Reutilizar para combater o hospedeiro intermediário Aedes egypti: desenvolvendo a sensibilidade por meio de oficinas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11569

Palavras-chave:

Mosquito da dengue; Educação ambiental; Sustentabilidade.

Resumo

O estudo apresenta ações do projeto Sustentabilidade: a universidade nas Ilhas - desenvolvido pela Unama -, o qual procura, por meio de oficinas de caráter interdisciplinar, realizar atividades voltadas para estudantes da educação básica da rede púbica de ensino, residentes nas ilhas situadas ao redor da cidade de Belém-PA. O foco da ação é o Aedes aegypti - hospedeiro intermediário da dengue, zika, febre amarela e chikungunya. Como forma de avaliação, foi aplicada uma pergunta antes e após a oficina, com intuito de fazer uma comparação entre os resultados. Por meio de análises qualiquatitativas, foi possível perceber um aumento de informações a respeito do assunto, concluindo que a ação foi de suma importância para a sensibilização dos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabelly Gatti Rocha Tourinho, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Especialista em Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER). Graduada em Ciências Biológicas - Licenciatura Plena pela Universidade da Amazônia (UNAMA).

Mauro Márcio Tavares da Silva, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Doutor em Ciência Animal pelo Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural Universidade Federal do Pará (UFPA). Mestre em Ciência Animal pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Graduado em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

Referências

BALDISSERA, A. Pesquisa-ação: uma metodologia do “conhecer” e do “agir” coletivo. Sociedade em Debate, v. 7, n. 2, p. 5-25, 2001.

BRANDÃO, C. R. A pergunta a várias mãos: a experiência da partilha através da pesquisa na educação. 2003.

COELHO, G. E. Dengue: desafios atuais. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 17, n. 3, p. 231-233, 2008.

CONSOLI, R. AGB; OLIVEIRA, R. L. D. Principais mosquitos de importância sanitária no Brasil. Editora Fiocruz, 1994.

CROVELLO, T. J.; HACKER, C. S. Evolutionary strategies in life table characteristics among feral and urban strains of Aedes aegypti (L.). Evolution, p. 185-196, 1972.

DA SILVA, M. M. P.; LEITE, V. D. Estratégias para realização de Educação Ambiental em escolas do ensino fundamental. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 20, 2008.

DE OLIVEIRA, M. F. Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em Administração. Universidade Federal de Goiás. Catalão–GO, 2011.

DE SOUZA, J. N. et al. Prevenção contra Zika por meio da propagação de ações educativas na Escola Chuí em Maracanaú (CE). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 13, n. 4, p. 379-389, 2018.

DYE, C. The analysis of parasite transmission by bloodsucking insects. Annual review of entomology, v. 37, n. 1, p. 1-19, 1992.

FOOTE, R. H. Aedes Aegypti (L.), the Yellow Fever Mosquito. Its life history, bionomics, and structure. Sir S. Rickard Christophers. Cambridge University Press, New York, 1960. xii+ 739 pp. Illus. $14.50, 1961.

FORATTINI, O. P. Culicidologia médica: identificaçäo, biologia e epidemiologia: v. 2. In: Culicidologia médica: identificaçäo, biologia e epidemiologia: v. 2. p. 860-860, 2002.

FREITAS, H. et al. O método de pesquisa survey. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 35, n. 3, 2000.

HALSTEAD, S. B. Aedes aegypti: why can't we control it?. Bulletin of the Society of Vector Ecologists, v. 13, n. 2, p. 304-311, 1988.

LOURENÇO-DE-OLIVEIRA, R. et al. Aedes aegypti in Brazil: genetically differentiated populations with high susceptibility to dengue and yellow fever viruses. Transactions of the Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene, v. 98, n. 1, p. 43-54, 2004.

MILLER, B. R.; BALLINGER, M. E. Aedes albopictus mosquitoes introduced into Brazil: vector competence for yellow fever and dengue viruses. Transactions of the Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene, v. 82, n. 3, p. 476-477, 1988.

PELIZZARI, A. et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. revista PEC, v. 2, n. 1, p. 37-42, 2002.

PESSOA, R. S. Um estudo comparativo entre as concepções etnoecológicas de alunos (6ª série) e de livros didáticos sobre os tópicos “seres vivos e ambiente manguezal”. 155 f. 2000. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências)-Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2000.

RAHMEIER, T. Redução de focos de Aedes aegypti por meio de ações de Educação Ambiental no município de Condor (RS). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 14, n. 2, p. 165-176, 2019.

SILVA, J. P. D. S. et al. AÇÕES DE EDUCAÇÕES AMBIENTAIS EM SAÚDE NO CONTROLE DO VETOR, 2017.

THIOLLENT, M. J. M.; COLETTE, M. M. Pesquisa-ação, formação de professores e diversidade. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 36, n. 2, p. 207-216, 2014.

TOURINHO, I. G. R. et al. A importância da preservação do meio ambiente: sensibilizando os visitantes do centro de ciências e planetário do Pará. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, v. 3, n. 4, p. 2801-2810, 2020.

TRAJBER, R.; DA COSTA, L. B. Avaliando a Educação Ambiental no Brasil: materiais audiovisuais. Editora Fundação Peirópolis, 2001.

VASCONCELOS, F. A. L. Análise comparativa da percepção ambiental e conhecimento de alunos da rede pública e particular da Região Metropolitana do Grande Recife acerca do tema “Ambientes Recifais”. 2005. 70 f. Monografia (Bacharelado em Ciências Biológicas), Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2005.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Tourinho, I. G. R., & Silva, M. M. T. da. (2021). Reutilizar para combater o hospedeiro intermediário Aedes egypti: desenvolvendo a sensibilidade por meio de oficinas. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(3), 415–428. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11569

Edição

Seção

Artigos