Práticas de Educação Ambiental em tempos de pandemia de Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12448

Palavras-chave:

Meio Ambiente, Educação Remota, Reciclagem, Metodologias Ativas, , Reflexão

Resumo

Considerando a situação emergente que se declara o meio ambiente, sendo pauta de referência para os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) para o cumprimento da Agenda 2030, foram desenvolvidas práticas de Educação Ambiental no formato remoto para jovens de escolas públicas, criando espaços de diálogo por meio de metodologias ativas que possibilitaram o pensar para uma mudança de comportamento sobre práticas corretas de reciclagem de resíduos. Não há limites para que a Educação Ambiental aconteça, pois mesmo no formato remoto verificou-se o envolvimento e a receptividade por parte dos jovens que participaram das ações por meio do uso da metodologia ativa Aprendizagem Baseada em Projetos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Aguiar de Oliveira dos Santos, Universidade de Maringá

Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Paranaense, Formação Pedagógica em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual de Maringá, Graduação em História pela Universidade Estadual de Maringá, Especialista em: Gestão Pública pela Universidade Estadual de Maringá, Especialista em Métodos e Técnicas de Ensino pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Especialista em Gestão Empresarial pela Universidade Paranaense.

Ana Paula Oliveira Becker Alvarenga, Universidade Estadual do Paraná

Graduação em Psicologia pela Universidade Paranaense, Especialista em Psicologia do Trabalho pela Universidade Federal do Paraná, MBA em Gestão Empresarial pela Universidade Paranaense, MBA em Marketing Digital: Gestão de Performance Online e Neuromarketing  pela UniAlfa,   Mestranda no Programa de Pós Graduação Interdisciplinar Sociedade e Desenvolvimento pela Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR.

Máriam Trierveiler Pereira, Instituto Federal do Paraná

Graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Paraná, Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Federal do Paraná, Mestrado em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Paraná, Doutorado em Engenharia Química com ênfase em Gestão, Controle e Preservação Ambiental pela Universidade Estadual de Maringá. Professora de Programa de Pós-graduação em Sustentabilidade (PSU).

Lauriê Fernanda Silva, Faculdade Global de Umuarama

Graduação em Letras-Português/Inglês pela Faculdade Global de Umuarama (FGU),  Especialização em Letras com ênfase em Abordagens Linguísticas e Literárias pelo Centro Técnico-Educacional Superior do Oeste Paranaense (UNIMEO).

Referências

ARRUDA, E. P. Educação Remota Emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. UniRede, 2020. Disponível em: . Acesso em 31 maio 2020.

BANCO MUNDIAL (BANCO INTERNACIONAL DE RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO). Agindo agora para proteger o capital humano de nossas crianças. Washington. 2021. Disponível em: <https://www.worldbank.org/pt/country/brazil>. Acesso em 31 maio 2021.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. Metodologias Ativas de Aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, maio/ago. 2013. Disponível em: <https://bts.senac.br/bts/article/view/349/333>. Acesso em 31 maio 2021.

BENDER, W. N. Aprendizagem Baseada em Projetos: Educação Diferenciada para o século XXI. Penso, 2014.

BORGES, T. S.; ALENCAR, G. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista. v. 3, n. 4, p. 119-143, jul/ago 2014.

BRASIL. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020: dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Brasília: Ministério da Educação, 2020.

BRASIL. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999: dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília: Casa Civil, 1999.

CAMPOS, L.C. Aprendizagem Baseada em projetos: uma nova abordagem para a Educação em Engenharia. Anais do XXXIX COBENGE. Blumenau, 2011. Disponível em: <https://www.organizareventos.com.br/_upl/file/SD_LCarlos_JMello.pdf>. Acesso em 31 maio 2021.

