Educação Ambiental e a percepção do espaço verde na escola por alunos do ensino fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12974

Palavras-chave:

Ambiente físico escolar, educação ambiental, sustentabilidade, bem-estar da criança

Resumo

O ambiente natural contribui para a formação e o desenvolvimento infantil e representa fator essencial na educação fundamental, pautada na percepção ambiental da criança e sua relação com o meio ambiente. Neste estudo objetivou-se analisar a percepção das crianças sobre o ambiente escolar associado à natureza, bem como identificar os atributos físico-espaciais da escola, visando à elaboração e implantação de um projeto de intervenção ambiental com foco na criação de espaços verdes escolares. Trata-se de estudo descritivo exploratório, com abordagem de pesquisa quali-quantitativa que serviu de subsídio para uma intervenção interdisciplinar no espaço escolar. Participaram 61 crianças, com idade de 7 a 8 anos, matriculadas no terceiro ano de uma escola municipal de Ensino Fundamental do sul do Brasil. Dentre os resultados, destacou-se a categoria elementos naturais que contou com expressiva representação da natureza e valorização da vegetação nos ambientes escolares, seguida pela categoria elementos do ambiente construído, com representações da escola e da separação adequada do lixo reciclado, pontos importantes na conscientização da reciclagem. Conclui-se que os conteúdos apresentados pelas crianças apontaram o interesse e o apreço pelo ambiente natural na escola. Justifica-se a relevância da implantação dos espaços verdes no ambiente escolar para proporcionar sensibilização ambiental, conexão com a natureza e qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de los Angeles Perez Lizama, Universidade Cesumar

Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas

Rute Grossi-Milani, Universidade Cesumar

Programas de Pós-Graduação em Promoção da Saúde e Tecnologias Limpas. Pesquisadora do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI). Bolsista Produtividade em Pesquisa do ICETI

Referências

BARDIN, L. Analise de Conteúdo. São Paulo: Ed. Revista Ampliada, 2011.

BARROS, V.; TOZONI-REIS, M. Reinventando o ambiente: Educação Ambiental na Educação Infantil. Cadernos de Educação, n. 34, 2009.

BRITO, R.O.; SIVERES, L.; CUNHA, C. O uso de indicadores para avaliação qualitativa de projetos educativos socioambientais: a gestão participativa no ambiente escolar. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 27, n. 104, p. 610-630, 2019.

CAMARA, R.H. Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 6, n. 2, p. 179-191, 2013.

CAMPOS-DE-CARVALHO, M.; SOUZA, T.N. Psicologia ambiental, Psicologia do Desenvolvimento e Educação Infantil: integração possível? Paidéia (Ribeirão Preto), v. 18, n. 39, p. 25-40, 2008.

DA NATIVIDADE, M.R.; COUTINHO, M.C.; ZANELLA, A.V. Desenho na pesquisa com crianças: análise na perspectiva histórico-cultural. Contextos clínicos, v. 1, n. 1, p. 9-18, 2008.

ELALI, G.A. O ambiente da escola - o ambiente na escola: uma discussão sobre a relação escola-natureza em educação infantil. Estudos de Psicologia (Natal), v. 8, n. 2, p. 309-319, 2003.

FERNANDES, O.S.; ELALI, G.A. Reflexões sobre o comportamento infantil em um pátio escolar: O que aprendemos observando as atividades das crianças. Paidéia (Ribeirão Preto), v. 18, n. 39, p. 41-52, 2008.

FIAIS, B.B.; DE SOUZA, D.S. Construção sustentável com tijolo ecológico. Revista Engenharia em Ação UniToledo, v. 2, n. 1, 2017.

FORLIN, F.J.; FARIA, J.A.F. Considerações sobre a reciclagem de embalagens plásticas. Polímeros, v. 12, n. 1, p. 1-10, 2002.

LITTLEFIELD, D. Manual do arquiteto: planejamento, dimensionamento e projeto. Porto Alegre: Bookman, 2011.

OLIVEIRA, F.A.G. A Educação Ambiental como meio para a sustentabilidade. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 11, n. 5, p. 39-52, 2016.

PINTO, L.P. et al. Mata Atlântica Brasileira: os desafios para conservação da biodiversidade de um hotspot mundial. In: DA ROCHA, Carlos Frederico Duarte et al. Biologia da conservação: essências. São Carlos: RiMa, p. 91-118, 2006.

PINTO, L.F. et al. Percepções de estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental sobre o Bioma Pampa. Ensino, Saúde e Ambiente, v. 13, n. 1, 2020.

SOUZA, L.N. Arquitetura escolar, parâmetros de projeto e modalidades de aprendizagem. 2018. 190 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Campinas, São Paulo. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331683>. Acesso em: 10 nov. 2020.

TABARELLI, MARCELO et al. Desafios e oportunidades para a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica brasileira. Megadiversidade, v. 1, n. 1, p. 132-138, 2005.

TEIXEIRA, T.O.B. et al. A percepção sobre o uso da madeira de eucalipto pelos fabricantes do polo moveleiro de Ubá-MG. Revista Árvore, v. 33, n. 5, p. 969-975, 2009.

TUAN, Y.F. Espaço e lugar: A perspectiva da experiência. Londrina: SciELO-EDUEL, 2013.

Downloads

Publicado

01-06-2022

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido: 2021-11-24
Aceito: 2022-03-02
Publicado: 2022-06-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)