Um olhar acerca da percepção ambiental de pessoas com deficiência em Mossoró (RN)

Autores

  • Renata Fernandes de Oliveira Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Ramiro Gustavo Valera Camacho Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Diego Nathan do Nascimento Souza Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.13487

Palavras-chave:

Educação Ambiental; Educação Inclusiva; Semiárido; Vulnerabilidade Social

Resumo

A Educação Ambiental (EA) deve ser aplicada a todas as realidades, pois o acesso a elas é um direito de todos, assim, este trabalho visou diagnosticar a percepção ambiental de pessoas com deficiência nas instituições de apoio que atendem a essas pessoas na cidade de Mossoró (RN) e sensibilizar os dirigentes dessas entidades sobre a importância da preservação ambiental. Para isso, foram realizadas entrevistas com associados de quatro instituições na cidade de Mossoró. A maioria dos associados mostrou sensibilização para questões ambientais, porém, comprovou-se que as políticas públicas voltadas para EA não estão sendo efetivadas nas associações. Sugere-se, então, maior exploração de áreas verdes com os associados dessas instituições para que as pessoas com deficiência se sintam interligadas ao meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Fernandes de Oliveira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte - UERN no ano de 2004 e mestranda em Ciências Naturais, pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

Ramiro Gustavo Valera Camacho, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agricultura de Mossoró-ESAM, atual Universidade Federal Rural do Semi-Árido (1988), mestrado em Agronomia/Fitotecnia pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido (1991) e doutorado em Ciências (Área de concentração Botânica) pelo Instituto de Biociências -IB, da Universidade de São Paulo - USP (2001). Com pós-doutorado em Educação Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso- UFMT junto ao Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte- GPEA/UFMT. Atualmente é Professor adjunto IV do Departamento de Ciências Biológicas - DECB e participa do Programa de Pós-graduação em Ciências Naturais - PPGCN; Programa de Pós-graduação em Geografia - PPGGeo; e do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Biologia - PROFBIO da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte- UERN. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Levantamento Florístico e Vegetacional, Padrões de Distribuição da Caatinga, extremamente preocupado com a preservação da biodiversidade nas unidades de conservação do Rio Grande do Norte, atuando principalmente nos seguintes temas: caatinga, desenvolvimento sustentável do semiárido, conservação e preservação da caatinga e educação ambiental. Desde 2013-2017 foi fundador e presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Apodí-Mossoró.

Diego Nathan do Nascimento Souza, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Possui doutorado (2016) e mestrado (2012) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); e graduação (2009) em Ciências Biológicas (Licenciatura) pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Atualmente é professor adjunto do Departamento de Ciências Biológicas na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN); e é integrante do quadro de Professores Permanentes do Mestrado Profissional em Ensino de Biologia (PROFBIO, em Rede Nacional). Tem experiência em Botânica, com ênfase em Ecologia Vegetal, atuando principalmente em fenologia, florística e fitossociologia de espécies do ecossistema caatinga.

Referências

ARANHA, M.S. Projeto Escola Viva: garantindo acesso e permanência de todos os alunos na escola: necessidades educacionais especiais dos alunos. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005.

BARAÚNA, T. Criatividade: uma necessidade para a enfermagem. Nursing, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 8-9, fev. 2001.

BRASIL. Lei n° 4.024 de 20 de dezembro de 1961: Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Diário Oficial/Bases da Educação Nacional. Brasília, 1961.

BRASIL. Constituição (1988) - Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 23 de dezembro de 1996: Estabelece as diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto/Secretaria de Educação Especial, 1996.

BRASIL. Declaração de Salamanca e linhas de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: Ministério da Justiça/Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, 1997.

BRASIL. Direito à educação: orientações gerais e marcos legais. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria da Educação Especial, 1997.

BRASIL. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999: Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, 1998.

BRASIL. Parecer nº 17 - Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2001.

BRASIL. Decreto Legislativo n° 3.956 de 8 de outubro de 2001: Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Brasília, 2001.

BRASIL. Orientação e Mobilidade Conhecimentos Básicos para a Inclusão da Pessoa com Deficiência Visual. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria dos Engenheiros do Estado de São Paulo, 2003.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA). Brasília: Secretaria do Meio Ambiente, 2005.

BRASIL. A inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais. Brasília: Ministério da Educação, 2006.

BRASIL. Decreto Legislativo n° 6.094 de 24 de abril de 2007: Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União Federal, em regime de colaboração com Municípios, Distrito Federal e Estados, e a participação das famílias e da comunidade, mediante programas e ações de assistência técnica e financeira, visando a mobilização social pela melhoria da qualidade da educação básica. Brasília, 2007.

