Educação, mérito e raça

Trajetórias de docentes negros no ensino superior brasileiro

  • ARILDA ARBOLEYA Universidade Federal do Paraná

Resumo

Um ligeiro olhar para as universidades públicas brasileiras revela que, a despeito da maioria da população nacional ser negra, este ainda é um espaço branco. Tal fato, proveniente de nossa histórica engenharia social, coloca em pauta as barreiras estruturais e simbólicas que se interpõem na trajetória educacional dos negros, anotando suas oportunidades de acesso à educação de qualidade, as condições de ascensão nela geradas e as representações sociais que a envolvem. Nesse sentido, tomando a educação como um expoente das tensões raciais e de seus desdobramentos em termos de escalonamento social, propõe-se analisar aqui, em interconexão com a teoria social acerca da relação educação-raça-mobilidade, as trajetórias de docentes negros do ensino superior público brasileiro, buscando refletir acerca das estratégias mobilizadas por estes atores no curso dessa ascensão social e intelectual e dos significados que elaboram para o mérito alcançado. Emprega-se, neste esforço, estratégias metodológicas de história oral.

Biografia do Autor

ARILDA ARBOLEYA, Universidade Federal do Paraná

Dra. em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná

Profª. do Departamento de Teoria e Fundamentos da Educação

Universidade Federal do Paraná

Publicado
2019-05-31
Como Citar
ARBOLEYA, A. (2019). Educação, mérito e raça. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 7(1), 95-113. https://doi.org/10.34024/olhares.2019.v7.854
Seção
Dossiê Temático