INCLUSÃO ESCOLAR E BARREIRAS ATITUDINAIS: UM DIÁLOGO SOB A PERSPECTIVA DA SOCIOLOGIA DE PIERRE BOURDIEU

Autores

  • Ernani Nunes Ribeiro Universidade Federal de Pernambuco
  • José Luiz Simões
  • Fábio da Silva Paiva

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2017.v5.669

Resumo

Este artigo objetiva refletir sobre a teoria da inclusão educacional na perspectiva das barreiras atitudinais vivenciadas no espaço escolar. Mais especificamente, com base na leitura de Pierre Bourdieu, se discutirá o modo como referências negativas impactam o direito do acesso aos espaços escolares por pessoas com deficiência. Para tanto, com base numa análise crítica documental, propõe-se uma nova percepção sobre os aspectos sociais que promovem barreiras atitudinais e excluem pessoas cujo perfil difere do padrão populacional. Em outras palavras, o modo como a inaptidão em adequar-se a um corpo discente distante do padrão por parte das instituições educacionais faz com que os jovens com deficiências terminem tidos como inaptos para a educação formal.

PALAVRAS-CHAVE: educação inclusiva, barreiras atitudinais, pessoas com deficiência.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernani Nunes Ribeiro, Universidade Federal de Pernambuco

Professor do Núcleo de Ciências Biológicas do Centro Acadêmico de Vitória da Universidade Federal de Pernambuco (CAV/UFPE). Possui experiência em Educação na área da educação inclusiva; ensino de Libras; tradução e interpretação de Libras e áudio-descrição; ética; inclusão social e diversidade humana; tradução Inter semiótica; filosofia da educação. Áreas de interesse: na temática da inclusão social e diversidade humana; semântica do discurso imagético na áudio-descrição e teorias da tradução da língua brasileira de sinais na educação.

Downloads

Publicado

2017-11-27

Como Citar

Ribeiro, E. N., Simões, J. L., & Paiva, F. da S. (2017). INCLUSÃO ESCOLAR E BARREIRAS ATITUDINAIS: UM DIÁLOGO SOB A PERSPECTIVA DA SOCIOLOGIA DE PIERRE BOURDIEU. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 5(2), 210–226. https://doi.org/10.34024/olhares.2017.v5.669