Ecossistema manguezal: vivências de Educação Ambiental no município de Piúma (ES)

  • Gabriela Viana Lima Centro Universitário São Camilo, ES
  • Fillipe Steiner Sutill Centro Universitário São Camilo, ES
  • Gilson Silva-Filho Centro Universitário São Camilo, ES
  • Cíntia Cristina Lima Teixeira Centro Universitário São Camilo, ES
Palavras-chave: Manguezal; Educação Ambiental; Aula de campo.

Resumo

O manguezal – ecossistema costeiro – apresenta elevada importância ecológica e econômica. Este ecossistema tem sido constantemente impactado por meio das ações antrópicas, o que permite a reflexão e o aumento do número de trabalhos que abordem sua importância para manutenção da biodiversidade marinha, sendo a Educação Ambiental uma ferramenta importante para o desenvolvimento da consciência ecológica nos estudantes e em seus familiares  motivo pelo qual vem se notando o desenvolvimento da consciência ecológica mediante a Educação Ambiental. Este trabalho teve como objetivo a aplicar práticas escolares de Educação Ambiental voltadas para a limpeza dos resíduos sólidos do manguezal e do rio Itaputanga – berçário da vida marinha – em Piúma, Espírito Santo e com isso mobilizar a preservação do ecossistema Manguezal. Para isso utilizou-se como público 166 alunos da educação básica, ensino fundamental e médio, de duas escolas situadas no município. As práticas foram divididas em três etapas: antes (formação), durante (aula de campo) e depois (aplicação de um questionário). Os estudantes apresentaram muito empenho durante a execução da prática pela ação educativa diante da produção dos materiais educativos, do blog e dos painéis para a feira de ciências. Foi possível evidenciar que as ações de Educação Ambiental, voltadas para a sensibilização e conscientização possibilitaram proporcionar a reflexão dos alunos sobre a importância do ecossistema Manguezal para a vida marinha e para manutenção da atividade econômicas de muitas famílias do município, pela sensibilização das suas famílias e da comunidade do entorno com as ações de coleta de resíduos sólidos urbanos às margens do rio Itaputanga e do Manguezal. As práticas voltadas para as ações de importância e de despoluição permitiram o conhecimento prévio dos jovens estudantes e da eficiência na abordagem dos conceitos bioecológicos deste ecossistema nas aulas de ciências e de biologia nas duas escolas.

Biografia do Autor

Gabriela Viana Lima, Centro Universitário São Camilo, ES

Graduada em Ciências Biológicas do Centro Universitário são Camilo-ES, e Pós-Graduanda em Engenharia e Desenvolvimento Sustentável no PPGES/CT/UFES

Fillipe Steiner Sutill, Centro Universitário São Camilo, ES

Graduado em Ciências Biológicas no Centro Universitário são Camilo-ES 

Gilson Silva-Filho, Centro Universitário São Camilo, ES

Professor orientador: Doutor em Ecologia e Recursos Naturais/UENF, Colegiado de Ciências Biológicas do Centro Universitário São Camilo-ES, e do PPGES/CT/UFES.

Cíntia Cristina Lima Teixeira, Centro Universitário São Camilo, ES

Professora co-orientadora: Doutora em Produção Vegetal/UENF, Colegiado de Ciências Biológicas do Centro Universitário São Camilo-ES,

Referências

ALVES, J.R.P.; PEREIRA-FILHO, O.; PERES, R.A.R. Aspecto geográficos, históricos e socioambientais do manguezal. In ALVES, J. R. P. Manguezais: educar para proteger - Rio de Janeiro: FEMAR: SEMADS, 2001.

ICMBio. Atlas dos Manguezais do Brasil / Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. – Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, 2018. 176 p.: il

BASILIO, T.H. Unidades Ambientais e a Pesca Artesanal em Piúma, Espírito Santo, Brasil. 1ª. ed. São Paulo, SP: Lura Editorial, 2016.

BASILIO, T. H.; SILVA, E.V. da.; FIORESI, D.B.; GOMES, M.P.; GARCEZ, D.S. Sustentabilidade das atividades pesqueiras do município de Piúma, litoral sul do Espírito Santo, Brasil. Arq. Ciênc. Mar, Fortaleza, v. 48, n. 1: 69 – 86, 2015.

BEGOSSI, A. Local knowledge and training towards management. Environ Dev. and Sustain., v.10, p.591- 603, 2008.

BENDER, W.N. Aprendizagem Baseada em projetos: Educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso, 2014.

BENFIELD, S.L.; GUZMAN, H.M.; MAIR, J.M. Temporal mangrove dynamics in relation to coastal development in Pacific Panama. Jour. Environ. Managem., v. 76, n. 3, p. 263–276, 2005.

BERRÍOS-ALLISON, A.C. Family influences on college students’ occupational identity. Jour. Career Assess., v. 13, n. 2, 233-247. 2005.

