O aproveitamento da energia solar e as relações com a Educação Ambiental em dois estudos de caso no Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.10519

Palavras-chave:

Energia Solar, Educação Ambiental, Sustentabilidade, Desenvolvimento.

Resumo

Este artigo apresenta aspectos do aproveitamento da energia e suas relações com a educação ambiental utilizando a abordagem da percepção socioambiental de moradores de algumas localidades da área urbana de Curitiba, Paraná, Brasil. A pesquisa consiste em uma abordagem quantitativa e qualitativa que buscou compreender o uso de sistemas de aquecimento solar e geração fotovoltaica nos hábitos e costumes da população usuária e possíveis mudanças comportamentais decorrentes da presença dessa nova tecnologia. Os fatores que influenciaram a abordagem: (a) o conhecimento prévio desse complexo habitacional pelo pesquisador; (b) a delimitação espacial do complexo habitacional com um número relativamente alto de aquecedores solares ou painéis fotovoltaicos, o que facilitou a operacionalização da pesquisa; (c) a falta de banco de dados sobre os proprietários de sistemas de aquecimento solar / fotovoltaico. A pesquisa revelou que há um grande déficit, espaço e oportunidade de trabalhar a educação ambiental nesse tipo de população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACHÃO, C.C.L. Análise da Estrutura de Consumo de Energia no Setor Residencial Brasileiro. 2003. Tese (Doutorado em Planejamento Energético) - COPPE/Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2003.

ACKERMAN, T; GÖRAN, A; SÖDER, L. Distributed generation: a definition. Electric Power Systems Research, v. 57, n. 3, 2001. DOI: 10.1016/S0378-7796(01)00101-8.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (ANEEL). Atlas de Energia Elétrica do Brasil. Brasília, 2005.

AGÊNCIA NACIONAL DE PETRÓLEO (ANP). Boletim de Recursos e Reservas de Petróleo e Gás Natural 2016. Brasília, 2017.

ASCERALD, H.. Ambientalização das Lutas Sociais: o caso do movimento por justiça ambiental. São Paulo: Estudos Avançados, 2010.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, LDA, 2009.

BRANCO, S. M. Energia e meio ambiente. São Paulo: Moderna, 2002.

BREHM, M. A. Geração de energia elétrica fotovoltaica distribuída por pequenos consumidores domésticos no Paraná: potencialidades e aspectos sócio-ambientais. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

BRITO M. C.; VALLÊRA, A. Meio século de história fotovoltaico. Lisboa: Departamento de Física e Centro de Física da Matéria Condensada (CFMC), 2006.

COLLE, S. et al. Impacto da energia solar sobre o pico de demanda de energia de chuveiros elétricos de famílias de baixa renda no Brasil. In: XII Congrese Ibérico, 12, 2004, Vigo; Congreso Íbero Americano de Energía Solar, 7, 2004, Vigo. Anais… Vigo: Editora M. Vazquez; J. F. Seara, 2004.

COTTRELL, F. Energy and Society: The Relation Between Energy, Social Change, and Economic Development. New York: McGraw Hill, 1955.

DEMO, Pedro. Metodologia científica em Ciências Sociais. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1995.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE AQUECIMENTO SOLAR (DASOL/ABRAVA). Relatório de Pesquisa Produção de Coletores Solares para Aquecimento de Água e Reservatórios Térmicos no Brasil – Ano de 2015. São Paulo: DASOL/ABRAVA, 2016.

DORON, R.; PAROT, F. Dicionário de Psicologia. Lisboa: Climepsi Editores, 2001.

DUFFIE, J. A.; BECKMAN, W. A. Solar engineering of thermal processes. 4. ed. New York: John Wiley & Sons, Inc., 2013.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (EPE). Balanço Energético Nacional 2016: Ano base 2015, Rio de Janeiro: EPE. 2016.

ENVIRONMENTAL POLICY INTEGRATION IN EUROPE (EEA). State of play and an evaluation framework. Copenhagen: [s.n.], 2005. Disponível em: <http://www.eea.europa.eu/publications/technical_report_2005_2>.

FAGGIONATO, S. Percepção ambiental. Material e textos. 2011. Disponível em: <http://educar.sc.usp.br>. Acesso em: 09 jan. 2018.

FANTINELLI, J. T. Análise da evolução de ações na difusão do aquecimento solar de água para habitações populares Estudo de caso em Contagem – MG. Tese (Doutorado em Engenharia Mecânica) - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 2006.

FOLADORI, G. O Capitalismo e a crise ambiental. Revista Raízes, v. 18, n. 19, maio 1999.

FRAIDENRAICH, N. Tecnologia solar no Brasil. Os próximos 20 anos. Disponível em: <http://www.feagri.unicamp.br/energia/energia2002/jdownloads/pdf/papers/paper_Fraidenraich.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2017.

FURTADO, C. Em busca de novo modelo. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

KNECHTEL, M. R.; FLORIANI, D. Educação ambiental: epistemologia e metodologias. Curitiba: Gráfica Vicentina, 2003.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidad, racionalidad, complejidad, poder. México: Siglo XXI Editores/PNUMA, 1998.

LEFF, E. A complexidade ambiental. São Paulo: Cortez Ed., 2003.

MORIN, E. Introducción al pensamiento complejo. 3. ed. Barcelona: Gedisa, 1997.

NASPOLINI, H. F.; MILITÃO, H. S. G.; RÜTER, R. The role and benefits of solar water heating in the energy demands of low-income dwellings in Brazil. Energy Conversion and Management. V. 51, n. 12, dez. 2010.

O’CONNOR, J. ¿Es posible el Capitalismo sostenible? In: ALIMONDA, H. (Org.). Ecología política, naturaleza, sociedad y utopía. Buenos Aires: CLACSO, 2002.

OKAMOTO, J. Percepção ambiental e comportamento. São Paulo: Plêiade, 1996.

PEREIRA, E.B et al. Atlas brasileiro de energia solar. Swera, São José dos Campos, 2006.

PEREIRA, E. B. et al. Atlas brasileiro de energia solar., São José dos Campos: INPE, 2017.

PEREIRA, E. M. D. et al. Energia Solar Térmica. In: TOLMASQUIM, M. T. (Org). Fontes renováveis de energia no Brasil. Rio de Janeiro: Interciência, 2003.

ROKEMBACH. H. L. Aspectos sociais relacionados à difusão de sistemas fotovoltaicos conectados à rede em residências na cidade de Curitiba. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

ROBBINS, S. Comportamiento organizacional, México: Prentice-Hall, 1999.

RÜTHER, R. Edifícios solares fotovoltaicos: o potencial da geração solar fotovoltaica integrada a edificações urbanas e interligada á rede elétrica pública no Brasil. Florianópolis: LABSOLAR, 2004.

WACHSMANN, Ulrike. Mudanças no consumo de energia e nas emissões associadas de CO2 no Brasil entre 1970 e 1996: Uma análise de decomposição estrutural. 2005. Dissertação (Doutorado em Planejamento Energético). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

WHITE, L. A. The Evolution of Culture. New York :McGraw Hill, 1959.

WILD, M. et al. A New Diagram of the Global Energy Balance. , New York: American Institute of Physics, 2013.

YIN, R. K. Case study research: design and methods. New York: Sage Publications, 1990.

Downloads

Publicado

2021-03-10

Como Citar

Colatusso, R., Araújo, C., Gobbi, E. F., & Andreoli, F. (2021). O aproveitamento da energia solar e as relações com a Educação Ambiental em dois estudos de caso no Paraná. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(2), 293–315. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.10519

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2020-04-13
Aceito em 2021-02-17
Publicado em 2021-03-10