O ensino da Educação Ambiental: desafios e perspectivas

Palavras-chave: Educação Ambiental, Capacitação de professores, Ensino

Resumo

Este artigo trata de análise sobre o ensino da Educação Ambiental, cujas dificuldades decorrem, principalmente, da ausência de capacitação dos docentes, falta de recursos didáticos e grande resistência às questões ambientais. O conhecimento dos conceitos, bem como do contexto histórico, proporciona uma visão ampla do sistema, gerando soluções adequadas para a melhoria do ensino. A nova versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) atribui às redes de ensino a necessidade de incorporar novas práticas pedagógicas que afetam a vida humana em escala local. Portanto, é indispensável aperfeiçoar o currículo dos discentes de modo que estes possam levar o conhecimento adiante, agregando impacto positivo ao desenvolvimento.

Biografia do Autor

Matheus de Souza Dimas, Centro Universitário Augusto Motta

 

 
Ana Maria Pires Novaes, Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC)

 

 
Katia Eliane Santos Avelar, Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro - RJ

 

   

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): Meio Ambiente. Brasília: MEC, 2000. Disponível em: <https://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/meioambiente.pdf>. Acesso em: 16 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica. Brasília: MEC, 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file>. Acesso em 10 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Meio Ambiente. Brasília: MEC, 2018. Disponível em:<https://basenacionalcomum.mec.gov.br>. Acesso em: 15 dez. 2019.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2016.

CUBA, M. Educação Ambiental nas escolas. ECCOM, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 23-31, jul./dez., 2010.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia, 2010.

FERRAZ, J. M. G. Educação Ambiental e mudança de valores. In: HAMMES, V.S. (Org.). Proposta metodológica de macroeducação. 2.ed. São Paulo: Globo, 2004. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/927158/1/EDUCAcaOAMBIENTALvol2ed032012.pdf>. Acesso em 20 dez. 2019.

FONSECA, J. R. B; MENDES, A. B. Educação Ambiental: uma compreensão analítico-discursiva. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas, Amapá, n. 5, p. 71-82, 2013.

FRANÇA, L. Tecnologia na educação: como garantir mais motivação em sala de aula? Somos par, 2018. Disponível em: <https://www.somospar.com.br/tecnologia-na-educacao-e-motivacao-em-sala/>. Acesso em 10 dez. 2019.

FRIEDE, R. R. et al. Coleta seletiva e Educação Ambiental: reciclar valores e reduzir o lixo. Educação e Formação, Ceará, v.4, n. 11, p. 117-141, maio/ago. 2019.

KRENAK, A. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LARA, R. C; QUARTIERO, E. M. Educação para uma geração pós-internet: olhares a partir da formação inicial dos professores. In: SANCHES, J. Congresso Iberoamericano de Informática Educativa, Chile, 2010.

LEFF, E. A complexidade ambiental. Porto Alegre: Cortez, 2003.

MARINHO, A. M. S. A Educação Ambiental e o desafio da interdisciplinaridade. 2004. 117f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte.

ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Transformando nosso mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, 2015. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2015/10/agenda2030-pt-br.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2019.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2001.

ROCHA, L. A. G; CRUZ, F. M; LEÃO, A. L. Aplicativo para Educação Ambiental. Fórum Ambiental da Alta Paulista, São Paulo, v.11, n. 4, p. 261-273, 2015.

SOARES, J. C. B. Prefácio. In: MELLO E SOUZA, N. (Org.). Educação Ambiental: dilemas da prática contemporânea. Rio de Janeiro: Universidade Estácio de Sá, 2000.

SOUSA, G. C. A prática docente na Educação Ambiental: uma análise da ação educativa dos professores de ciências da rede municipal de João Pessoa. 2014. 106f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa.

Publicado
2021-03-23
Como Citar
Dimas, M. de S., Novaes, A. M. P., & Avelar, K. E. S. (2021). O ensino da Educação Ambiental: desafios e perspectivas. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(2), 501-512. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.10914
Seção
Artigos