BLABER, S.J.M. Tropical estuarine fishes: ecology, exploitation and conservation. Queensland, Blackwell Science, 372p. 2000. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?hl=ptBR&lr=&id=V53GoUTN_wYC&oi=fnd&pg=PP2&ots=IWKY3Dfx3f&sig=FmHNwYYQrTdK5JG3Y1ghuUZEAzw&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false> Acesso em: 18 de março de 2019.

BRASIL. MEC. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Portal MEC, 2018. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/base-nacional-comum-curricular-bncc>. Acesso em: 22 abr. 2019.

FONTELES-FILHO, A.A. Oceanografia, biologia e dinâmica populacional de recursos pesqueiros. Expressão Gráfica e Editora, 464 p., Fortaleza, 2011.

GONÇALVES, C.M.; COIMBRA, J.L. O papel dos pais na construção de trajectórias vocacionais dos seus filhos. Rev. Bras. Orient. Profiss., v. 8, n. 1, 1-17. 2007.

GUINDON, M.H.; RICHMOND, L.J. Annual review: Practice and research in career counseling and development - 2004. The Career Develop. Quart., v.54, 90-130. 2005.

HOFFMANN, J. Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola a universidade: Mediação, Porto Alegre, 1993.

LOPES, T.C.S. Educação Ambiental como Estratégia de Sensibilização Ambiental em uma Escola de Ensino Médio, Angicos/RN. 51 f. Monografia - Universidade Federal Rural do Semiárido. Angicos, RN, 2011.

MARTINS. A.S.; SANTOS, L.B.; PIZETTA, G.T.; MONJARDIM, C.; DOXSEY, J.R. Interdisciplinary assessment of the status quo of the marine fishery systems in the state of Espírito Santo, Brazil, using RapFish. Jour. Appl. Ichthyol. v. 25. p. 269 – 276. 2009.

MCCONNEY, P.; MEDEIROS, R.P.; PENA, M. Stewardship in small – scale fisheries: practices and perspectives. Cer. Tech. Rep. n.73 165, 2014.

PEREIRA, E.M. Percepção e Educação Ambiental em escolas públicas da Região Metropolitana do Recife sobre o ecossistema manguezal. 121 f. Monografia (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife 2005.

PEREIRA FILHO, O.; ALVES, J.R.P. Conhecendo o manguezal. Apostila técnica, Grupo Mundo da Lama, RJ. 4a ed. 10p. 1999.

RODRIGUES, L.L.; FARRAPEIRA, M.R. Percepção e Educação Ambiental sobre o ecossistema manguezal incrementando as disciplinas de ciências e biologia em escola pública do Recife-PE. Invest. Ens. Ciênc. – v. 13, n. 1, 2008.

ROZAS, L.P.; ZIMMERMAN. R.J. Small-scale patterns of nekton use among marsh and adjacent shallow non vegetated areas of the Galveston Bay Estuary, Texas (USA), Mar. Ecol. Prog. Series 193: 217-239. 2000. Disponível em: <http://www.int-res.com/abstracts/meps/v193/p75-84/> Acesso em: 18 de março de 2019.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y.; VALE, C.C.; CINTRÓN, G. Monitoramento do ecossistema manguezal: estrutura e características funcionais. In: TURRA, A., and DENADAI, MR. (orgs). Protocolos para o monitoramento de habitats bentônicos costeiros: Rede de Monitoramento de Habitat Bentônicos Costeiros – ReBentos [online]. São Paulo: Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, 2015, pp. 62-80.

SCOTT, D.; CHURCH, T. Separation/attachment theory and career decidedness and commitment: effects of parental divorce. Jour. Vocat. Behav., v. 58, n. 3, 328-347. 2001.

SCHULTHEISS, D.; BLUSTEIN, D. Contributions of family relationship factors to the identity formation process. Jour. Couns and Develop., v. 73, n. 2, 159-166. 1994.

SILVA, J. M.; FRAZÃO, J. O.; D’OLIVEIRA, R. G. Ecossistema Manguezal: Vivências De Educação Ambiental Em Escolas No Município De Natal, Rio Grande Do Norte. Rev. Eletr. Mest. Educ. Amb. v. 24, n .1, 186-203. 2010.

VASCONCELLOS, C.S. Avaliação da Aprendizagem: Libertad, São Paulo, 2003.

ZINATO, M.C. O que é um estuário? Disponível em: <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=10> Acesso em: 18 de março de 2019.

Publicado
2020-05-26
Como Citar
Lima, G. V., Sutill, F. S., Silva-Filho, G., & Teixeira, C. C. L. (2020). Ecossistema manguezal: vivências de Educação Ambiental no município de Piúma (ES). Revista Brasileira De Educação Ambiental, 15(3), 179-196. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.9601
Seção
Relatos de Experiências