Advocacy junto às escolas do maciço do Morro da Cruz em Florianópolis (SC): desenvolvendo os ODSs por meio da extensão universitária em CI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.15215

Palavras-chave:

Advocacy, Sustentabilidade, Juventude, Ciência da Informação, Extensão Universitária

Resumo

A Ciência da Informação pode contribuir com o debate sobre a sustentabilidade a partir da educação básica, atuando por meio da extensão universitária com a juventude em comunidades externas à universidade, impactando na redução da desigualdade social. O presente artigo propõe uma rede de influenciadores digitais formada por estudantes do Ensino Médio, atuante em suas próprias comunidades escolares, com o intuito de conhecer, discutir e explorar as 169 metas existentes nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, por meio da criação de conteúdos voltados ao Bem Comum, a partir da realidade de seus territórios. O protagonismo juvenil pode impactar significativamente o meio ambiente ao iniciar pelo seu cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Luiz Mendes, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Ciência da Informação Programa de Pós Graduação em Ciencia da Informação

(PGCIN/UFSC). Mestre em Ciência da Informação (PGCIN/UUFSC) na área Dados, Inteligência e Tecnologia, com a temática "A Extensão Universitária na Ciência da Informação: análise do Programa Cibercidadania". Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) - Especialização em Educação Física Escolar (2001); Especialização em Pedagogia Gestora com ênfase em Administração, Orientação e Supervisão Escolar (2007) e Especialização em Doutrina Social da Igreja (2016). Atualmente é doutorando em Ciência da Informação na área Dados, Inteligência e Tecnologia, com a temática "O Poder Informacional da Extensão Universitária: um contraponto à vulnerabilidade social"; faz parte do núcleo de pesquisa: Dados, Inteligência e Tecnologia; está na coordenação pedagógica de Ensino Médio na Rede Marista de Educação Básica - Escolas Sociais. Tem experiência em Gestão Escolar com ênfase em Educação Popular, Currículo e Avaliação e na área de articulação comunitária, com ênfase em direitos humanos, movimentos sociais, gestão democrática e organização do espaço tempo escolar.

Bárbara Balbis Garcia, Universidade Federal de Santa Catariana

Formada em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (Premiada com
medalha de mérito estudantil) / Aluna e posteriormente Mentora no Programa de Extensão Cibercidadania do Departamento de Ciência da Informação da UFSC - 2018 a 2020 / Co-autora do Artigo "Tão, tão distante - a extensão universitária e a (ir)relevância das periferias" publicado na Revista Brasileira de Extensão Universitária - 2021 / Co-autora do capítulo 7 "Redes internacionais de cooperação: Identificação e análise das redes em atuação no mundo", parte integrante do e-book "Conexões para o fomento do empreendedorismo e inovação: sistema, ecossistema e redes de inovação" - 2020 TCC de graduação com tema de impacto social "Planejamento de mídias sociais aplicado ao Programa S.O.S.Desaparecidos da Polícia Militar de Santa Catarina" - 2020.

Marcelo Minghelli, Universidade Federal de Santa Catariana

Possui graduação em Direito pela Universidade de Passo Fundo (1999), mestrado em Direito pela
Universidade Federal do Paraná (2004) e doutorado em Direito pela Universidade Federal do Paraná (2009). Possui experiência de gestão, tendo atuado na SETEC do Ministério da Educação, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre como Reitor e na Secretaria de Ciência e Tecnologia do Acre como Secretário de Estado. Foi membro do Grupo Técnico de consultores da Comissão Especial de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados na Elaboração da Lei 13.243/2016 (Novo Marco Legal de CTI). Atualmente é professor adjunto do magistério superior e coordenador do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (CIN/UFSC). É fundador e líder do Grupo de Pesquisa "Informação, Estado e Sociedade", cadastrado no CNPq e certificado pela UFSC desde o ano de 2022.

Referências

BIZARRIA, F. P. A.; OLIVEIRA, B. G.; BARBOSA, F. L. S.; OLIVEIRA, M. S. Da Educação Ambiental crítica à Educação Ambiental decolonial: revisando concepções em narrativas à luz da racionalidade ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 18, n. 3, p. 172–195, 2023.

BRASIL. Resolução nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Conselho Nacional de Educação.Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira. Ministério da Educação, Brasília, 2018. 4 p. Disponível em: <https://bit.ly/3RHVKoq>. Acesso em: 29 abr. 2022.

