A DESCONSTRUÇÃO DE UM ATENDIMENTO INTEGRAL E INTEGRADO ÀS CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS NA CIDADE DE SÃO PAULO.

Autores

  • Célia Batista Serrão Universidade Presbiteriana Mackenzie

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2017.v5.653

Resumo

Este artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa, que versa sobre o processo de integração da educação infantil ao sistema municipal de educação de São Paulo. Teve por objetivo investigar as ações do poder público paulistano, no contexto da configuração da educação infantil como primeira etapa da Educação Básica, no período de 2001 a 2004. Ao considerar a trajetória histórica das creches paulistanas e das Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEI) e as tensões e embates que delimitaram a educação infantil, evidenciou-se que o processo de integração focou a transferência das creches, concentrando, administrativamente, o atendimento às crianças de 0 a 6 anos na Secretaria da Educação. No entanto não foi capaz de integrar creches e pré-escolas; ao contrário, estruturou uma política educacional cindida, diferenciada e diferenciadora, na qual foram desconsideradas as crianças como grupo social e a infância como categoria estrutural da sociedade.

PALAVRAS-CHAVE: creche, pré-escola, educação infantil.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Célia Batista Serrão, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professora do curso de Pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Pesquisadora na área de Educação Infantil - Políticas Públicas

Downloads

Publicado

2017-11-27

Como Citar

Serrão, C. B. (2017). A DESCONSTRUÇÃO DE UM ATENDIMENTO INTEGRAL E INTEGRADO ÀS CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS NA CIDADE DE SÃO PAULO. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 5(2), 152–169. https://doi.org/10.34024/olhares.2017.v5.653