CARTA DA TERRA. 2000. Disponível em: <http://www.cartadaterrabrasil.com.br/prt/Principios_Carta_da_Terra.pdf>. Acesso em 27 maio 2021.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental Crítica: nome e endereçamentos educação. p. 13-24. In: LAYRARGUES, P. P. Identidades da Educação Ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 44 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GUEDES, S.; MACEDO, M. R. C. O que vivenciamos na pandemia com a tecnologia. Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação (online). Rio de Janeiro: v. 5, n. especial, 2020.

JOYE, C R.; MOREIRA, M. M.; ROCHA, S. S. D. Educação a Distância ou Atividade Educacional Remota Emergencial: em busca do elo perdido da educação escolar em tempos de COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 7, 2020.

LAYRARGUES, P. P.; LIMA, G. F. C. Mapeando as macro-tendências político-pedagógicas da Educação Ambiental contemporânea no Brasil. Anais do VI Encontro “Pesquisa em Educação Ambiental” A Pesquisa em Educação Ambiental e a Pós-Graduação no Brasil, Ribeirão Preto, p. 1-15, 2011.

LOPES, T. S.; ABÍLIO, F. J. P. Educação Ambiental crítica: (re)pensar a formação inicial de professores/as. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Rio Grande, v. 16, n. 3, p. 38–58, 2021.

MASSON, T. J.; MIRANDA, L. F. de; MUNHOZ JR, A. H.; CASTANHEIRA, A. M. P. Metodologia de Ensino: Aprendizagem Baseada em Projetos (PBL). Anais do XL Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2012. Disponível em: http://www.abenge.org.br/cobenge/arquivos/7/artigos/104325.pdf. Acesso em 31 maio 2021.

MOREIRA, J. A.; HENRIQUES, S; BARROS, D. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia: São Paulo, n. 34, p. 351-364, jan./abr. 2020.

MORAN, J.; BACICH, L. (orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000.

ODM BRASIL. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Disponível em: <http://www.odmbrasil.gov.br/os-objetivos-de-desenvolvimento-do-milenio>. Acesso em 31 maio 2021.

ODS BRASIL. Indicadores brasileiros para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: <https://odsbrasil.gov.br/>. Acesso em 27 jun. 2021.

PEREIRA, M. T. Calendário ambiental e metodologias [...]ativas: proposta para uma nova educação. Curitiba: Editora do IFPR, 2020.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental. Tatuapé: Brasiliense, 2017.

ROCHA, H. M.; LEMOS, W. M. Metodologias Ativas: Do Que Estamos Falando? Base Conceitual e Relato de Pesquisa em Andamento. Anais do IX Simpósio Pedagógico e Pesquisas em Comunicação. 2014. Disponível em <https://www.aedb.br/wp-content/uploads/2015/05/41321569.pdf>. Acesso em 31 maio 2021.

STEINER, R. A filosofia da liberdade: fundamentos para uma filosofia moderna: resultados com base na observação pensante, segundo o método das ciências naturais. São Paulo: Antroposófica, 2000.

STEINER, R. A questão pedagógica como questão social: os fundamentos sociais, histórico-culturais e espirituais da pedagógicas das Escolas Waldorf. 2 ed. São Paulo: Antroposófica: Federação das Escolas Waldorf no Brasil, 2019.

STEINER, R. Economia viva: o mundo como organismo econômico único: catorze conferências proferidas em Donarch (Suíça), de 24 de julho a 06 de agosto de 1922. 4 ed. São Paulo: Antroposófica, 2018.

STEINER, R. Os pontos centrais da questão social: aspectos econômicos, políticos-jurídicos e espirituais da vida em sociedade. São Paulo: Antroposófica, 2011.

Downloads

Publicado

01-04-2022

Como Citar

Santos, P. A. de O. dos, Alvarenga, A. P. O. B., Pereira, M. T., & Silva, L. F. (2022). Práticas de Educação Ambiental em tempos de pandemia de Covid-19. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(2), 474–490. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12448

Edição

Seção

Relatos de Experiências
##plugins.generic.dates.received## 22/07/2021
##plugins.generic.dates.accepted## 01/03/2022
##plugins.generic.dates.published## 01/04/2022

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.