A sustentabilidade no ensino superior brasileiro: alguns elementos a partir da prática de educação ambiental na Universidade. Contrapontos, v. 9, n. 2, p. 104-117, Itajaí, maio/ago. 2009. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2018.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Regimento interno do Conselho Nacional de Educação, instituído pela Portaria MEC nº 1.306, de 02 set. 1999. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2018.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Um pouco da História da Educação Ambiental. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2018b.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO; SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Políticas de melhoria da qualidade da educação: um balanço institucional. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2018.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Carta de Belgrado. Iugoslávia, 1975. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2017.
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Carta de Belgrado. Iugoslávia, 1975. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2017.
PHILIPPI JUNIOR, A.; PELICIONI, M. C. F. Bases políticas, conceituais, filosóficas e ideológicas da educação ambiental. In: PHILIPPI JUNIOR, A.; PELICIONI, M. C. F. Educação ambiental e sustentabilidade. 2.ed. rev. e atual. Barueri, SP: Manole, 2014.
SILVA, M. V. O princípio da solidariedade intergeracional: um olhar do Direito para o futuro. Veredas do Direito: Direito ambiental e desenvolvimento sustentável, Belo Horizonte, v. 8, n. 16, abr. 2012, p. 119-121. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2017.
SINAES. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Direito. 2006. Disponível: . Acesso em: 05 jan. 2018.
SINAES. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Direito. 2009. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2018.
SINAES. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Direito. 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2018.
SINAES. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Direito. 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2018.
TOZONI-REIS, M. F. de C.. Formação dos educadores ambientais e paradigmas em transição. Ciência & Educação (UNESP), São Paulo, v. 8, p. 84, 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2017.
UNESCO. Declaração da Conferência Intergovernamental sobre Educação Ambiental. Tbilisi, Geórgia (antiga URSS). Out./1977. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2017.
Publicado
2019-12-12
Como Citar
Dudeque Pianovski Vieira, A. M., Santos, A. P. dos, & Philippi, M. G. (2019). Educação Ambiental no Ensino Superior Brasileiro: análise do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) aplicados aos cursos de Direito (2006-2015). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 14(4), 240-259. https://doi.org/10.34024/revbea.2019.v14.9630
Seção
Artigos