A Educação Ambiental frente à sociedade de consumo e a necessidade de sustentabilidade

Autores

  • Laurentino Bernardes Vieira Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso - SEDUC/MT

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10799

Palavras-chave:

Desenvolvimento Sustentável, Capitalismo, Consumismo, Educação Ambiental

Resumo

O crescimento demográfico mundial que vem ocorrendo principalmente a partir do século XX, a industrialização, a urbanização, a produção e o consumo de massa têm colocado o conceito de desenvolvimento sustentável em xeque. Uma análise na literatura que aborda tal temática mostra que esse conceito foi forjado sob a perspectiva do capitalismo, o qual demanda sempre angariar a produção, o consumo e o lucro, sempre em nome do desenvolvimento, mas isso implica, muitas vezes, explorar os recursos naturais do planeta além de sua capacidade de reposição, além de provocar impactos ambientais que afetam negativamente a vida de muitas pessoas. Há necessidade de mudanças na produção e no consumo, e a Educação Ambiental é um instrumento imprescindível nesse processo de construção de sociedades realmente sustentáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laurentino Bernardes Vieira, Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso - SEDUC/MT

Possui graduação em Geografia pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão - FECILCAM - (2006). Especialização em Educação Ambiental pela Universidade Cidade de São Paulo - UNICID - e Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT. Professor Efetivo na Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso - SEDUC/MT - desde 2007.

http://orcid.org/0000-0002-5195-1020

Referências

ÁLVARES, P. VEJA, P. Actitudes ambientales y conductas sostenibles: implicaciones para la educación ambiental. Revista de Psicodidáctica, v. 14, n. 2, 2009,

ALVES, J. E. D. População, desenvolvimento e sustentabilidade: perspectivas para a CIPD pós-2014. Revista Brasileira de Estudos de População, v.31, n. 1, 2014.

BECKER, B. K. A geopolítica na virada do milênio: logística e desenvolvimento sustentável. In: CASTRO, I. E; GOMES, P. C. C; CORRÊA, R. L. (Org). Geografia: Conceitos e Temas. 15ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BERNARDES, J. A; FERREIRNA, F. P. M. Sociedade e Natureza. In: CUNHA, S. B; GUERRA, A. J. T (Org). A questão ambiental: diferentes abordagens. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente e saúde. Brasília, 1997.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente – MMA. III Conferência Nacional do Meio Ambiente. Mudanças climáticas: caderno de debate. Brasília – DF, 2008. Disponível em: <https://www.mma.gov.br/publicacoes/clima/category/70-mudancas-do-clima.html>. Acesso em: 03 jun. 2020.

CARSON, R. Primavera Silenciosa. Tradução: Raul de Polillo. 2. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1969.

COMPARATO, F. K. Capitalismo: civilização e poder. Estudos Avançados, v. 25, n. 72, 2011.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLÓGICO – CNPq. Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, 2018. Disponível em: <http://estatico.cnpq.br/portal/premios/2018/pjc/assets/pdf/webaulas/web-04/tratado_jornada_por.pdf >. Acesso em: 02 jun. 2020.

CORDANI, U. G; TAIOLI, F. A Terra, a humanidade e o desenvolvimento sustentável. In: TEIXEIRA, W. et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008.

CRESPO, S. Consumo sustentável. In: FERRARO JUNIOR, L. A. (Org.).: Encontros e Caminhos: Formação de Educadoras(es) Ambientais e Coletivos Educadores – Volume 3. Brasília: MMA/DEA, 2013. 452 p.

FRAGA, E. Pandemia tirou o mundo de rota suicida do sistema econômico tradicional, diz Nobel da Paz. Folha de S.Paulo, São Paulo, 01 de jun. de 2020. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/05/pandemia-tirou-mundo-de-rota-suicida-do-sistema-economico-tradicional-diz-nobel-da-paz.shtml>. Acesso em: 01 jun. 2020.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Por que a doença causada pelo novo vírus recebeu o nome de COVID-19? Disponível em: <https://portal.fiocruz.br/pergunta/por-que-doenca-causada-pelo-novo-virus-recebeu-o-nome-de-covid-19 >. Acesso em: 02 jun. 2020.

GUIMARÃES, M. Sustentabilidade e Educação Ambiental. In: CUNHA, S. B; GUERRA, A. J. T (Org). A questão ambiental: diferentes abordagens. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

LIPOVETSKY, G. A felicidade paradoxal – Ensaio sobre a sociedade do hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

OLIVEIRA, L.; NEIMAN, Z. Educação Ambiental no Âmbito Escolar: Análise do Processo de Elaboração e Aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v.15, n.3, 2020.

TYGEL, D. Economia Solidária. In: FERRARO JUNIOR, L. A. (Org.).: Encontros e Caminhos: Formação de Educadoras(es) Ambientais e Coletivos Educadores – Volume 3. Brasília: MMA/DEA, 2013. 452 p.

UNITED NATIONS POPULATION FUND – UNFPA. Relatório sobre a situação da população mundial 2011. Disponível em: <https://brazil.unfpa.org/sites/default/files/pub-pdf/caderno_populacao6%20%281%29_0.pdf>. Acesso em: 01 jun. 2020.

Downloads

Publicado

30-07-2020

Como Citar

Vieira, L. B. (2020). A Educação Ambiental frente à sociedade de consumo e a necessidade de sustentabilidade. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(4), 95–109. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10799

Edição

Seção

Edição Especial
##plugins.generic.dates.received## 16/06/2020
##plugins.generic.dates.accepted## 26/07/2020
##plugins.generic.dates.published## 30/07/2020

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.