Educação Ambiental Crítica: (re)pensar a formação inicial de professores/as

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11518

Palavras-chave:

Educação Ambiental Crítica, Emancipação, Formação Inicial de Professores/as

Resumo

Este trabalho objetivou refletir sobre a educação ambiental crítica, repensando os pressupostos e as abordagens que são solícitas na formação inicial de professores/as, tendo como teleologia desse processo a própria emancipação humana. Nesse sentido, o diálogo construído baseia-se nos fundamentos ontológicos do ser social, nas categorias presentes nas discussões ambientais, na dialética e na complexidade da educação ambiental a partir do olhar da transdisciplinaridade e na ideologia e nas práticas pedagógicas presentes na formação docente. Como conclusões, compreende-se que a educação ambiental crítica contribui para emancipação e transformação de ações e concepções dos indivíduos diante de si e do mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Theóffillo da Silva Lopes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB

Doutorando em Educação PPGE/UFPB; Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente PRODEMA/UFPB; Pedagogo da UFPB; e Professor de Educação Básica I na Prefeitura Municipal de João Pessoa-PB.

Francisco José Pegado Abílio, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa

Professor Titular do Departamento de Metodologia da Educação, do Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Bacharel em Ciências Biológicas pela UFPB (1994), Licenciado em Ciências Biológicas pela UFPB (2001), Mestre em Ciências Biológicas (Zoologia) pela UFPB (1997), Doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) (2002) e Pós-Doutor em Educação (Educação Ambiental) pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT - 2011) sob a supervisão da Profa. Dra. Michèle Sato. 

Referências

ALMEIDA, J. P. Formação docente para a promoção da Educação Ambiental: o caso de uma escola estadual em Maceió (AL). Revista Brasileira de Educação Ambiental, Rio Grande, V. 8, Nº 1: 114-129, 2013.

APPLE, M. Ideologia e currículo. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

ASSMANN, H. Reencantar a educação: rumo à sociedade aprendente. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília, DF: Presidência da República, [2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 28 de novembro de 2020.

CHAUÍ, M. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2012.

DE ROSSI, V. L. Gestão do Projeto Político Pedagógico: Entre corações e mentes. São Paulo: Moderna, 2004.

ENGELS, F. Dialética da natureza. Rio de Janeiro: Editora Leitura, 1968.

FERRARI, N.; MAESTRELLI, S. R. P.; TORRES, J. R. Educação Ambiental crítico-transformadora no contexto escolar: teoria e prática freireana. In: Educação Ambiental: dialogando com Paulo Freire. LOUREIRO, C. F. B.; TORRES, J. R. (Orgs.). São Paulo: Cortez, 2014.

FRANCO, M. A. R. S. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.

FRANCO, M. A. R. S. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, V. 97, n. 247, p. 534-551, set. /dez. 2016.

FREIRE, P. À sombra desta mangueira. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE. P. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2016.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 26. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GILBERTO, I. J. L.; FRANCO, M. A. R. S. O observatório da prática docente como espaço de reflexão sobre o currículo e os desafios das práticas. In: Práticas pedagógicas: pesquisa e formação. FRANCO, M. A. R. S.; GILBERTO, I. J. L.; CAMPOS, E. F. E. (Orgs.). São Paulo: Edições Loyola, 2017.

GUIMARÃES, M. Armadilha paradigmática na Educação Ambiental. In: Pensamento complexo, dialética e Educação Ambiental. CASTRO, R.S.; LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. (Orgs.). 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

HUNGARO, E. M. A questão do método na constituição da teoria social de Marx. In: O método dialético na pesquisa em educação. CUNHA, C.; SOUSA, J. V.; SILVA, M. A. (Orgs.). Campinas, SP: Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, UnB, 2014.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

IMBERNÓN, F. Inovar o ensino e a aprendizagem na universidade. São Paulo: Cortez, 2012.

IMBERNÓN, F. Qualidade do ensino e formação do professorado: uma mudança necessária. São Paulo: Cortez, 2016.

KONDER, L. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 2014.

LAYRARGUES, P.P. Muito além da natureza: Educação Ambiental e reprodução social. In: Pensamento complexo, dialética e Educação Ambiental. CASTRO, R. S.; LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. (Orgs.). 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LEFF, E. Pensar a complexidade ambiental. In: A complexidade Ambiental. LEFF, E. (coord.). Tradução de Eliete Wolff. São Paulo: Cortez, 2003.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

LOUREIRO, C. F. B. Educação Ambiental: questões de vida. São Paulo: Cortez, 2019.

LOUREIRO, C. F. B. Problematizando conceitos: contribuição à práxis em Educação Ambiental. In: Pensamento complexo, dialética e Educação Ambiental. CASTRO, R. S.; LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. (Orgs.). 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LOWY, M. Método dialético e teoria política. Tradução de Reginaldo Di Piero. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

LUKACS, G. Para uma ontologia do ser social. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2018.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. 2.ed. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 24 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2018.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Barbosa. 5.ed. Porto Alegre: Sulina, 2015.

NICOLESCU, B. O manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: TRIOM, 1999.

PERNAMBUCO, M.M.C.A.; SILVA, A.F.G. Paulo Freire: uma proposta pedagógica ético-crítica para a Educação Ambiental. In: Educação Ambiental: dialogando com Paulo Freire. LOUREIRO, C. F. B.; TORRES, J. R. (Orgs.). São Paulo: Cortez, 2014.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2014.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Lopes, T. da S., & Abílio, F. J. P. (2021). Educação Ambiental Crítica: (re)pensar a formação inicial de professores/as. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(3), 38–58. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11518

Edição

Seção

Artigos