Impactos ambientais decorrentes do processo de instalação e operacionalização da Usina de Biogás GNR de Fortaleza (CE): a Educação Ambiental como via de transformação social

Autores

  • Maria Laudecy Ferreira de Carvalho Universidade Federal da Paraíba
  • Joel Silva dos Santos Universidade Federal da Paraíba
  • Luan Gomes dos Santos de Oliveira Universidade Federal de Campina Grande – PB
  • Ana Bárbara de Araújo Nunes Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11568

Palavras-chave:

Impactos Ambientais; Resíduos Sólidos; Biogás.

Resumo

O objetivo deste artigo é identificar os impactos ambientais positivos e negativos causados pela instalação e operacionalização do Aterro Sanitário-ASMOC e da usina de biogás GNR, localizados na Região metropolitana de Fortaleza/CE. A metodologia pautou-se em revisão de literatura, análise documental, entrevistas e questionários, visitas de campo e o uso da Matriz de Leopold para a identificação dos impactos ambientais locais e caracterização da área de estudo. Os resultados obtidos sinalizaram impactos positivos a exemplo da produção do biometano e negativos a exemplo da morte das plantas nativas. Faz- se necessário ações de educação ambiental com os atores sociais visando mitigar os impactos ambientais negativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Laudecy Ferreira de Carvalho, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda e Mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente/UFPB; Especialização em Administração Escolar e em Psicopedagogia/URCA/UEVA; Graduada em Pedagogia/URCA; Escritora; Pesquisadora e Educadora Ambiental no Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente/IDEMA-RN.

Joel Silva dos Santos, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Recursos Naturais/UFCG; Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente/UFPB; Bacharel e Licenciado em Geografia/UFPB; Professor do Departamento de Engenharia e Meio Ambiente/UFPB/Campus IV; Professor do Programa Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente/UFPB. Áreas de atuação: Geografia e Meio Ambiente; Ecologia Urbana; Climatologia Urbana e Planejamento Ambiental.

 

Luan Gomes dos Santos de Oliveira, Universidade Federal de Campina Grande – PB

Sociólogo, Doutor em Educação pela UFRN. Coordena o grupo de Estudos em Ecologia Política, Educação e Saúde/Ecos. Docente da Universidade Federal de Campina Grande/UFCG, Centro de Ciências Jurídicas e Sociais – CCJS. Sousa – PB

 

Ana Bárbara de Araújo Nunes, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Recursos Hídricos pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Engenheira sanitarista pela UFPA e mestrado em saneamento pela Universidade Federal da Paraíba(UFPB) e Atualmente Professora do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da UFC.

 

Referências

ABRELPE. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Mativa dos custos para viabilizar a universalização da destinação adequada de resíduos sólidos no Brasil. Disponível em 07 set 2018, em: <http://abrelpe.org.br/mativa-dos-custos-para-viabilizar-a-universalizacao-da-destinacao-adequada-de-residuos-solidos-no-brasil/>. Acesso em 14 mar 2020.

ABRELPE. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos e Resíduos Especiais. Caderno informativo de recuperação energética. Disponível em 07 set 2018, em: <http://abrelpe.org.br/caderno-informativo-recuperacao-energetica/>. Acesso em : 14 mar 2020.

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil. Disponível em: <http://abrelpe.org.br/panorama/>. 25-09-2018. Acesso em 06 out 2019.

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2017. São Paulo: ABRELPE, 2017. Disponível em: <http://abrelpe.org.br/download-panorama-2017/>. Acesso em: 23 nov. 2020.

ABRELPE. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF, Senado, 1988.

BURNLEY, S.J. A review of municipal solid waste composition in the United Kingdom. Waste Management, v. 27, n. 10, p. 1274-1282, 2007.

BURTON, I.; KATES, R. W.; WHITE, G. F. The environment as hazard. New York: Oxford University Press, 1978.

BRAGAGNOLO, L.; FERRAZZO, S. T.; BRUM, F. M.; KORF, E. P.; MOSSI, A. J. Composição gravimétrica e estimativa de geração per capita municipal de resíduos sólidos urbanos destinados ao Aterro Sanitário de Palmeira das Missões, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. Bras. Gest. Amb. Sustent. 2020, vol. 7, n. 16, p. 955.

