Estratégias para a Educação Ambiental no tratamento de água em comunidades indígenas da Amazônia

Autores

  • Fabricio Barreto Universidade Federal de Roraima - UFRR
  • Marcos José Salgado Vital Universidade Federal de Roraima - UFRR
  • Meire Joisy Almeida Pereira Universidade Federal de Roraima - UFRR
  • Andreia da Silva Alencar Universidade Federal de Roraima - UFRR https://orcid.org/0000-0002-0747-7333
  • Maria Bárbara de Magalhães Bethonico Universidade Federal de Roraima - UFRR https://orcid.org/0000-0002-0144-0716

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14824

Palavras-chave:

Estratégias; Comunidades Indígenas; Educação Ambiental; Amazônia.

Resumo

A Educação Ambiental se faz necessária para o desenvolvimento de novas condutas ou estratégias que visem melhorias na qualidade de vida dos povos tradicionais. O estudo teve como objetivo a orientação do Agente Indígena de Saneamento (AISAN) e das lideranças indígenas, sobre a importância dos cuidados com os seus mananciais e a busca de estratégias acessíveis para a resolução da contaminação microbiológica da água, identificada na primeira análise. Para esse fim, foi orientada a utilização do hipoclorito no tratamento da água, mas de uma maneira que misturasse a substância direto na rede de distribuição. Como resultado, o AISAN desenvolveu um mecanismo simples, porém efetivo que, após a segunda coleta e análise da água, se pode comprovar a descontaminação, tornando-a segura para o consumo humano. Conclui-se que a orientação em Educação Ambiental, com ações que demonstrem a efetividade de estratégias inovadoras se faz necessário para a melhoria da qualidade de vida em regiões de difícil acesso e poucos recursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos José Salgado Vital, Universidade Federal de Roraima - UFRR

Doutor em Ciências (Microbiologia Ambiental) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor titular da Universidade Federal de Roraima.

Meire Joisy Almeida Pereira, Universidade Federal de Roraima - UFRR

Doutora em Ciências do ambiente e sustentabilidade na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e professora da Universidade Federal de Roraima.

Andreia da Silva Alencar, Universidade Federal de Roraima - UFRR

Doutora em Recursos Naturais pela Universidade Federal de Roraima e professora do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Roraima.

Maria Bárbara de Magalhães Bethonico, Universidade Federal de Roraima - UFRR

Doutora em Geografia pela Universidade Federal Fluminense. Professora efetiva da Universidade Federal de Roraima.

Referências

AMARAL, L.A. et al. Tratamento alternativo da água utilizando extrato de semente de moringa oleífera e radiação solar. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.73, n.3, p.287-293, jul./set., 2006.

APHA, AWWA, WEF. Standard methods for the examination of water and wastewater. 23. ed. Washington: American Public Health Association, 2017. 1504 p.

BETHONICO, M.B.M. Comunidades Indígenas da Região do Baixo São Marcos/Boa Vista - RR. Base cartográfica IBGE/DSEI-Leste, 2020. 1 mapa. Escala 1: 2.500.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS n.º 888, de 04 de maio de 2021. Consolidação das normas sobre as ações e os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde. Brasília: Gabinete do Ministro, 2021. 49 p.

DOMINGUES, V.O. et al. Contagem de bactérias heterotróficas na água para o consumo humano: comparação entre duas metodologias. Revista Saúde, Santa Maria, [S. l.], v. 33, n. 1, p. 15–19, 2007.

FRANCISCO, A.R.; PATERNIANI, J.E.S.; MAYURUNA, J.S. Técnicas alternativas de tratamento de água voltadas para indígenas do Vale do Javari. Inclusão Social, [S. l.], v. 12, n. 1, 2018.

JARDIM, W.F. Medição e interpretação de valores do potencial redox (EH) em matrizes ambientais, Revista Química Nova, v. 37, n. 7, p. 1233-1235, 2014.

MONDARDO, M. Povos indígenas e comunidades tradicionais em tempos de pandemia da Covid-19 no Brasil: estratégias de luta e r-existência. Revista Finisterra, [S. l.], v. 55, n. 115, p. 81–88, 2021.

MOREIRA, G.A.V., GONÇALVES, M.V.P., PORCIÚNCULA, D.C.L. da. O compromisso social da Educação Ambiental no âmbito da escassez hídrica. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v.17, n.2, p. 389–414.

UATE, A.A., et al. Resíduos líquidos provenientes da lavagem de automóveis na via pública e seu impacto ambiental na cidade de Maputo e a necessidade de Educação Ambiental. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v.17, n.4, p. 385–388, 2022.

OLIVEIRA, J.R.; FERREIRA, J.R.S; QUEIROZ, T.M.A. Água em debate: relato de experiência em escolas no meio urbano, rural e indígena, no centro-oeste do Brasil, microrregião de Tangará da Serra. Revista Conexão UEPG, Mato Grosso, abril 2019.

PICCOLI, A.S. et al. A Educação Ambiental como estratégia de mobilização social para o enfrentamento da escassez de água. Ciênc. Saúde Coletiva, v. 21, n.3, mar, 2016.

ROLLEMBERG, S.; MAGALHÃES, J. Técnicas simplificadas de tratamento de água. Revista Virtual de Química, v. 12, n. 2, 2020.

SANTOS, S.T.; LIMA, A.J.; MICHELAN, D.C.G.S. Perspectivas sobre o uso de materiais alternativos no tratamento de água: revisão sistemática desenvolvida em filtros lentos. Revista Brasileira de Meio Ambiente, v. 9, n. 2, p.121-139, 2021.

Downloads

Publicado

01-10-2023

Como Citar

Barreto, F., Vital, M. J. S., Pereira, M. J. A., Alencar, A. da S., & Bethonico, M. B. de M. (2023). Estratégias para a Educação Ambiental no tratamento de água em comunidades indígenas da Amazônia. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(6), 217–227. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14824

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido: 2023-02-09
Aceito: 2023-06-20
Publicado: 2023-10-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.