A Educação Ambiental e o acesso à informação sobre os produtos agrícolas alimentares

  • Katia Carolino Universidade de São Paulo - USP
  • Rodrigo Machado Universidade de São Paulo
  • Marcos Sorrentino Universidade de São Paulo
Palavras-chave: legislação; produto orgânico; produto com agrotóxico e afins; Educação Ambiental

Resumo

O artigo apresenta breve revisão sobre o campo da Educação Ambiental (EA), destacando sua tendência crítica, e como a legislação aborda a informação sobre produtos agrícolas. Expõe a legislação que orienta comportamentos dos produtores como subsídio a uma EA crítica. Produção, consumo e suas regulações se tornam recursos pedagógicos vinculados ao dia-a-dia dos cidadãos. Utilizou-se levantamento bibliográfico e documental. Identificou-se rigidez na legislação para produtos agrícolas “orgânicos”, mas não o mesmo rigor para produtos com agrotóxico. A aprovação de normas que exijam nos alimentos informações sobre agrotóxicos pode subsidiar a educação de cidadãos que cumprem o papel de consumidores em uma sociedade passível de reflexão crítica.

Referências

CARVALHO, I.C.M. Educação Ambiental Crítica: nomes e endereçamentos da educação. In: LAYRARGUES, P.P. (org.). Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília, MMA, 2004.

DAGNINO, E. ¿Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando? In: MATO, D. (coord.). Políticas de ciudadanía y sociedad civil entiempos de globalización. Caracas: FACES, Universidad Central de Venezuela, 2004. p. 95-110.

FASSIS, F. Educação Ambiental e o uso de agrotóxicos. Dissertação. 215 fls. (Mestrado em Educação). Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita. Rio Claro, 2014. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/128049. Acessado em: 19 mai 2019.

FASSIS, F.; CARVALHO, L.M. Educação Ambiental e o uso de agrotóxicos: relações entre o modelo de produção agrícola, a exigência do conhecimento e o papel da escola. Comunicações. Ano 22, n. 2, p. 309-334. Ed. Especial. Piracicaba, 2015.

FERREIRA, M.L.P.C. A regulação do uso dos agrotóxicos no Brasil: Uma proposta para um direito de sustentabilidade. Tese. 346 fls. (Doutorado em Direito). Centro de Ciências Jurídicas. Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis. Florianopólis, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/122689. Acessado em: 19 mai 2019.

FOLADORI, G. O Capitalismo e a crise ambiental. Raízes. Ano XVIII, nº 19, maio, 1999. Disponível em: http://outubrorevista.com.br/o-capitalismo-e-a-crise-ambiental/. Acessado em: 19 mai 2019.

FOSTER, J.B. A ecologia da economia política marxista. Lutas Sociais. São Paulo, n.28, p.87-104. 2012. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/ls/article/view/18539. Acessado em: 19 mai 2019.

GADOTTI, M. Pedagogia da terra: Ecopedagogia e educação sustentável. In: TORRES, C.A. Paulo Freire y la agenda de la educación latino americana en el siglo XXI. Buenos Aires, CLACSO, 2001.

GALINDO, F.; PORTILHO, F. O Peixe Morre pela Boca: como os consumidores entendem os riscos dos agrotóxicos e dos transgênicos na alimentação. Sustentabilidade em Debate, Brasília, v. 6, n. 2, p. 77, maio/ago 2015. Disponível em: http://periodicos.unb.br/ojs248/index.php/sust/article/view/15505. Acessado em: 19 mai 2019.

GUDYNAS, E. Ciudadania ambiental y meta-ciudadanias ecológicas: revision y alternativas en America Latina. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 19, p. 53-72, jan./jun. 2009.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, P.P. (org.). Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília, MMA, 2004.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental: no consenso um embate? Campinas, Papirus, 2000.

HUPFFERM, H.M.; POL, J.J. O direito de escolha do consumidor e a necessária informação sobre alimentos com agrotóxicos. Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFC, v. 37, nº 2, 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/nomos/article/view/5509. Acessado em: 19 mai 2019.

LAYRARGUES, P.P.; LIMA, G.F.C. As macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental Brasileira. Ambiente & Sociedade, São Paulo v. XVII, n. 1, p. 23-40, jan.-mar. 2014.

LIMA, G.C.F. Formação e dinâmica do campo da Educação Ambiental no Brasil: emergência, identidades, desafios. Tese (doutorado em Ciências Sociais). 207 fl. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Estadual de Campinas. Campinas: Unicamp, 2005. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279827. Acessado em: 19 mai 2019.

LOUREIRO, C.B.F. Movimento Ambientalista e o Pensamento Crítico: uma abordagem política. 2ª ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2006.

MONTEIRO, P.A.M. A perspectiva crítica da educação ambiental no combate ao risco pelo uso de agrotóxicos na lavoura da comunidade de Joanápolis, Goiás. Trabalho de Conclusão de Curso. 74 fls. (Licenciatura em Química). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. Anápolis, 2016.

PEDROSA, J.G. O capital e a natureza no pensamento crítico. In: LOUREIRO, C.F.B. A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro, Quartet, 2007.

TOZONI-REIS, Contribuições para uma pedagogia crítica na educação ambiental: reflexões teóricas. In: LOUREIRO, C.F.B. A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro, Quartet, 2007.

RAYMUNDO, M.H.A.; BRANCO, E.; BIASOLI, S. Indicadores de Políticas Públicas de Educação Ambiental: Construção à Luz do Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global e da Política Nacional de Educação Ambiental. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, Número Especial, p.337-358 2018. Disponível em: https://seer.utp.br/index.php/a/article/view/1209/1040. Acessado em: 19 mai 2019.

SORRENTINO, M. Educação Ambiental e Universidade. (Tese). (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 1995.

SORRENTINO, M. Crise ambiental e educação. In: QUINTAS, J.S. (Org.) Pensando e praticando a educação ambiental no Brasil. Brasília: IBAMA, 2002b

TEIXEIRA, T.M. Saúde e direito à informação: o problema dos agrotóxicos nos alimentos. Revista de Direito Sanitário, v. 17, nº 3, nov. 2016/fev., São Paulo, 2017. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rdisan/article/view/127782. Acessado em: 19 mai 2019.

TOZONI-REIS, Contribuições para uma pedagogia crítica na educação ambiental: reflexões teóricas. In: LOUREIRO, C.F.B. A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro, Quartet, 2007.

TREIN, E. A contribuição do pensamento marxista à educação ambiental. In: LOUREIRO, C.F.B. A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro, Quartet, 2007.

VIANA, E.S.; TATAGIBA-ARAÚJO, G. Agrotóxicos e Educação Ambiental: Formando multiplicadores a favor da minimização dos riscos ao ambiente e à saúde. Disponível em: <http://bd.centro.iff.edu.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/942/ArtigoTCC_IFF_2016.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acessado em: 19 mai 2019.

Publicado
2020-05-28
Como Citar
Carolino, K., Machado, R., & Sorrentino, M. (2020). A Educação Ambiental e o acesso à informação sobre os produtos agrícolas alimentares. Revista Brasileira De Educação Ambiental, 15(3), 369-384. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.9558
Seção
Artigos