CARVALHO, M.L.F. Políticas de gestão dos resíduos sólidos domiciliares na cidade de Fortaleza- Ceará: avanços e desafios. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente -PRODEMA, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2016, 196f.:il. Acessível em: <http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/9060>.

CASTRO, D.S.; MATEUS, V.O. Produção de biogás a partir de restos de alimentos coletados em um restaurante: uma experiência a ser disseminada. Seminário Estudantil de Produção Acadêmica, v. 15, 2016. Disponível em: <https://revistas.unifacs.br/index.php/sepa/article/view/4355/3022>. Acesso em 09 jul 2020.

CENTRULO, N.M.; CENTRULO, T.B.; GONÇALVES DIAS, S.L.F.; RAMOS, T.B.Solid waste indicators in local sustainability assessment: a literature review. Revista Ambiente & Sociedade. SciELO. São Paulo. Vol. 23, 2020.

CETESB, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Termelétrica do Aterro Bandeirantes reduz emissão de C02 para a atmosfera. 2004. Disponível em : <https://cetesb.sp.gov.br/biogas/2004/03/25/termeletrica-do-aterro-bandeirantes-reduz-emissao-de-co2-para-atmosfera/> . Acesso em 20. Jan. 2020.

CETESB, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Energia a partir do lixo eleva potencial elétrico. mas não descarta hidrelétricas. Aterro Sanitário de Guatapará -São Paulo. Disponível em 07 set 2017: <https://cetesb.sp.gov.br/biogas/2017/09/07/energia-a-partir-do-lixo-eleva-potencial-eletrico-mas-nao-descarta-hidreleticas/>. Acesso em 26 out 2020.

CETESB, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Câncer de pele aumenta em decorrência da incidência dos raios UV-B. Disponível em: <https://cetesb.sp.gov.br/prozonesp/2018/12/12/cancer-de-pele-aumenta-em-Decorrencia-da-incidencia-dos-raios-uv-b/>. 12 dez 2018. Acesso em: 02 ago 2020.

CETESB, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Biogás. Definição. Disponível em março de 2020: <https://cetesb.sp.gov.br/biogas/>. Acesso em 24 out 2020.

CICLOVIVO, R. (17 de 4 de 2018). Fortaleza inaugura a maior usina de produção de biogás com lixo de aterro. Disponível em CICLOVIVO: <https://ciclovivo.com.br/planeta/desenvolvimento/fortaleza-inaugura-maior-usina-produzir-biogas-com-lixo-de-aterro/>. Acesso em: 09 out 2019.

CICLOVIVO, R. Empresa gera biogás a partir de aterros sanitários e resíduos agrícolas. A Usina ZEG Biogás. Disponível em 23 set 2019: <https://ciclovivo.com.br/planeta/energia/empresa-gera-biogas-aterros-sanitarios-residuos-agricolas/>. Acesso em 25 out 2020.

COLAZO, A. B.; SÁNCHEZ, A.; FONT, X.; COLÓN, J. Environmental impact of rejected materials generated in organic fraction of municipal solid waste anaerobic digestion plants: Comparison of wet and dry process layout. Waste Management, v. 43, p. 84-97, 2015.

CONAMA. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução Conama n. 001/1986. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res86/res0186.html> Acesso: set de 2019.

CONAMA. Ministério do Meio Ambiente. Licenciamento Ambiental de Aterro Sanitário de pequeno porte de resíduos sólidos urbanos. CONAMA Resolução nº 404/2008. 11 nov 2008. Disponível em: <http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/9/docs/res_conama_404_-_estabelece_criterios_e_diretrizes_para_o.pdf>. Acesso em:jun 2020.

DIÁRIO DO NORDESTE. Usina de biometano já planeja ampliar produção em 2019. 17 de abril de 2018. Disponível em: <https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/negocios/usina-de-biometano-ja-planeja-ampliar-producao-em-2019-1.1924919> . Acesso em 06 out 2019

DIÁRIO DO NORDESTE. A energia que vem do lixo descartado e gera riqueza. 01/09/2018. Disponível em: <https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2018/09/a-energia-que-vem-do-lixo-descartado-e-gera-riqueza.html>. Acesso em 06 out 2019.