BRASIL. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Brasília: Presidência da República, Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 2007.

EFFTING, T.R. Educação Ambiental nas Escolas Públicas: Realidade e Desafios. Monografia. Universidade Estadual Do Oeste Do Paraná – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2007.

FERNANDES, J.V. Inclusão: Educação Ambiental aplicada ao ensino de geografia para alunos surdos do 6ºao 9º ano do ensino fundamental. Revista Brasileira de Educação Ambiental. São Paulo, v. 11, n. 2, p. 373-384, 2016.

GANDRA, T.K.; DUARTE, A.B. Estudos de usuários na perspectiva fenomenológica: revisão de literatura e proposta de metodologia de pesquisa. Informação & Sociedade: Estudos. João Pessoa, v. 22, n. 3, p. 13-23, 2012.

GATTO, E. Educação Ambiental e Educação Inclusiva: um estudo com os profissionais na escola de educação básica Jorge Lacerda – Flor do Sertão, 2013. Dissertação de Mestrado – Universidade do Vale do Itajaí.

GIL, M. (Org). Caderno da TV Escola: deficiência visual. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censo Demográfico 2010.

JACOBI, P. Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p.189-205, 2003.

MACIEL, J.L.; WACHHOLZ, C.B.; ALMINHANA, C.O.; BITAR, P.G.; MUHLE, R.P. Metodologias de uma Educação Ambiental Inclusiva. Revista virtual EGP. Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 1-11, 2010.

MATOS, M.A.; GABRIEL, J.L.; BICUDO, L.R. Projeto e construção de jardim sensorial no jardim botânico do IBB/UNESP. Revista Ciência em Extensão. Botucatu, v. 9, n. 2, p. 141-151, 2013.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite PMDBBS – Caatinga. Relatório Técnico 2010-2011.

MIRANDA, A.A. História, deficiência e educação especial. Tese de doutorado. Uberlândia, Universidade Metodista de Piracicaba, 2003

NEFFA, E.; SILVA, E.R.; NEFFA, K. Educação Ambiental para além do capital: um desafio do século XXI. Revista Brasileira de Educação Ambiental. São Paulo, v. 15, p. 207-527, 2020.

ONU. Declaração final da conferência das nações unidas sobre desenvolvimento sustentável (rio + 20) - o futuro que queremos. Conferência das Nações Unidas sobre o desenvolvimento sustentável. Brasil: Organização das Nações Unidas, 2012.

PROETTI, S. As pesquisas qualitativa e quantitativa como métodos de investigação científica: um estudo comparativo e objetivo. Lume. Assunção, v. 2, n. 4, p. 24-44, 2017.

QUEIROZ, T.F.; OLIVEIRA, R.F. A Experiência Fenomenológica de Mulheres Com Deficiência Em Biomas Litorâneos. Revista INCLUDERE / CAADIS, ISSN 2359-5566, 2017.

SANTANA, A.C.; FREITAS, D.A. Educação Ambiental para a conscientização quanto ao uso da água. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental.v. 28, 2012.

SAUVÉ, L. (Ed.) A Educação Ambiental: uma relação construtiva entre a escola e comunidade. Montréal: Projeto EDAMAZ, Universidade do Quebec em Montreal, 2000.

SILVA, V.B.; CRISPIM, J.Q. Um breve relato sobre a questão ambiental. Revista Geomae. Campo Mourão, v. 2, n. 01. p.163-175, 2011.

SOUZA, P.F. Análise da vegetação de um fragmento de Caatinga na microbacia hidrográfica do açude jatobá–Paraíba. Patos, 2009. Disponível em:<http://www.cstrold.sti.ufcg.edu.br/grad_eng_florest/mono_ef/mono_pierre_farias.pdf> Acesso em 23 de dez. 2017.

SOUZA, N.V. O rio Mossoró e a Educação Ambiental na percepção de estudantes surdos. Universidade Federal Rural do Semi- Árido. Mossoró, 2016.

STOREY, C. Gênero e Educação Ambiental na Amazônia. In: NOAL, F.O.; REIGOTA, M.; BARCELOS, V.H.; (Orgs). Tendências da Educação Ambiental brasileira. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2000.

Downloads

Publicado

01-02-2023

Como Citar

Oliveira, R. F. de, Camacho, R. G. V., & Souza, D. N. do N. (2023). Um olhar acerca da percepção ambiental de pessoas com deficiência em Mossoró (RN). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(1), 174–193. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.13487

Edição

Seção

Artigos
##plugins.generic.dates.received## 11/02/2022
##plugins.generic.dates.accepted## 31/10/2022
##plugins.generic.dates.published## 01/02/2023

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.