O uso da cartilha como Instrumento de Educação Ambiental para a bacia hidrográfica do rio Itacaiúnas

Autores

  • Sarah Brasil de Araujo de Miranda Instituto Tecnológico Vale
  • Renato Oliveira da Silva Junior Instituto Tecnológico Vale https://orcid.org/0000-0001-8875-6299
  • Carlos Eduardo Aguiar de Souza Costa Universidade Federal do Pará
  • Gustavo Francesco de Morais Dias Instituto Federal do Pará https://orcid.org/0000-0002-7681-2318
  • Jorge Manuel Filipe dos Santos Instituto Tecnológico Vale
  • Veronica Jussara Costa Bittencourt Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade-SEMAS/PA

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14708

Palavras-chave:

Gestão Hídrica, Tecnologia Social, Stakeholders, Comitê de bacia hidrográfica

Resumo

O estudo teve como objetivo desenvolver ferramentas educacionais, como uma cartilha sobre a “Gestão de Bacia Hidrográfica: Por usos mais sustentáveis do Rio Itacaiúnas”, com vistas a transformar valores, nivelar conceitos e comportamentos das diferentes partes interessadas que se utilizam das águas desta bacia. Foi elaborado um questionário eletrônico e físico para avaliação dos principais conteúdos da Cartilha. A análise das questões avaliativas da cartilha impressa e digital, mostraram-se na totalidade favoráveis ao produto desenvolvido, concluindo, portanto, que o material produzido serve de instrumento de grande aceitação e como potencial instrumento didático para o início de uma longa trajetória visando a criação de um Comitê na BHRI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Brasil de Araujo de Miranda , Instituto Tecnológico Vale

Atualmente é mestre em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais pelo Instituto Tecnológico Vale. Possui graduação em Engenharia Ambiental e Energias Renováveis pela Universidade Federal Rural da Amazônia e graduação em Tecnólogo em Gestão Ambiental pela UNIFAMAZ. Tem experiência na área de Engenharia Ambiental, com ênfase na análise de uso e cobertura da terra por meio da utilização das técnicas de geoprocessamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Uso e cobertura da terra, Gestão Ambiental, Auditoria e Perícia Ambiental.

Renato Oliveira da Silva Junior, Instituto Tecnológico Vale

Renato Silva Júnior, Geólogo, com Doutorado em Ciências Ambientais, Mestrado em Geologia e Geoquímica, e Especialização em Hidrogeologia Aplicada pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal do Pará (IG-UFPA). Tem mais de 20 anos de experiência na área de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Atuou pela Secretaria de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente (SRH-MMA) no desenvolvimento de Projetos Pilotos em bacias de alto interesse ecológico, apoio técnico e institucional aos Estados, Distrito Federal e a União, bem como nos Grupos de Trabalho (GT) e Câmaras Técnicas (CT) do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH). Tem mais de 10 anos de experiência como Docente em Instituições de Ensino Superior (UFPA; UNB, UniCEUB) nos cursos de graduação, interiorização, e especialização em Gestão Ambiental. Durante 8,5 anos atuou na Golder Associates Brasil Consultoria e Projetos Ltda, onde prestou serviços para vários clientes e empreendedores na área de meio ambiente e mineração. Atualmente é Pesquisador Adjunto do Instituto Tecnológico Vale Desenvolvimento Sustentável (ITV DS), onde desenvolve suas pesquisas, desde 2012, na área de Geologia Ambiental e Recursos Hídricos. Por mais de 6 anos foi o Coordenador Técnico do Projeto de monitoramento dos recursos hídricos da bacia hidrográfica do rio Itacaiúnas (SE-PA). É Professor Permanente do Programa de Mestrado Profissional em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais do ITV DS, onde desenvolve suas atividades voltadas para o ensino e orientação de pesquisa aos discentes.

Carlos Eduardo Aguiar de Souza Costa, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Pará - UFPA (2013), especialização em Engenharia Geotécnica pela Faculdade Única de Ipatinga - FUNIP/MG (2020), mestrado (2016) e doutorado (2021) em Engenharia Civil (Área: Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental) pela UFPA. Atualmente é Professor Adjunto da UFPA, no Campus Universitário de Tucuruí (CAMTUC), atuando na Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental (FAESA). Na área científica, trabalha com ênfase em recursos hídricos e climatologia, com produções e projetos voltados para o gerenciamento de riscos climáticos. Possui também experiência profissional na área de saneamento e meio ambiente, tendo atuado em empresas responsáveis por elaborar e fiscalizar importantes projetos de saneamento e licenciamento ambiental por todo o Estado do Pará.

