Religiosidades afro-brasileiras, relações étnico-raciais e natureza em produções artísticas

Autores

  • Tiago Amaral Sales Universidade Federal de Uberlândia
  • Daniela Franco Carvalho Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2019.v7.835

Palavras-chave:

Arte, Relações Etnicoraciais, Natureza

Resumo

Este trabalho consiste em reflexões acerca da arte e das diversas formas que pode nos afetar, perpassando as relações etnicoraciais, religiosidades afro-brasileiras e a natureza. Três exem- plos são trazidos, proporcionando reflexões: as esculturas dos Orixás no Dique de Tororó, em Salvador, BA; grafites localizados no Beco do Batman, em São Paulo, SP; e as histórias em quadrinhos Contos dos Orixás. As reflexões são construídas a partir das possibilidades de afe- tamentos, pensando em conexões entre arte e relações etnicoraciais, natureza e religiosidades de matrizes africanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Amaral Sales, Universidade Federal de Uberlândia

Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas, atualmente é mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia.

Daniela Franco Carvalho, Universidade Federal de Uberlândia

Professora Doutora no Instituto de Biologia e no Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia

Referências

CANUTO, Hugo. Hugo Canuto. Disponível em: <https://hugocanuto.com/>. Acesso em: 22 jan.

CAPUTO, Stela Guedes. Educação nos terreiros: e como a escola se relaciona com crianças de candomblé. Rio de Janeiro: Faperj, 2012.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol. I. São Paulo, Ed. 34. 1995.

DOURADO, Cláudia Marques. Orixás do Dique de Tororó: Simbologia e problemática cultural da população afrodescendente baiana. 2009. 156 f. Dissertação (Mestrado) – PÓS-AFRO, UFBA, Salvador, 2009.

OLIVEIRA, Thiago Ranniery Moreira de; PARAÍSO, Marlucy Alves. Mapas, dança, desenhos: a cartografia como método de pesquisa em educação. Pro-Posições, Campinas, v. 23, n. 3, p. 159-178, set./dez. 2012.

POTUGUEZ, Antônio Pereira. Espaço e Cultura na Religiosidade Afro-brasileira. Ituiutaba: Barla- vento, 2015, 139 p.

ROLNIK, Suly. Pensamento, corpo e devir: uma perspectiva ético/estético/política no trabalho acadêmico. Cadernos de subjetividade, São Paulo, v1, n. 2, p. 241-251, 1993.

SANTOS, Boaventura de Sousa. PARA ALÉM DO PENSAMENTO ABISSAL: Das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Estudos, p.71-74, nv. 2007.

SANTOS, Erisvaldo Pereira dos. Formação de professores e religiões de matrizes africanas: um diálogo necessário. 2. ed. Belo Horizonte: Nandyala, 2015. 187 p.

VERGER, Pierre Fatumbi. ORIXÁS: Deuses Iorubás na África e no Novo Mundo. Salvador: Funda- ção Pierre Verger, 2018. 308 p.

Downloads

Publicado

2019-11-25

Como Citar

Sales, T. A., & Carvalho, D. F. (2019). Religiosidades afro-brasileiras, relações étnico-raciais e natureza em produções artísticas. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 7(2), 33–46. https://doi.org/10.34024/olhares.2019.v7.835