Da Educação Ambiental crítica à Educação Ambiental decolonial: revisando concepções em narrativas à luz da racionalidade ambiental

Autores

  • Fabiana Pinto de Almeida Bizarria Universidade Federal do Piauí
  • Bruno Galisa de Oliveira Universidade Federal do Piauí
  • Flávia Lorenne Sampaio Barbosa Universidade Federal do Piauí
  • Marcleide Sampaio Oliveira Centro Universitário UNINTA https://orcid.org/0000-0001-5334-8025

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14581

Palavras-chave:

Educação Ambiental Crítica; Decolonial; Racionalidade.

Resumo

A pesquisa, que constitui revisão narrativa, visa apresentar argumentos favoráveis à Educação Ambiental Decolonial, narrando reflexões a partir do construto “Racionalidade Ambiental”, considerando estudos seminais de Enrique Leff, incluindo debates sobre ética, horizontalidade dos saberes e epistemologias alternativas. Com a discussão, amplia-se o panorama sobre a educação direcionada para as transformações sociais, com análises situadas no contexto social, histórico e político de referência, incluindo possibilidades de intervenções mais assertivas, atentas ao reconhecimento da diversidade inerente, garantindo inteligibilidade às múltiplas maneiras de ser, estar, elaborar e intervir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria, Universidade Federal do Piauí

Faculdade Luciano Feijão e Professora Colaboradora PPGP/ UFPI.

Marcleide Sampaio Oliveira, Centro Universitário UNINTA

Faculdade Luciano Feijão, FLF.

Referências

BABALOLA, A.; OLAWUYI, D. S., Advancing Environmental Education for Sustainable Development in Higher Education in Nigeria: Current Challenges and Future Directions, Sustainability, v. 13, nº 19, p. 1-14. 2021

BOFF, L. Saber cuidar: ética do humano: compaixão pela terra. Petrópolis, RJ. Ed. Vozes. 1999.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, v. 5, nº 11, p. 121-136. 2011.

BRASIL. Política Nacional de Educação Ambiental. Lei 9795/99. Brasília. 1999.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental Crítica: nomes e endereçamentos da educação. In: LAYRARGUES, P.P. (coord.). Identidades da Educação Ambiental brasileira. Brasília, MMA. Diretoria de Educação Ambiental. 2004.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2.ed. São Paulo: Cortez. 2006.

CHALITA, G. Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Gente. 2002.

COSTA, C. A.; LOUREIRO, C. F. Interdisciplinaridade e Educação Ambiental crítica: questões epistemológicas a partir do materialismo histórico-dialético. Ciênc. Educ, Bauru, v. 21, nº 3. 2015

DEMIDOVA, N. N.; VINOKUROVA, N. F.; LOSHCHILOVA, A. A.; ZULKHARNAEVA, A. V.; MATVEEVA, A. V. El desarrollo de la cultura de gestión ambiental en estudiantes de secundaria en educación no formal con enfoque cultural y ecológico. Apuntes Universitarios, v. 11, nº1, p. 232–251. 2020.

DEMIDOVA, N. N.; VINOKUROVA, N. F. Designing an eco-oriented lifestyle of a student’s personality in a cultural landscape: Theoretical and methodological discourse. Nizhniy Novgorod: Kirilitsa LLC. 2019.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9.ed. São Paulo: Gaia. 2004.

DUSSEL, E. Filosofia de La liberacion: desde La práxis de lós oprimidos. Revista de Estudios e Investigación, v.8, n.13-14, Enero-Diciembre.hy. 1992.

DUSSEL, E. From Critical Theory to the Philosophy of Liberation: Some Themes for Dialogue. Transmodernity: Journal of Peripheral Cultural Production of the Luso-Hispanic World, v. 1, nº 2. 2011.

DUSSEL, E. Transmodernidade e interculturalidade: interpretação a partir da filosofia da libertação. Dossiê: Decolonialidade e perspectiva negra. Soc. Estado, v. 31, nº 1, jan/abr. 2016.

ESCHENHAGEN, M. L. Approaches to Enrique Leff’s Environmental Thought: A Challenge and a Venture that Enriches the Meaning of Life. Enviromental Ethics, v. 34, nº 4, p. 23-429. 2012.

FELICIO, M. J. Gênese da Racionalidade Ambiental utópica. Geoambiente on-line, Jataí, n. 32, set./dez. 2018.