Gustavo Francesco de Morais Dias, Instituto Federal do Pará

Atualmente é professor do Instituto Federal do Pará - IFPA. Graduado em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal Rural da Amazônia (2016). Especialista em Auditoria e Perícia Ambiental pela Universidade Cândido Mendes (2017). Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo (2018). Mestre em Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Pará (2018). Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido da Universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase na análise de uso e cobertura da terra e paisagem por meio da utilização das técnicas de geoprocessamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Uso e cobertura da terra, Paisagem e Recursos Hídricos.

Jorge Manuel Filipe dos Santos, Instituto Tecnológico Vale

Graduou-se em Engenharia Geográfica pela Universidade de Coimbra em 1990. Possui doutorado em Engenharia Geográfica igualmente pela Universidade de Coimbra (2005), com orientação do professor Weldon Lodwick, da Universidade do Colorado em Denver. Foi professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia na Universidade de Coimbra entre 1991 e 2011. Foi consultor internacional da OTCA no INPE, Centro Regional da Amazônia entre 2011 e 2013. É pesquisador associado no Instituto Tecnológico Vale - Desenvolvimento Sustentável em Belém do Pará, desde julho de 2013. Tem experiência de ensino e pesquisa em Engenharia Geográfica, com especial interesse em geoprocessamento e modelagem geográfica. Atualmente desenvolve pesquisas sobre socioeconomia e sustentabilidade em territórios sob influência da mineração e sua logística, em especial na Amazônia Oriental.

Veronica Jussara Costa Bittencourt, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade-SEMAS/PA

Engenheira Sanitarista, mestre em Recursos hídricos e Saneamento,especialista em Gestão Ambiental. Atualmente é analista ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade- SEMAS/PA e professora horista de Faculdade Integrada Brasil Amazônia - FIBRA de cursos de pós graduação.Tem 14 anos de experiência profissional na área de recursos hídricos, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento e gestão dos recursos hídricos, capacitação e educação ambiental em recursos hídricos, saneamento ambiental e gestão ambiental.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA). A gestão dos recursos hídricos e a mineração. Coordenação-Geral das Assessorias; Instituto Brasileiro de Mineração; organizadores, Antônio Félix Domingues, Patrícia Helena Gambogi Boson, Suzana Alípaz. Brasília: ANA, 2006.

BRANCO JUNIOR, A. C.; RODRIGUES, S. F.; MIRANDA, K. H. F.; PEÇANHA NETO, J. L. Educação Ambiental online baseada na abordagem sobre recursos hídricos. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 17, n. 5, p. 09-22. 2022.

BRASIL. Lei n. 9433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos e dá outras providências. Brasília, DF, 1997. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9433.htm>. Acesso em: 23 nov. 2022.

BRITO, A. D.; LOPES, J. C.; NETA, M. M. S. A. Tripé da governança: poder público, setor privado e a sociedade civil em busca de uma gestão integrada dos recursos hídricos. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 8, n. 4, p. 506-522. 2019.

CARVALHO, L. R.; ANDRADE, L. N. P. S.; SOUZA, C. A. Percepção ambiental dos moradores da bacia hidrográfica do rio Tapaiúna, nova Canaã do Norte, Mato Grosso. Revista de Geografia (Recife), v. 37, n. 2. 2020.

CIRILO, B. B. Elemento de benção, região de maldição: uma análise da gestão de recursos hídricos no Estado do Pará. 2019. 250f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido) - Universidade Federal Pará, Belém, 2019.

CIRILO, B. B; ALMEIDA, O. T. Os limites à atuação do poder público municipal na gestão de recursos hídricos das bacias hidrográficas do rio Marapanim e do rio Itacaiúnas, estado do Pará. Geografares, v. 1, n. 31, p. 268-292, 2020.

CORDEIRO, P. S.; MELO, C. O. A questão dos recursos hídricos: um estudo para o município de cascavel-PR. Gestão e Desenvolvimento em Revista, v. 5, n. 1, p. 55-69. 2019.

COSTA, A. F. S.; SILVA, C. S.; NASCIMENTO, J. A.; OLIVEIRA, M. M.; QUEIROZ, Y. O.; SILVA, M. J. Recursos hídricos. Caderno de Graduação-Ciências Exatas e Tecnológicas-UNIT-SERGIPE, v. 1, n. 1, p. 67-73. 2012.

COSTA, M. L. M; SILVA, T. C.; LIMEIRA, M. C. M. Investigação sobre as relações interinstitucionais e interdisciplinares para o planejamento integrado de recursos hídricos na bacia hidrográfica do Rio Gramame, Brasil. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 26, n. 2, p. 291-299. 2021.

