A Educação Ambiental no contexto da escassez hídrica: o racionamento no Distrito Federal entre 2017 e 2018

Palavras-chave: Educação Ambiental, Recursos Hídricos, Escassez Hídrica, Racionamento de `Água

Resumo

De janeiro de 2017 a junho de 2018, o Distrito Federal (DF) enfrentou uma escassez hídrica que provocou o racionamento no abastecimento de água e atingiu principalmente as populações em situação de vulnerabilidade socioambiental. A partir desse evento climático extremo, este estudo investigou o papel da Educação Ambiental enquanto ação de política pública em períodos de escassez dos recursos hídricos. Trata-se de uma pesquisa documental, orientada pelo referencial teórico-metodológico da Educação Ambiental Crítica. A análise evidenciou que, como ação emergencial de política pública para o enfrentamento desse evento extremo no DF, a Educação Ambiental esteve associada à macrotendência político-pedagógica conservadora e pragmática.

Biografia do Autor

Irineu Tamaio, Universidade de Brasília - UnB

Possui doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília-UnB, mestrado em Geociências - área Educação aplicada às Geociências, pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP e graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC/SP. Professor Adjunto do curso de Gestão Ambiental da Universidade de Brasília - UnB e pesquisador no Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental, Comunicação e Arte - UFMT. Trabalhou como Coordenador de Educação Ambiental do WWF-Brasil e no Departamento de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, elaborando as estratégias e diretrizes de política pública para a área de educação ambiental e mudanças climáticas. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Meio Ambiente, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Ambiental e Mudanças Climáticas; História Ambiental do Cerrado.

Genilson Carlos das Chagas, Instituto Federal do Amazonas (IFAM) - Campus São Gabriel da Cachoeira (AM)

Atualmente é professor EBTT de Geografia do IFAM - Instituto Federal do Amazonas - Campus São Gabriel da Cachoeira-AM. Possui graduação em Geografia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN);Mestre em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos pela UnB; Especialista (pós graduado) em Educação Ambiental e Geografia do Semiárido pelo IFRN, é  Especialista (pós graduado) em Educação de Jovens e Adultos com Ênfase no Sistema Prisional pelo Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy do RN; Curso de Extensão em Gênero e Diversidade na Escola pela UnB. Foi professor efetivo de Geografia da Educação Básica da Secretaria de Educação do DF de julho de 2014 a janeiro de 2020. 

Referências

BOMFIM, A.M.; DIAS, B.C. A “Teoria do Fazer” em Educação Ambiental Crítica: uma reflexão construída em contraposição à Educação Ambiental Conservadora. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisa da Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (Enpec). Anais [...]. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2011. Disponível em: <https://bit.ly/2WgNfol>. Acesso em: 28 nov. 2020.

BRASIL. Lei n.º 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1.º da Lei n.º 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei n.º 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 09 jan. 1997. Disponível em: <https://bit.ly/2K8nbcs>. Acesso em: 28 nov. 2020.

DINIZ, N.S.M.; MARANHÃO, R.R. Educação Ambiental, participação e Gestão das Águas. In: PAULA JÚNIOR, F.; MODAELLI, S. (org.). Política de Águas e Educação Ambiental: processos dialógicos e formativos em planejamento e gestão de recursos hídricos. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, 2011. p. 75-79.

GAUDIANO, Edgar J.; CARTEA, Pablo Á. Meira. Environmental education under siege: Climate radicality. The Journal of Environmental Education, v.10 Mar., 2020, p. 386-402.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL (GDF). Mensageiros da Água – Orientações para práticas pedagógicas. Brasília: Ibram/Caesb, 2017b. Disponível em: <https://bit.ly/3aiAlym>. Acesso em: 28 nov. 2020.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL (GDF). Plano Integrado de Enfrentamento à Crise Hídrica. Brasília: Governo de Brasília, 2017a. Disponível em: <https://bit.ly/3h12cEN>. Acesso em: 28 nov. 2020.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, P.P. (coord.). Ministério do Meio Ambiente. Secretaria Executiva. Diretoria de Educação Ambiental. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 25-34. Disponível em: <https://bit.ly/2IPESgk>. Acesso em: 28 nov. 2020.

