Percepções sobre a formação de professores de ciências voltadas a Educação Ambiental: com a palavra os egressos do curso de Ciências Naturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11988

Palavras-chave:

Percepção de egressos, Educação Ambiental, Formação de professores

Resumo

Este trabalho é resultado de uma pesquisa desenvolvida com egressos do curso de Licenciatura em Ciências Naturais de uma universidade pública e teve como objetivo principal investigar de que forma as disciplinas ofertadas durante a formação acadêmica contribuíram para a formação do professor como educador socioambiental e, como objetivo secundário, melhorar a formação de professores, contribuir com a gestão de ensino e facilitar a inserção da Educação Ambiental (EA) nas futuras práticas docente de egressos do curso de uma Instituição de Ensino Superior. Para tal, foram consideradas as percepções dos egressos quanto ao conteúdo, práticas dos docentes e aprendizagem dos sujeitos da pesquisa. Para a realização desta pesquisa, foram adotados os procedimentos metodológicos de uma abordagem quali-quantitativa, utilizando formulário eletrônico constituído por perguntas abertas e fechadas. A maioria das perguntas fechadas foram formuladas seguindo a escala Likert de concordância e os resultados apresentados em gráficos. Para a interpretação das respostas abertas foi utilizado a análise de conteúdo segundo Flick (2013). O estudo revela as percepções dos egressos quanto a sua satisfação com a formação ofertada, investiga os pontos fortes e fracos da formação voltada à EA, além de possibilitar oportunidades de reflexão crítica para melhorar a formação de professores de ciências com um olhar mais sensível à EA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manolo Cleiton Costa Freitas, Universidade Federal do Pará

Campus Universitário do Marajó-Breves, Faculdade de ciências Naturais, Química.

Referências

ABREU, D.G.; CAMPOS, M.L.A.M.; AGUILAR, M.B.R. Educação Ambiental nas escolas da região de Ribeirão Preto (SP): concepções orientadoras da prática docente e reflexões sobre a formação inicial de professores de química. Química Nova, v. 31, n. 3, p. 688-693, 2008.

AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J.D.; HANESIAN, H. (1978). Educational psychology: a cognitive view. 2nd. ed. New York, Holt Rinehart and Winston.

BRANQUINHO, N.C.S.S. Satisfação dos egressos do curso de graduação em enfermagem de uma universidade pública. (Dissertação). Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, Brasil, 2012. Disponível em: <https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/127/o/Nayla_Cec%C3%ADlia_Silvestre_da_Silva_Branquinho.pdf>.

BRASIL. Lei N° 9.795, de 27 de abril de 1999. Disponível em: <https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=50EE32BD99AF52EB7D5DB8E7E03AE765.node1?codteor=634068&filename=LegislacaoCitada+-PL+4692/2009>.

BRASIL. Lei N° 12.305, de 2 de agosto de 2010, Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm>.

BRASIL. RESOLUÇÃO Nº 2, de 1º de julho de 2015. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Conselho Pleno. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file>.

CAMARGO, S.C.G.; BRANCO, J.O. (2003). A Educação Ambiental na visão dos professores de ciências naturais, humanas e linguagem, Balneário Camboriú, SC. Anais do II Simpósio Sul Brasileiro de Educação Ambiental.

FLICK, U. Introdução à metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. Porto Alegre: Penso, 2013.

FREITAS, M.C.C., et al. Percepção socioambiental dos residentes do igarapé Santa Cruz no município de Breves-PA: vivências e desafios sobre a captação e uso da água. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 15, n. 1, p. 328-350, 2020.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Atlas. 2008, 220p.

LIMA, V. M. R.; SANTOS, M. Z. M. Processos de formação continuada: com a palavra o professor de ciências. Investigações em Ensino de Ciências, v. 22, n. 3, p. 61-79, 2017.

LOUSADA, A.C.Z.; MARTINS, G.A. Egressos como fonte de informação à gestão dos cursos de ciências contábeis. Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, USP, v. 16, n. 37, 2005.

MENDES, F.L.S.; SIMONIAN, L.T.L. (2016). Animais silvestres comercializados ilegalmente em algumas cidades do estado do Pará. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 1, p. 4-21, 2016.

MORO, F. T.; DULLIUS, M. M. Formação continuada de professores nas Ciências da Natureza: uma análise das publicações em periódicos. Interfaces da Educação, v. 11, n. 33, 2020. SILVA, M. M. P.; LEITE, V. D. Estratégias para realização de Educação Ambiental em escolas do ensino fundamental. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 20, 2008.

Downloads

Publicado

2021-12-01

Como Citar

Freitas, M. C. C., Pereira Filho, S. C. F., & Freitas, A. C. G. de A. de. (2021). Percepções sobre a formação de professores de ciências voltadas a Educação Ambiental: com a palavra os egressos do curso de Ciências Naturais. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(6), 414–435. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11988

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2021-04-09
Aceito em 2021-11-08
Publicado em 2021-12-01

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)