D’ELIA, R.; ARRUDA, R. O. M.; BULBOVAS, P. A Educação Ambiental e sua relevância na preservação dos recursos hídricos. Revista Educação, v.15, n.3. 2020.

DANELUZZI, N. S.; PALMIERI, M. L. B. Análise de pesquisas sobre práticas de Educação Ambiental em recursos hídricos. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 17, n. 1, p. 289-299. 2022.

DIAS, L. B. A.; GARCIA, P. S.; PEREIRA, L. C.; PEREIRA JUNIOR, A. Análise multitemporal do desmatamento e queimadas na sub-bacia de Itacaiúnas, Marabá - Pará. Research, Society and Development, v. 10, n. 3, 2021.

DICTORO, V. P.; HANAI, F. Y. A educação e a comunicação ambiental transformadora: abordagens, diretrizes e práticas na gestão de bacias hidrográficas. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 6, p. 104-124. 2021.

DICTORO, V. P.; HANAI, F. Y. Análise da relação homem-água: a percepção ambiental dos moradores locais de cachoeira de Emas – SP, bacia hidrográfica do rio Mogi-Guaçu. RA´E GA, v. 36, p. 92-120, 2016.

GARCIA, C. S.; GARCIA, P. S.; LIMA, S. S.; LOUREIRO, G. E. Uso e Cobertura da Terra na Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Itacaiúnas, Estado do Pará. Research, Society and Development, v. 10, n.15. 2021.

GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Geomorfologia e meio ambiente. 3 ed. Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 2000. 372p.

HOLTZ, T.D. Geração Z: novos consumidores do mercado e a equidade de gênero nas campanhas publicitárias, no mercado de Portugal e do Brasil. 2020. 74 f. Dissertação (Mestrado em Design e Publicidade) – Universidade Europeia, Lisboa, 2020.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Geociências: Downloads. 2018. Disponível em: <https://downloads.ibge.gov.br/>. Acesso em: 23 nov. 2022.

JACOBI, P. R.; FRANCALANZA, A. P. Comitês de bacias hidrográficas no Brasil: desafios de fortalecimento da gestão compartilhada e participativa. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 11. 2005.

LIMA, R.T. Percepção ambiental e participação pública na gestão dos recursos hídricos: perfil dos moradores da cidade de São Carlos, SP (bacia hidrográfica do rio do Monjolinho). 2003. 114 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

MACHADO, S. H.; FILHO, W. L. L. A leitura em material impresso e digital: a perspectiva das neurociências e as implicações para a aprendizagem e visão de mundo do sujeito. Revista Educação e Emancipação, v. 11, n. 2, p. 60-82. 2018.

MARIN, F. A. D. G.; LEAL, A. C. Educação Ambiental na universidade, nas escolas e na comunidade: A materialização de uma nova cultura de luta pela água. Núcleos de Ensino da UNESP, p. 104-116, 2006.

MESQUITA, L. F. G. Os comitês de Bacias Hidrográficas e o Gerenciamento Integrado na Política Nacional de Recursos Hídricos. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 45, p. 56-80. 2018.

MIOT, H. A. Tamanho da amostra em estudos clínicos e experimentais. Jornal Vascular Brasileiro, v. 10, n. 4, 2011.

NUNES, M. R.; PHILIPPI JR, A.; FERNANDES, V. Gestão Ambiental Municipal: objetivos, instrumentos e agentes. Brazilian Journal of Environmental Sciences, n. 23, p. 66-72, 2012.

OLIVEIRA, R. C.; ARAÚJO, R. C. Estudo da Ocorrência de Mudanças Temporais na Precipitação e Descarga da Sub-bacia do Rio Itacaiúnas, Sudeste da Amazônia. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 6, n. 2, p. 148-156. 2013.

PONTES, P. R. M.; CAVALCANTE, R. B. L.; SAHOO, C. P. K.; SILVA JÚNIOR, R. O.; SILVA, M. S.; DALL’AGNOL, R.; SIQUEIRA, J. O. The role of protected and deforested areas in the hydrological processes of Itacaiúnas River Basin, eastern Amazonia. Journal of Environmental Management, v. 235, p. 489-499. 2019.

RAMOS, A. S.; FONSECA, P. R. B.; NOGUEIRA, E. M. L.; LIMA, R. A. A relevância da Educação Ambiental para o desenvolvimento da sustentabilidade: uma breve análise. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 8, n. 4, p. 30-41. 2020.

ROSA, G. M.; SILVA, F. R.; FLACH, K. A. Educação Ambiental na educação escolar e a responsabilidade social: desafios e possibilidades nas questões ambientais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 5, p. 411-430. 2021.

