Os contos educativos na Educação Ambiental para preservação florestal e faunístico na localidade de Munhinga-Moçambique

Autores

  • Munossiua Efremo Macorreia Universidade Save-Unisave-Moçambique

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.12424

Palavras-chave:

Contos Educativos. Educação Ambiental, Preservação Florestal e Faunístico.

Resumo

Tendo em vista o crescente desflorestamento, aumentando o desaparecimento de certas espécies vegetais medicinais e animais vê-se a necessidade de produzir este estudo, com a finalidade de incutir nas comunidades locais uma nova consciência, comportamento e comprometimento, minimizando as conseqüências das atitudes anti-ambientais para o futuro. Assim, destaca o contributo dos contos educativos na Educação Ambiental na preservação da “floresta e fauna-bravia”, na perspetiva de inseri-los aos curricula educacionais, visando mudar a atitude das gerações vindouras face ao futuro ambiental. Para isso, trabalhamos com as estruturas tradicionais locais, as comunidades gerais, sobretudo, professores, para melhor compreender o legado dos contos educativos tradicionais ligados ao ambiente, com o objetivo de apresentar uma proposta de atividade com os aprendizes da escola primária do primeiro grau de Chingundo, através da utilização de contos educativos, trazendo discussões às percepções, promovendo o debate sobre o que podemos fazer para amenizar a degradação dos recursos florestais com a sua fauna-bravia na região em estudo, focando na Educação Ambiental, na conservação, na redução das emissões provocadas por desmatamentos e queimadas descontroladas, sensibilizando as comunidades locais no plantio das plantas nos lugares que apresentam maior degradação. A metodologia usada fundamentou no enfoque da interdisciplinaridade, dotando uma abordagem qualitativa. Os resultados revelaram que os contos educativos na Educação Ambiental, são vistos como algo irrelevante, dada a fraca divulgação pelas camadas científicas. Com isso, considera-se necessário compreender novas maneiras de preservação da natureza, como estratégia de mudança comportamental, para proporcioná-los um futuro ambiental sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Munossiua Efremo Macorreia, Universidade Save-Unisave-Moçambique

Licenciado em ensino de Geografia, Mestrado em Educação em Ciencias Agrárias e Doutorado em Projeto pela FUNIBRE-Universidade Internacional, professor da Universidade Save-UNISAVE.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 2000.

CANDAU, V. M. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. (Orgs.); Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 10 ed. Petrópolis: Vozes, 2013

COSTA, M.V.; HESSEL, R.S.; SOMMER, L.H. Estudos culturais, educação e pedagogia. Revista Brasileira de Educação, Maio/Jun/Jul/Ago Nº 23/2003.

GALLO, S. Transversalidade e educação: pensando uma educação não disciplinar. O sentido da escola, v. 2, 2000.

MINED (Ministério da Educação). Plano curricular do Ensino Básico (PCEB). Maputo: MINED, 1999.

SACRISTÁN, J. G. Educar e conviver na cultura global: as exigências da cidadania. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SEARA FILHO, G. Apontamentos de introdução à Educação Ambiental. Revista Ambiental, ano 1, v. 1. 1987

TRISTÃO, M. Uma abordagem filosófica da pesquisa em Educação Ambienta, v.18, n.55, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação Rio de Janeiro, Brasil, 2013.

WORTMANN, M.L.C. Por que se valer do cinema, da mídia, da literatura, da televisão para discutir a natureza/ambiente? In: ZAKRZEVSKI, S.B.; BARCELOS, V. (Orgs.). EA e Compromisso Social: pensamentos e ações. Erechim, RS: Edifapes, 2004.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Macorreia, M. E. (2021). Os contos educativos na Educação Ambiental para preservação florestal e faunístico na localidade de Munhinga-Moçambique. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(5), 521–531. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.12424

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2021-07-14
Aceito em 2021-09-03
Publicado em 2021-10-01