GUIMARÃES, Mauro. Por uma Educação Ambiental Crítica na Sociedade Atual. Revista Margens Interdisciplinar, v. 7, n. 9, Dossiê Educação Ambiental, 2013. Disponível em: <https://bit.ly/37inkCW>. Acesso em: 28 nov. 2020.

GUIMARÃES, M.; RODRIGUES, J.N. Educação Ambiental Crítica na Formação do Educador: uma Pedagogia Transformadora. In: 33.ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) – Educação no Brasil: o balanço de uma década. Anais [...]. Caxambu, MG, 2010. Disponível em: <https://bit.ly/2We96Nj>. Acesso em: 28 nov. 2020.

LAYRARGUES, P.P. Educação Ambiental nas Sociedades Capitalistas. Nuevamerica. La Revista de La Pátria Grande, n. 157, jan.-mar., Rio de Janeiro, 2018.

LAYRARGUES, P.P. Manifesto por uma Educação Ambiental indisciplinada. Ensino, Saúde e Ambiente, Número Especial, p. 44-87, Rio de Janeiro, jun., 2020a. Disponível em: <http://bit.ly/3mnF2ZZ>. Acesso em: 28 nov. 2020.

LAYRARGUES, P.P. O Cinismo da Reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a Educação Ambiental. In: LOUREIRO, C.F.B.; LAYRARGUES, P.P.; CASTRO, R.S. (org). Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2002.

LAYRARGUES, P.P. Pandemias, colapso climático, antiecologismo: Educação Ambiental entre as emergências de um ecocídio apocalíptico. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 15, n. 4: 01-30, 2020b.

LAYRARGUES, P.P.; LIMA, G.F.C. As Macrotendências Político-Pedagógicas da Educação Ambiental Brasileira. Ambiente & Sociedade, v. XVII, n. 1. p. 23-40, São Paulo, jan.-mar, 2014.

LIMA, G.F.C. Educação Ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Universidade Federal da Paraíba. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 145-163, jan./abr., 2009.

MARCATTO, C. Educação Ambiental: conceitos e princípios. Belo Horizonte: Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), 2002. Disponível em: <https://bit.ly/37mHZ9c>. Acesso em: 28 nov. 2020.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Governança de Recursos Hídricos no Brasil. Paris: OECD Publishing, 2015. Disponível em: <https://bit.ly/387btXL>. Acesso em: 28 nov. 2020.

PAULA JÚNIOR, F.; MODAELLI, S. (orgs.). Política de águas e Educação Ambiental : processos dialógicos e formativos em planejamento e gestão de recursos hídricos. 3. ed., rev. e ampl. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, 2013. Disponível em: <https://bit.ly/38b9AZZ>. Acesso em: 28 nov. 2020.

PAULA JÚNIOR, F.; ZARDO, S.P. A Água como Direito Humano: contribuições da Educação em Direitos Humanos e da Educação Ambiental para os processos formativos, para a sustentabilidade e a democracia. In: IX Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade (Anppas) – Conexões – democracia – sustentabilidade. Anais [...]. Brasília, 2019. Disponível em: <http://www.anppas.org.br/novosite/index.php>. Acesso em: 28 nov. 2020.

ROSSI, M.S. Governança da água na experiência de elaboração do ZEE do Distrito Federal. Brasília em debate, 8.º Fórum Mundial da Água, Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), n. 18, p. 27-35, Brasília, mar. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/3oTaH7l>. Acesso em: 28 nov. 2020.

SATO, M. et al. Os condenados da pandemia. Cuiabá: GPEA; UFMT; Ed. Sustentável, 2020.

SECRETARIA DE ESTADO DE COMUNICAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL (SECOM). Dicas Economia de Água. Publicidade, Campanhas, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/385plBI>. Acesso em: 28 nov. 2020.

SORRENTINO, M. et al. Educação Ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-299, maio/ago., 2005.

Publicado
2021-03-17
Como Citar
Tamaio, I., & Chagas, G. C. das. (2021). A Educação Ambiental no contexto da escassez hídrica: o racionamento no Distrito Federal entre 2017 e 2018. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(2), 409-427. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11576
Seção
Artigos