Uma leitura sobre bullying e preconceito a partir do Simbólico e do Imaginário da Psicanálise

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11571

Palavras-chave:

Bullying, Preconceito, Psicanálise

Resumo

Neste artigo, norteados pela questão sobre qual é lugar que o outro semelhante ocupa, procuramos abordar a participação da dimensão subjetiva presente em duas formas de violência: o bullying e o preconceito. Apresentamos leituras de falas de autores e vítimas de bullying e de autores de atitudes preconceituosas, alicerçadas nas ideias psicanalíticas do Simbólico e do Imaginário[i] como contribuição para o entendimento da dimensão inconsciente que sustenta a relação com o diferente. Acreditamos que cada uma das duas formas violentas de lidar com a diferença ‒ o bullying e o preconceito ‒ tenham aspectos próprios e bastante distintos. Foi possível constatar que os registros Simbólico e Imaginário, descritos pela psicanálise, podem ajudar na compreensão de tais fenômenos, uma vez que oferecem referências para pensar os modos de enxergar o outro, as diferenças, e aquilo que causa algum incômodo. Mais especificamente que o Imaginário serve como base para pensarmos sobre o bullying enquanto o Simbólico pode nos ajudar na compreensão sobre ações preconceituosas. Nossa contribuição foi no sentido de trazer elementos, especialmente aqueles que são inconscientes, que permitem repensar aspectos envolvidos nas formas de violência investigadas, a partir de uma interpretação que toma como base a psicanálise lacaniana.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda de Sousa e Castro Noya Pinto, Universidade de São Paulo

Psicanalista, Doutorado e Pós doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo. É parecerista (desde 2009) da revista Psicologia USP, periódico oficial do Instituto de Psicologia da USP e da Revista Estilos da Clinica (USP). Membro da equipe de pesquisa sobre Violência escolar: discriminação, bullying e responsabilidade - financiada pelo CNPq (processo nº. 442702/2016-7). Coordenadora dessa pesquisa no Instituto Singularidades. Colaboradora do CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade na Universidade do Minho - Portugal. Tem como referência teórica a Psicanálise e Educação, a partir da qual analisa principalmente os temas diagnósticos psicológicos, posição subjetiva e diversidade.

Referências

ARENDT, Hannah. A crise na educação. In: Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2007.

CHEMAMA, Roland (Org). Dicionário de Psicanálise Larousse. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

COSTA, Jurandir Freire. Violência e Psicanálise. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

CROCHICK, José Leon. Formas de violência escolar. Preconceito e bullying. Revista Movimento. ISSN 2359-3296. Ano 2, número 3, pp. 29-56, 2015.

FREUD, Sigmund. A dissolução do complexo de Édipo (1924). In Obras completas, volume 16: O eu e o id, "autobiografia" e outros textos (1923-1925). São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

FREUD, Sigmund. Introdução ao Narcisismo (1914). In Obras completas, volume 12: Introdução ao Narcisismo, ensaio de metapsicologia e outros textos (1914-1916). São Paulo: Companhia das letras, 2010.

FREUD, Sigmund. Três ensaios sobre a teoria da sexualidade (1905). In Edição Standard Brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. vol. VII. pp. 119-217 Rio de Janeiro: Imago, 1988.

LACAN, Jacques. O Estádio do Espelho como formador da função do eu (1949). In: Escritos, Zahar, RJ, 1998.

LACAN, Jacques. O Seminário. Livro 3: As psicoses (1955-1956). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985)

LACAN, Jacques. O Seminário. Livro 4: A relação do objeto (1956-57). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

LACAN, Jacques. O Seminário. Livro 5: As formações do inconsciente (1957-58). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

LACAN, Jacques. O Simbólico, o Imaginário e o Real (1953). In: Nomes do Pai. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

MARIN, Isabel da Silva Kahn. Sujeito, desamparo e violência. Rev. latinoam. psicopatol. fundam., São Paulo, v. 2, n. 3, p. 75-88, Set. 1999. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-47141999000300075&lng=en&nrm=iso. Acesso em 11 Dez. 2020.

PINTO, Fernanda S.C.N. Bullying e preconceito: obras do Imaginário? Relatório final de pós-doutoramento, IP-USP, 2019.

VILHENA, Junia de; MAIA, Maria Vitória. Agressividade e violência: reflexões acerca do comportamento anti-social e sua inscrição na cultura contemporânea. Rev. Mal-Estar Subj., Fortaleza, v. 2, n. 2, p. 27-58, set. 2002. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482002000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 11 dez. 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-21

Como Citar

de Sousa e Castro Noya Pinto, F. (2021). Uma leitura sobre bullying e preconceito a partir do Simbólico e do Imaginário da Psicanálise. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(1), 56–69. https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11571