SALES, J. C. A.; SILVA, C. V.; SILVA, D. C. C.; BITAR, O. Y.; LOURENÇO, R. W. Análise espacial da distribuição do ensino em função da renda em uma bacia hidrográfica. Nativa, v. 10, n. 1, p. 05-15. 2022.

SILVA JÚNIOR, R. O.; QUEIROZ, J. C. B.; FERREIRA, D. B. S.; TAVARES, A. L.; SOUZA-FILHO, P. W. M.; GUIMARÃES, J. T. F.; ROCHA, E. J. P. Estimativa de precipitação e vazões médias para a bacia hidrográfica do Rio Itacaiúnas (BHRI), Amazônia Oriental, Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 10, n. 05, p. 1638-1654. 2017.

SILVA JÚNIOR, R. O.; SOUZA-FILHO, P. W. M.; SALOMÃO, G. N.; TAVARES, A. L.; SANTOS, J. F.; SANTOS, D. C.; DIAS, L. C.; SILVA, M. S.; MELO, A. M. Q.; COSTA, C. E. A. S.; ROCHA, E. J. P. Response of Water Balance Components to Changes in Soil Use and Vegetation Cover Over Three Decades in the Eastern Amazon. Frontiers in Water, v. 3. 2021.

SILVA JÚNIOR, R.O. Resposta hidrológica devido às mudanças no uso do solo e cobertura vegetal na bacia hidrográfica do rio Itacaiúnas (BHRI) - Amazônia Oriental. 2017. 136 f. Tese. (Doutorado em Ciências Ambientais) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2017.

SILVA, F. L. Estudo sobre a Educação Ambiental na ugrhi-22, São Paulo: os materiais educativos do comitê da bacia hidrográfica do pontal do Paranapanema. 2021. 126 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2021.

SILVA, M. J. Acesso aos recursos hídricos no município do Cabo de Santo Agostinho – PE: construção de cartilha para apoio pedagógico. 2018. 50 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Rede Nacional para o Ensino das Ciências Ambientais) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

SOARES, L. R. S. Conflitos territoriais e identidade quilombola da comunidade do Ambé no Amapá. 2019. 360 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.

SOUZA, I. K. S. O uso da cartilha digital: “Nosso Capibaribe: conhecendo para preservar”, com instrumento de Educação Ambiental. 2019. 88 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Rede Nacional para o Ensino das Ciências Ambientais) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019.

SOUZA, M. et al. Governança de recursos comuns: bacias hidrográficas transfronteiriças. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 57, n. 2, p. 152-175. 2014.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102-106. 2010.

SOUZA-FILHO, P. W. M. et al. Four decades of landcover, land-use and hydroclimatology changes in the Itacaiúnas River watershed, southeastern Amazon. Journal of Environmental Management, v. 167, p. 175-184, 2016.

SOUZA-FILHO, P. W. M.; NASCIMENTO JR, W. R.; MENDONÇA, V.; SILVA JR, R. O.; GUIMARÃES, J. T. F.; DALL’AGNOL, R.; SIQUEIRA, J. O. Changes in the land cover and land use of the Itacaiúnas river watershed, arc of deforestation, Carajás, southeastern Amazon. Remote Sensing and Spatial Information Sciences, v. 40, p. 1491-1496. 2015.

SOUZA-FILHO, P. W. M.; SOUZA, E. B.; SILVA JÚNIOR, R. O.; NASCIMENTO JUNIOR, W. R.; MENDONÇA, B. R. V.; GUIMARÃES, J. T. F.; DALL’AGNOL, R.; SIQUEIRA, J. O. Four decades of land-cover, land-use and hydroclimatology changes in the Itacaiúnas River watershed, southeastern Amazon. Journal of Environmental Management, v. 167, p. 175-184. 2016.

TRATA BRASIL. Principais estatísticas do saneamento no Brasil. 2022. Disponível em: <https://tratabrasil.org.br/pt/saneamento/principais-estatisticas/no-brasil/agua>. Acesso em: 23 nov. 2022.

Downloads

Publicado

01-06-2023

Como Citar

Miranda, S. B. de A. de, Silva Junior, R. O. da, Costa, C. E. A. de S., Dias, G. F. de M., Santos, J. M. F. dos, & Bittencourt, V. J. C. (2023). O uso da cartilha como Instrumento de Educação Ambiental para a bacia hidrográfica do rio Itacaiúnas. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(4), 260–285. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14708

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-12-26
Aceito: 2023-02-13
Publicado: 2023-06-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.