Viveiro de espécies arbóreas: prática de Educação Ambiental em uma escola da Amazônia Oriental

Autores

  • Signe Lima Soares Universidade Federal Rural da Amazônia, AM
  • Thaisa Pegoraro Comassetto Universidade Federal Rural da Amazônia, AM

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.14146

Palavras-chave:

Arborização, Educação Fundamental, Interdisciplinaridade, Pesquisa Ação

Resumo

Objetivou-se desenvolver práticas de Educação Ambiental com alunos do Ensino Fundamental de uma escola pública paraense, por meio da confecção de um viveiro e da produção e do plantio de mudas de ipê rosa (Tabebuia sp.) e pau preto (Cenostigma tocantinum). A metodologia utilizada baseou-se na pesquisa-ação, abordagem qualitativa, observação e no registro fotográfico. Foi observado que é possível resgatar temáticas de diversos campos do conhecimento, aplicando a interdisciplinaridade, por meio da arborização, além de ter despertado curiosidades, interesses e responsabilidades nos alunos. As atividades foram positivas, bem recebidas e podem ser reproduzidas em outros contextos e realidades brasileiras.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Signe Lima Soares, Universidade Federal Rural da Amazônia, AM

Formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural da Amazônia, campus Capitão Poço

Thaisa Pegoraro Comassetto, Universidade Federal Rural da Amazônia, AM

Doutora em Eng. Agrícola, Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental; docente do curso de Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural da Amazônia, campus Capitão Poço

Referências

AVILA, A. L. et al. Educação Ambiental no ensino fundamental através da identificação e plantio de espécies arbóreas. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 22, p. 364-381, 2009.

BERNARDES, M. B. J.; PRIETO, E. C. Educação Ambiental: disciplina versus tema transversal. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 24, p. 173-185, 2010.

BOZZA, A. N. et al. Conscientização sobre a importância da mata ciliar

realizada com alunos do ensino fundamental da escola sistema educacional realidade. Programa de Educação Tutorial (PET) Biologia PUC,

Campinas, SP, 2005. Disponível em:. Acesso em: 28 jul. 2022.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Estabelece a Política Nacional da Educação Ambiental (PNEA). Brasília, DF: Presidente da República, [1999]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm> Acesso em: 18 out. 2021.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. PCN. Meio Ambiente e Saúde. Brasília: MECSEF, 1997.

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS (CEMIG). Manual de arborização. Belo Horizonte: Cemig / Fundação Biodiversitas, 2011. 112p.

CREPALLI, M. S. Qualidade da Água do rio Cascavel. 2007. 77f. Dissertação (Mestrado). Curso de Engenharia Agrícola: Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2007.

COIMBRA, A. de S. Interdisciplinaridade e Educação Ambiental: integrando seus princípios necessários. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 14, p. 115-121, 2012.

DIAS, G. F. Atividades Interdisciplinares de Educação Ambiental: Práticas Inovadoras de Educação Ambiental. 2 ª ed. rev., apl. Atual. São Paulo: Gaia, 2006.

FEDRIZZI, B.; TOMASINI, S. L. V.; CARDOSO, L. M. A vegetação no pátio escolar: um estudo para as condições das escolas municipais de Porto Alegre –RS. Anais do III ENECS - Encontro Nacional sobre Edificações e Comunidades Sustentáveis, 2003. Disponível em: <https://silo.tips/download/a-vegetaao-no-patio-escolar-um-estudo-para-as-condioes-das-escolas-municipais-de#>. Acesso em: 13 jun. 2019.

FERREIRA, E. J. A.; SILVA, M. L. da. Educação Ambiental como instrumento para o desenvolvimento local: uma análise teórica. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 14, n. 3, p. 355-366, 2019.

GALVÃO, M. C. B.; PLUYE, P.; RICARTE, I. L. M. Métodos de pesquisa mistos e revisões de literatura mistas: conceitos, construção e critérios de avaliação. INCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 8, n. 2, p. 4-24, 2018.

GÜNTHER, H. Pesquisa Qualitativa versus Pesquisa Quantitativa: esta é a questão? Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 22, n.2, p.201-210. 2006.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Dados de Capitão Poço. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/capitaopoco/panorama>. Acesso em: 19 jan. 2021.

MAYER, C. O poder de Transformação: Dinâmicas de grupo. 1ª ed. Campinas – SP: Papirus, 2007.

MCKAY, J.; MARSHALL, P. The Dual Imperatives of Action Research. Information Technology & People, v. 14, n. 1, p. 46-59, 2001.

MIRANDA, R. D. et al. Pesca e Aquicultura: Técnicas de Educação Ambiental no Ensino Fundalmental, no Marajó (PA). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 15, n. 3, p. 410-425, 2020.

PARANÁ. Governo do Estado. Os desafios da Escola Pública paranaense na perspectiva do professor PDE. Versão Online. In: VIVIANI J. C.; CIGOLINI, A. A. Um espaço escolar mais verde e arborizado: reforçando a discussão sobre a Educação Ambiental. v.1. Curitiba: SEED/PR, 2013. (Cadernos PDE).

PAVIANI, J. Interdisciplinaridade: Conceitos e Distinções. 2. ed. Caxias do Sul: Educs, 2008.

RODRIGUES A.S.L.; MALAFAIA G. Ambiente na concepção de discentes no município de Ouro Preto-MG. REA Revista de Estudos Ambientais (Online) v.11, n. 2, p. 44-58, 2009.

RODRIGUES, T. D. et al. Percepção sobre arborização urbana de moradores em três áreas de Pires do Rio. REA Revista de Estudos Ambientais (Online), v. 12, n. 2, p. 47-61, 2010.

SATO, M.; CARVALHO, I. Educação Ambiental: Pesquisa e Desafios. 1ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SILVA, P. R. A. e. A Interdisciplinaridade no Ensino de Biologia por meio da Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 4, p. 340-358, 2021.

THIOLLENT, M. Pesquisa-Ação nas Organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

VIANA, J. M. M. R.; SILVA, M. L. da. Desafios da Educação Ambiental no Ensino Superior Amazônico. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 17, n. 3, p. 451-464, 2022.

Downloads

Publicado

01-12-2022

Como Citar

Soares, S. L., & Comassetto, T. P. (2022). Viveiro de espécies arbóreas: prática de Educação Ambiental em uma escola da Amazônia Oriental. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(6), 99–114. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.14146

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-08-05
Aceito: 2022-09-28
Publicado: 2022-12-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.