FERRARI, R. Writing narrative style literature reviews, Medical Writing, v.24, n.4, pp.230-235. 2015.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. Ed. 2, Paz e Terra. 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 1996.

FREITAS, A. L. C.; FREITAS, L. A. A. Retomando a Educação Ambiental Crítica a partir dos pressupostos de Paulo Freire e Enrique Dussel. Horizontes, v. 38, nº 1. 2020.

FROST, N. Do you know what I mean? The use of a pluralistic narrative analysis approach in the interpretation of an interview. Qualitative Research, v.9, pp. 9–29. 2009.

GEDDES, D.; LINDEBAUM, D. Unpacking the ‘why’ behind strategic emotion expression at work: A narrative review and proposed taxonomy, European Management Journal, v. 38, nº 5, fev. 2020.

GIRON, H.; FERRARO, J. L. S. Uma proposta de diálogo entre Paulo Freire e a Educação Ambiental Crítica, REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Ed. Especial EDEA, n. 1, pp. 239-252. 2018.

GOUGH, I. Social policy regimes in the developing world. In: KENNETT, P., (ed.) A Handbook of comparative social policy. Elgar original reference. Edward Elgar Publishing Ltd, Cheltenham UK, pp. 205-224. 2013.

GREEN, B. N.; JOHNSON, D. C.; ADAMS, A. Writing narrative literature reviews for peer-reviewed journals: secrets of the trade. Clinical Update, v. 5, nº 3, p. 101-117. 2006.

GREENHALGH, T.; ROBERT, G.; MACFARLANE, F.; BATE, P.; KYRIAKIDOU, O.; PEACOCK, R. Storylines of research in diffusion of innovation: a meta-narrative approach to systematic review. Social science & medicine (1982), v. 61, nº 2, p. 417–430. 2005.

GROSSMAN, G.; KRUEGER, A. Environmental impacts of a North American free trade agreement. NBER, National Bureau of Economic Research Working Paper, 3914. Cambridge, MA. 1991.

GUEDES, J. C. de S. Educação Ambiental nas escolas de ensino fundamental: estudo de caso. Garanhuns. 2006.

GUIMARÃES, C. Entrevista de Enrique Leff. Revista Senac de Educação Ambiental, v. 16, nº 1, jan/abril. 2007.

HAKALA, H.; O'SHEA, G.; FARNY, S.; LUOTO, S. Re‐Storying the Business, Innovation and Entrepreneurial Ecosystem Concepts: The Model‐Narrative Review Method (January 2020). International Journal of Management Reviews, v. 22, nº 1, p. 10-32, 2020.

HOFSTATTER; L. J. V.; OLIVEIRA, H. T.; SOUTO, F. J. B. Uma contribuição da Educação Ambiental Crítica para (des) construção do olhar sobre a seca no semiárido baiano. Ciênc. Educ., Bauru, v. 22, nº 3, p. 615-633. 2016.

HUI, L.; KHATTAK, S.; AHMAD, M. Measuring the Impact of Higher Education on Environmental Pollution: New Evidence from Thirty Provinces in China. Environmental and Ecological Statistics. v. 28, pp.187–217, 2021.

IARED, V. G. et al. Post-Critical Environmental Education as a Possibility for more Sensitive Educational Practices. Educação & Realidade, 46. 2021.

LEFF, E. Epistemologia Ambiental. São Paulo: Cortez. 2001.

LEFF, E. Aventuras da Epistemologia Ambiental: da articulação das ciências ao diálogo de saberes. Rio de Janeiro, Garamond. 2004.

LEFF, E. Complexidade, Racionalidade Ambiental e diálogo de saberes. Educação & Realidade, v. 34, nº 3, p. 17-24, set./dez. 2009.

LEFF, E. Sustentabilidad y racionalidad ambiental: hacia ‘outro’ programa de sociologia ambiental. Revista Mexicana de Sociología. v. 73, nº 1, 5-46, jan/mar. 2013.

LIMA, G. F. C. Educação Ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educ. Pesqui. v. 35, nº 1. 2009.

LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. Ecologia política, justiça e Educação Ambiental Crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trabalho, Educação e Saúde, v.11, p. 53-71. 2013.

LOUREIRO, C. F. B. Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em Educação Ambiental. Edu. Soc. v. 26, nº 93, dez. 2005.