BRAMAN, S. Change of state: information, policy, and power. Cambridge: The MIT Press, 2009.

CAMPELLO, B. D. S. O movimento da competência informacional: uma perspectiva para o letramento informacional. Revista Ciência da Informação, v. 32, n. 3, 2003.

COELHO, E. P.; DE MARI, C. L. Paulo Freire e a Educação de Jovens e Adultos: uma abordagem interdisciplinar. Revista Educação Online PUC-Rio, Rio de Janeiro, n. 14, p. 39-53, ago./dez. 2013.

DEMO, P. Ambivalências da sociedade da informação. Revista Ciência da Informação. Brasília, v. 29, n. 2, p. 37-42, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011. 144 p.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Cientificamente favelados: uma visão crítica do conhecimento a partir da epistemografia. Transinformação, v.18, n.2, p.1–10, 2006.

GERALDO, G.; PINTO, M.D.S. Aspectos epistemológicos da ciência da informação e a construção conceitual da sustentabilidade informacional. In: BARBALHO, C.R.S. et al. (org.). Sustentabilidade Informacional em Ecossistemas de Conhecimentos. Manaus: Edua, 2021. Cap. 1. p. 12-23. Disponível em: <http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5856>. Acesso em: 13 fev 2023.

GRUPO DE TRABALHO DA SOCIEDADE CIVIL PARA A AGENDA 2030. VI Relatório luz da sociedade civil da Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável Brasil. p. 104 2022. Disponível em: <https://gtagenda2030.org.br/relatorio-luz/relatorio-luz-2022/> Acesso em 13 jun 2023.

IFLA Federação Internacional de Associações e Instituições de Bibliotecas. Conjunto de ferramentas: As bibliotecas e a implementação da Agenda 2030 da ONU. Programa de Ação da IFLA para o Desenvolvimento através das Bibliotecas. 2015.

MENDES, E.L. A extensão universitária na Ciência da Informação: análise do programa Cibercidadania. 2023. 104 p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Florianópolis, 2023. Disponível em: <https://bu.ufsc.br/teses/PCIN0315-D.pdf>. Acesso em: 4 maio 2023.

MENDES, E.L.; MINGHELLI, M.; DE MARI, C.L. A extensão universitária na Ciência da Informação: uma abordagem crítico participativa. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e023004, 2023.

MORESI, E. (Org.). Metodologia da Pesquisa. Pró- Reitoria de Pós Graduação, PRPG. Programa de pós-graduação stricto sensu em gestão. 2003. Disponível em: <http://www.inf.ufes.br/~pdcosta/ensino/2010-2-metodologia-depesquisa/MetodologiaPesquisa-Moresi2003.pdf>. Acesso em 13 jun 2023.

MORGADO, R.P., GOZETTO, A.C.O. Guia para a Construção de Estratégias de Advocacy: como influenciar políticas públicas. - Piracicaba, SP: Imaflora. 68 p. 2019.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Relatório Anual 2022. UNESCO. Brasília, 2022. <https://brasil.un.org/pt-br/225756-relat%C3%B3rio-anual-das-na%C3%A7%C3%B5es-unidas-no-brasil-2022>. Acesso em 05 Jun 2023.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA - UNESCO. Reimaginar nossos futuros juntos: um novo contrato social para a educação. Brasília: Comissão Internacional sobre os Futuros da Educação. Boadilla del Monte: Fundación SM. 2022. Disponível em: <https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000381115>. Acesso em: 28 junho 2022.

SANTOS, A.I.R.D.; ZATTAR, M. Biblioteca escolar e competência em informação: experiência na pandemia. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 17, p. 1-16, 2021.

SOARES, M.S.B.; MARTIN, M.T.; FRANCELIN; M. Pluralismo lógico e epistemografia interativa como ferramentas desclassificadoras do conhecimento. Rev. Digit. Bibliotecon. e Cienc. Inf., Campinas, v.11, n. 1, 2013.

Downloads

Publicado

01-12-2023

Como Citar

Mendes, E. L. ., Garcia, B. B., & Minghelli, M. (2023). Advocacy junto às escolas do maciço do Morro da Cruz em Florianópolis (SC): desenvolvendo os ODSs por meio da extensão universitária em CI. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(7), 329–343. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.15215

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2023-06-19
Aceito: 2023-10-19
Publicado: 2023-12-01