Os Educadores de creche e a violência sexual

Relação transferencial e sofrimento psíquico

  • Cristiano Rodineli Almeida

Resumo

Neste artigo discutimos questões suscitadas a partir de uma pesquisa de mestrado que se propôs a investigar o mal-estar existente entre os educadores de creche em decorrência da percepção de indícios de violência sexual entre seus alunos. Entrevistamos cinco educadores, buscando compreender como pensam e subjetivam as experiências ligadas à violência sexual perpetrada contra as crianças que frequentam a creche e como lidam com o aspecto formal da denúncia. Algo de um mal-estar emergiu nos discursos dos educadores ligado a interdição da fala sobre o fenômeno da violência sexual, encontrando somente o sussurro como possibilidade de articulação pela linguagem.

Biografia do Autor

Cristiano Rodineli Almeida

Psicólogo clínico, mestre em Educação e Saúde na Infância e na Adolescência pela Universidade Federal de São Paulo, especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e em Políticas Públicas e Socioeducação pela Universidade de Brasília/Escola Nacional de Socioeducação. Atua como psicoterapeuta na Fundação CASA/SP atendendo adolescentes privados de liberdade.

Publicado
2019-05-31
Como Citar
Almeida, C. R. (2019). Os Educadores de creche e a violência sexual. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 7(1), 157-173. https://doi.org/10.34024/olhares.2019.v7.777
Seção
Artigos de fluxo contínuo