LUNA-KRAULETZ, M. D. et al. Environmental Education for Sustainability in Higher Education Institutions: Design of an Instrument for Its Evaluation Sustainability, v. 13, nº 13, p. 7129. 2021.

MACHADO, L. R. DE M.; NILO, A. Educação Ambiental Crítica e ecologia integral em oposição à semiformação da indústria cultural. Devir Educação, v. 3, nº 1, p. 50-61. 2019.

MAGDANIEL, M. L. I.; MORALES, J. D. C. J.; PEÑALOZA, Y. J. Educación medioambiental en perspectiva Decolonial: Desafíos ante el modelo civilizatorio occidental. Revista de Filosofia, v. 38, nº 99, p. 547-557. 2021.

MALTA, M. M.; PEREIRA, V. A. Racionalidade Ambiental: possibilidades para a Educação Profissional. REMEA – Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v.1, p. 75-87. 2018.

MARTINS, J. P. D. A.; SCHNETZLER, R. P. Formação de professores em Educação Ambiental Crítica centrada na investigação-ação e na parceria colaborativa. Ciência & Educação (Bauru), v. 24, nº 3, p. 581-598. 2018.

MENDES-DA-SILVA, W. Contribuições e Limitações de Revisões Narrativas e Revisões Sistemáticas na Área de Negócios. Revista de Administração Contemporânea, v. 23, nº 2, p. 1-11. 2019.

MINAYO, C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 26 ed. Petrópolis: Vozes. 2007.

MIRANDA, L. F.; SÁNCHEZ, J. O.; VILORIA, J. de J. Environmental sustainability in higher education: Mapping the field. Revista Electrónica de Investigación Educativa, v. 23, nº 09, p. 1-16. 2021.

MOURA PESSOA, H. Educação ambiental e currículos nômades: conexões com a filosofia pós- estruturalista. Ensaio, Pesquisa em Educação Ambiental, v.24. 2022.

NABAES, T. O.; PEREIRA, V. A. Ontologia Ambiental: o reposicionamento do Ser no horizonte da Racionalidade Ambiental. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, 61, 189-204, jul./set. 2016.

NDOU, M.; AIGBAVBOA, C.; THWALA, W. D. Exploring stakeholder roles in the management of indoor environmental quality of higher education institutes in South Africa. Management of Environmental Quality, v. 32 n. 6, p. 1367-1382. 2021.

NGUYEN, K.L.P. et al. Roles of socio- physical environments on air quality control policy with respect to knowledge, attitude and intention. J. Clean. Prod. v..288. 2021.

OLAWUYI, D.S. Principles of Nigerian Environmental Law: Afe Babalola University Press: Ado Ekiti, Nigeria, 1–25. 2015.

OLIVEIRA, A. J. DE; DE SOUZA FREIRE, F. Isomorfismo Institucional e Sustentabilidade Ambiental das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES). Brasileiras. REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade, v. 11, nº 2, p. 16-32. 2022.

PALMA, I. R. Análise da percepção ambiental como instrumento ao planejamento da Educação Ambiental. Dissertação para a obtenção do título de Mestre em Engenharia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2005.

PENELUC, M. D. C.; PINHEIRO, B. C. S.; MORADILLO, E. F. d. Possíveis confluências filosóficas e pedagógicas entre a Educação Ambiental Crítica e a pedagogia histórico-crítica. Ciência & Educação (Bauru), 24, p. 157-173. 2018.

PEREZ-LOPEZ, J. B.; ORRO A.; NOVALES, M. Environmental Impact of Mobility in Higher-Education Institutions: The Case of the Ecological Footprint at the University of A Coruña (Spain), Sustainability, v. 13, nº 11, 6190. 2021.

PORTO-GONÇALVES, C. W.; LEFF, E. Political Ecology in Latin America: the Social Re-Appropriation of Nature, the Reinvention of Territories and the Construction of an Environmental Rationality. Desenvolv. Meio Ambiente, v.35, p. 65-88, dez. 2015.

QUIJANO, A. Coloniality and modernity/rationality. Cultural Studies, v.21, March/May, p. 168-178. 2007.

QUIJANO, A. Colonialidad del poder, raza y capitalismo. Debates en Sociología, v.49. 2019a.

QUIJANO, A. Eurocentrismo y perspectivas epistêmicas. Debates en Sociología, v.49, p. 181-196. 2019b.

