Sustentabilidade na Educação Ambiental a partir do vivido: possibilidades em uma Reserva Extrativista

  • Fábio Pessoa Vieira UFT
  • Marco Aurélio Gomes de Oliveira
  • Aurinete Guimarães dos Santos
  • Juliane Gomes de Sousa
  • Leidiane Martins dos Santos
  • Luciene Reis Silva
Palavras-chave: Educação Ambiental, Sustentabilidade, Diálogo de Saberes

Resumo

Uma Educação Ambiental, construída a partir de uma abordagem que considere as experiências, o vivido em sua constituição, foi o que se buscou elaborar no presente artigo. Aqui a ênfase foi dada à noção de sustentabilidade concebida a partir de um diálogo de saberes. Para tanto, foi necessário a realização de uma saída de campo na Reserva Extrativista do Extremo Norte do Tocantins, com o intuito de obter um contato direto com um contexto empírico que propicie refletir, por intermédio de narrativas, a respeito da importância de outros saberes, complementares ao científico. Logo, o objetivo central é de compreender a sustentabilidade por meio de práticas cotidianas organizadas no interior de comunidades que possuem um envolvimento ambiental.

Biografia do Autor

Fábio Pessoa Vieira, UFT
Licenciado e Bacharel em Geografia. Mestre em Educação e Doutorando em Ciências do Ambiente. Professor Assistente da (UFT) Universidade Federal do Tocantins. Campus de Tocantinópolis-TO. Curso de Pedagogia
Marco Aurélio Gomes de Oliveira
Pedagogo e Mestre em Educação - UFU. Coordenador do Curso de Pedagogia - Campus Tocantinópolis/UFT
Aurinete Guimarães dos Santos
Pedagoga
Juliane Gomes de Sousa
Pedagoga. Mestranda em Educação.
Leidiane Martins dos Santos
Estudante de Pedagogia
Luciene Reis Silva
Pedagoga. Professora Substituta do Curso de Ciências Sociais da UFT do Campus de Tocantinópolis
Publicado
2017-12-30
Como Citar
Vieira, F. P., de Oliveira, M. A. G., Santos, A. G. dos, Sousa, J. G. de, Santos, L. M. dos, & Silva, L. R. (2017). Sustentabilidade na Educação Ambiental a partir do vivido: possibilidades em uma Reserva Extrativista. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 12(5), 185-199. https://doi.org/10.34024/revbea.2017.v12.2267
Seção
Relatos de Experiências