Educação Ambiental e a construção de percursos didáticos dialógicos no ensino médio

  • Suellen Maria Silva Dias Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Emanuel Souto da Mota Silveira UFPE
Palavras-chave: Capacidade interventora; Sensibilização; Sequência Didática.

Resumo

O objetivo do trabalho é desenvolver um espaço de diálogo e reflexão sobre problemas ambientais contemporâneos, com foco na busca de alternativas e mudança de comportamento individual e coletivo. Uma proposta definida no âmbito do Ensino Médio, envolvendo estudantes da rede estadual de ensino em sequências didáticas centralizadas na atuação discente. O desenvolvimento dos percursos didáticos revela que é possível mobilizar e sensibilizar os estudantes por meio de atividades que demandam baixo custo e estruturadas a partir de recursos disponíveis na maioria dos espaços escolares. As estratégias adotadas impactaram de forma direta no engajamento dos estudantes e mobilizaram discussões fundamentais para o momento que vivemos.

Referências

ALMEIDA, N.C.C. et al. Educação Ambiental: a conscientização sobre o destino de resíduos sólidos, o desperdício de água e o de alimentos no município de Cametá/PA. Rev. bras. Estud. pedagogia., Brasília, v. 100, n. 255, 2019.

ARROIO, A.; GIORDAN, M. O vídeo educativo: Aspectos da organização do ensino. Química Nova na Escola, n.24, 2006.

DIDONET, D.L.M.; SOUZA, J.P.; SOUZA, T.A. Práticas da Educação Ambiental: uma proposta de educação para o desenvolvimento sustentável. Rev. Eletrônica do Curso de Pedagogia do Campus, Jataí: UFG, v.11, n.1, 2015.

FERREIRA, E.G.S.; LIMBERGER, D.C.H. Vídeo-documentário como ferramenta sensibilizadora de Educação Ambiental, nos Butiazais de Tapes (RS). Rev. Elet. Cient. UERGS, v. 3, n. 4, 2017.

JACOBI, P. Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, 2003.

KONDRAT, H.; MACIEL, M. D. Educação Ambiental para a escola básica: contribuições para o desenvolvimento da cidadania e da sustentabilidade. Revista Brasileira de Educação, v.18, n.55, 2013.

LEFF, E. Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LIMA, G.F.C. Educação e sustentabilidade: possibilidade e falácias de um discurso. Anais do Encontro Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade, 1, 2002, Indaiatuba.

LOREZON, D.; SCHEID, N.M.J.; SOARES, B.M. Os filmes e os estudos de Educação Ambiental. Ponta Grossa: Anais do IV Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia, 2014.

MALMANN, A.; CARNIATTO, I.; PLEIN, C. A Educação Ambiental do ponto de vista das concepções de desenvolvimento sustentável na escola do campo. São Paulo: RevBEA, v.15, n.1, 2020.

MEDEIROS, A.B. et al. Importância da Educação Ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, 2011.

MORAN, J.M.; MASETTO, M.T.; BEHRENS, M.A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 3º ed. Campinas: Papirus, 2001.

OLIVEIRA, J.T.; MACHADO, R.C.D.; OLIVEIRA, E.M. Educação Ambiental na escola: um caminho para aprimorar a percepção dos alunos quanto à importância dos recursos hídricos. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, São Paulo, v. 11, n. 4, 2015.

PAIM, P.G. 2006. 129f. A história da borracha na Amazônia e a Química Orgânica: Produção de um vídeo didático-educativo para o Ensino Médio. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Ensino de Ciências) – Mestrado em Ensino de Ciências, Instituto de Química, Universidade de Brasília. Disponível em: < https://repositorio.unb.br/handle/10482/9036>. Acesso em: 12 de junho de 2020.

PEREIRA, V. A.; GIBBON, C. A. A Educação Ambiental no ensino: Investigando as abordagens, percepções e desafios na realidade de uma escola pública em Rio Grande (RS). RevBEA, São Paulo, v9, n. 2, p.376-394, 2014.

RAMBO, L.; RENK, A.A. A relação homem/natureza-animais: uma revisão da literatura sobre o descaminho da cultura ocidental. Canoas: Revista de Ciências Ambientais, v.2, n.2, 2008. ISSN 1981-8858.

SANTOS, B.S. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. São Paulo: Cortez, 2004.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

TOZZONI-REIS, M. F. C. A pesquisa e a produção de conhecimentos: introdução à pesquisa em educação. Curso de pedagogia da Unesp. 2010. Disponível em: https://acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/195/3/01d10a03.pdf> Acesso em: 22 de abril de 2020.

TREIN, E. A contribuição do pensamento marxista à Educação Ambiental. In: LOUREIRO, C. F. B. (Org.). A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, 2007.

TUCHERMAN, I.; CAVALCANTI, C.C.B. Um novo gênero cinematográfico: o documentário catástrofe. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 35, n. 1, 2008.

VIDO, N.R.; DEGASPERI, T.C.; NARDY, M. Energia que gera ou destrói a vida? In: BONOTTO, D.M.B.; CARVALHO, M.B.S.S. (Org.). Educação Ambiental e valores na escola buscando espaços, investindo em novos tempos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 1.ed., 2016. ISBN 978-85-7983-762-3.

VIEGAS, L. L.; OLIVEIRA, J. B. de; SILVA, D. S. A alma de nossas árvores: um diálogo entre o conceito aristotélico de alma, a Educação Ambiental, o ensino de Filosofia e a prática artística. São Paulo: Cultura Acadêmica, 1.ed., 2016. ISBN 978-85-7983-762-3.

VIEIRA, F. Z. A utilização didática do cinema para a aprendizagem da Educação Ambiental. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Ponta Grossa. Ponta Grossa, 2009.

Publicado
2020-12-03
Como Citar
Dias, S. M. S., & Silveira, E. S. da M. (2020). Educação Ambiental e a construção de percursos didáticos dialógicos no ensino médio. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(7), 46-58. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10813
Seção
Artigos