RAMOS, E. C. A abordagem naturalista na Educação Ambiental. Uma análise dos projetos ambientais de educação em Curitiba. 232f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas), Pós-graduação interdisciplinar em Ciências Humanas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal de Santa Catarina. 2006.

ROBOTTOM, I. Critical Environmental Education Research: Re-Engaging the Debate. Canadian Journal of Environmental Education, v. 10, nº 1. 2005.

ROTHER, E.T. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, v. 20, nº 2, v-vi. 2007.

RUPAREL, N.; CHOUBISA, R. Knowledge hiding in organizations: a retrospective narrative Review and the way forward. Dynamic Relationships Management Journal, v. 9, n. 1, p. 5-22. 2020.

SALAZAR, T. D. N. J. M. Educación ambiental para la sustentabilidad (Environmental education for sustainability). Horiz. Sanit, v.8, p. 4–7. 2009.

SANTOS, F.A. et al. Environmental Education in Brazil: Socio-Historical Perspectives in Formal Teaching for Sustainability. Creative Educ. v.11, 103613. 2020.

SILVA, R. P. I.; MAIA, F. J. F. A aplicação da extrafiscalidade à Política Nacional de Resíduos Sólidos examinada pela perspectiva de Enrique LEff. Revista Acadêmica de Direito do Recife. v. 89, nº 1, jan./jun. 2017.

SU, Y.; JIANG, Q.; KHATTAK, S.I. et al. Do higher education research and development expenditures affect environmental sustainability? New evidence from Chinese provinces. Environ Sci Pollut Res, v.28. 2021.

SUÁREZ-PERALES, I.; VALERO-GIL, J.; LA HIZ, D. I. L.; RIVERA-TORRES, P.; GARCÉS-AYERBE, C. Educating for the future: How higher education in environmental management affects pro-environmental behaviour, Journal of Cleaner Production, v.321. 2021.

TORRACO, R. J. Writing Integrative Literature Reviews: Guidelines and Examples. Human Resource Development Review, v. 4, nº 3, p. 356–367. 2005.

TORRACO, R. J. Writing Integrative Literature Reviews: Using the Past and Present to Explore the Future. Human Resource Development Review, v. 15, nº 4, p. 404–428. 2016.

TOZONI-REIS, M. F. C. Formação dos educadores ambientais e paradigmas em transição. Ciência & Educação, v. 8, nº 1, p. 83 – 96. 2002.

TOZONI-REIS, M. F. C. Temas ambientais como “temas geradores”: contribuições para uma metodologia educativa ambiental crítica, transformadora e emancipatória. Educar, Curitiba, v.27, p. 93-110. 2006.

TOZONI-REIS, M. F. C. Fundamentos teóricos para uma pedagogia crítica da Educação Ambiental: algumas contribuições. Anais da 30ª Reunião Anual da Anped, Caxambu, MG. 2007.

TOZONI-REIS, M. F. C. Sobre educar e transgredir. Ciênc. Educ., Bauru, v. 25, nº 1, 3-4. 2019.

UNESCO. Educação Ambiental: as orientações gerais da Conferência de Tbilisi. Paris: Impimerie des Presses. 1980.

WHITTEMORE, R.; KNAFL, K. A revisão integrativa: atualizada metodologia. Diário do Avançado Enfermagem, v. 52, nº 5, p. 546-553. 2005.

WONG, G., et al RAMESES publication standards: meta-narrative reviews, BMC medicina, v. 11, nº 1, p.1-15. 2013.

YANG, M.; WANG, J.; YASMIN, F. Does Higher Business Education Champion Environmental Sustainability for Next Generation of Leaders? An Assessment of In-School Students and Alumni’s Perspective. Polish Journal of Environmental Studies, v. 30, nº 6, p. 5317-5332. 2021.

YUAN Y.; HUNT, H. R. Systematic reviews: The good, the bad, and the ugly. Am J Gastroenterol, v. 104, nº 5, p. 1086-1092. 2009.

Downloads

Publicado

01-04-2023

Como Citar

Bizarria, F. P. de A., Oliveira, B. G. de, Barbosa, F. L. S. ., & Oliveira, M. S. . (2023). Da Educação Ambiental crítica à Educação Ambiental decolonial: revisando concepções em narrativas à luz da racionalidade ambiental. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(3), 172–195. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14581

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-11-07
Aceito: 2023-01-26
Publicado: 2023-04-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)