ESMAEILIAN, B. et al. The future of waste management in smart and sustainable cities: A review and concept paper. Waste Management, v.81, p. 177-195, 2018.

EXAME. Revista. Interior de São Paulo ganha sua primeira usina movida a lixo. Usina de biogás de Guatapará. Disponível em 14 ago de 2014: <https://exame.com/ciencia/interior-de-sp-ganha-sua-primeira-usina-movida-a-lixo/>. Acesso em 23 out 2020.

FORTALEZA. Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Urbanos (PMGIRS). 2012.

FORTALEZA. Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SMCSP). Demonstrativo por produção geral de Resíduos Sólidos Domiciliares (RSD) gerado em toneladas ano, no município de Fortaleza, de janeiro a dezembro dos anos de 2014 a 2019.

GONÇALVES, P.V.S.; TAVARES, P.A.; FERREIRA, F.N.; DUTRA, V.A.B.; BELTRÃO, N.E.S.; FILHO, H.R.F.; RIBEIRO, H.M.C. Responsabilidade compartilhada sobre os resíduos sólidos e Educação Ambiental no contexto urbano amazônico. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, V. 14, Nº. 4: p. 360-373, 2019.

GUERRERO, L. A.; MAAS, G.; HOGLAND, W. Solid waste management challenges for cities in developing countries. Waste Management, v. 33, n. 1, p. 220-232, 2013.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção e estimativa da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/> . Acesso em 05 out 2019.

JORNAL O POVO. Revendas reajustam preço e gás de cozinha chega a R$80.

de fevereiro de 2019. Disponível em: <https://www.opovo.com.br/jornal/economia/2019/02/31074-revendas-reajustam-preco-e-gas-de-cozinha-chega-a-r--80.html>. Acesso em: 13 mai 2020.

MAGALHÃES, A.P.T. Biogás – Um projeto de saneamento urbano. São Paulo: Nobel, 1986.

MUYLAERT, M.S. Consumo de energia e aquecimento do planeta. Análise do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo MDL do Protocolo de Quioto - Estudos de Caso. Rio de Janeiro: Editora da Coppe, 2000.

PETROBRAS. Refinaria gera energia com biogás do Aterro Sanitário de Gramacho. Disponível em 29 mai 2014: <https://petrobras.com.br/fatos-e-dados/refinaria-gera-energia-com-biogas-do-aterro-de-gramacho.htm>. Acesso em: 25 out 2020.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 495p.

SBERA. Sociedade Brasileira dos Especialistas em Resíduos das Produções Agropecuária e Agroindustrial (SBERA). (2015) ABNT deve definir neste mês norma para biometano. Concórdia. Disponível em: http://sbera.org.br/pt/2015/07/abnt-deve-definir-neste-mes-norma-para-biometano/>. Acesso em: 30 out 2020.

SEMACE. Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará .2019.

SOUZA, L. P.; OLIVEIRA, L. G.; REZENDE, F. M. Produção de biogás a partir do aproveitamento do chorume e vinhaça. 2019. Disponível em : <https://www.saneamentobasico.com.br/wp-content/uploads/2019/08/producao-biogas-chorume-vinhaca.pdf>. Acesso em 09 jul 2020.

ZANETTI, I. Educação Ambiental, Resíduos Sólidos Urbanos e sustentabilidade. Um estudo de caso sobre o sistema de gestão de Porto Alegre-RS. Tese de Doutorado – Universidade de Brasília. Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2003.

ZANETTI, I. Insustentabilidade e produção de resíduos: a face oculta do sistema do capital. Sociedade e Estado, Brasília, v. 24, n. 1, p. 173-192, jan./abr. 2009

Downloads

Publicado

2021-08-01

Como Citar

Carvalho, M. L. F. de, Santos, J. S. dos, Oliveira, L. G. dos S. de, & Nunes, A. B. de A. (2021). Impactos ambientais decorrentes do processo de instalação e operacionalização da Usina de Biogás GNR de Fortaleza (CE): a Educação Ambiental como via de transformação social. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(4), 227–247. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11568

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2020-12-16
Aceito em 2021-06-03
Publicado em 2021-08-01

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)