O estágio como possibilidade de pesquisa na licenciatura em Pedagogia e a teoria dos campos conceituais de Gérard Vergnaud

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11325

Palavras-chave:

Estágio, Formação de Professores, Teoria dos Campos Conceituais

Resumo

Busca-se, no presente artigo, compartilhar encaminhamentos e resultados de uma investigação que descreve/analisa o estágio obrigatório como possibilidade de pesquisa, a partir da experiência da primeira autora no contexto da licenciatura em Pedagogia, na Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. A produção dos dados em questão teve como mote reflexões decorrentes de uma intervenção, sob a abordagem qualitativa em educação, no 3º ano do Ensino Fundamental em que a Teoria dos Campos Conceituais de Gérard Vergnaud foi o referencial teórico-metodológico para o trabalho com a resolução de problemas em uma escola pública estadual. Dada a realidade vivenciada, foi possível concluir que as vivências do estágio desempenham papel fundamental para a formação de professores, uma vez que estas oportunizaram, no caso pesquisado, processos de ressignificação do conhecimento "de" e "sobre" a Educação Matemática, bem como para conhecer a realidade do trabalho na escola e para percursos de identidade profissional de uma futura professora que ensinará Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica de Godoi Baima, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP.

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, Linha de Pesquisa "Educação em Ciências e Matemática". Licenciada em Pedagogia (UFSCar); Integrante do "MANCALA – Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática, Cultura e Formação Docente" (CNPq/UFSCar).

Klinger Teodoro Ciríaco, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP.

Professor Adjunto do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas (DTPP/UFSCar). Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e do Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação, ambos da UFSCar. Líder do "MANCALA – Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática, Cultura e Formação Docente" (CNPq/UFSCar).

Referências

AGUIAR, Kátia Faria; ROCHA, Marisa Lopes. Práticas Universitárias e a Formação Sócio-política. Anuário do Laboratório de Subjetividade e Política, nº 3/4,1997, p. 87-102.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10, jul. 2019.

BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Básica, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro03.pdf. Acesso em: 15, nov. 2019.

BRASIL, Presidência da República. Casa Civil. Subchefia de Assuntos Jurídicos. Decreto nº 6.096, de 24 de Abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais - REUNI. 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6096.htm. Acesso em: 14, jul. 2021.

CARVALHO, Mercedes. Estágio na licenciatura em Matemática: observações nos anos iniciais. Petrópolis: RJ. Editora Vozes. 2012.

CURI, Edda. Formação de professores polivalentes: uma análise de conhecimentos para ensinar Matemática e de crenças que interferem na constituição desses conhecimentos. 2004. 278f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP, São Paulo-SP. 2004. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/MATEMATICA/Tese_curi.pdf. Acesso em: 13, abr. 2020.

DINIZ-PEREIRA, Júlio. Formação de professores, trabalho docente e suas repercussões na sala de aula. Educação & Linguagem. ANO 10. Nº 15. 82-98, JAN.-JUN. 2007. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/article/view/158/168. Acesso em: 14, jul. 2021.

DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. [Tradução e organização: Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro]. Campinas-SP: Mercado de Letras, 2004.

FÁVERO, Maria Helena. A pesquisa de intervenção na psicologia da educação matemática. Educar em Revista. Curitiba. Editora UFPR. n. Especial 1/2011, p. 47-62, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/nse1/04.pdf. Acesso em: 28, set. 2020.

FAXINA, Josiane. Resolução de problemas e o ensino dos conceitos aritméticos: percepção dos professores dos anos iniciais do ensino fundamental. 2017. 167f. Dissertação (Mestrado Profissional em Docência para a Educação Básica) – Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". Bauru-SP, 2017. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/150345. Acesso em: 13, out. 2019.

FIORENTINI, Dario; NACARATO, Adair Mendes; FERREIRA, Ana Cristina; LOPES, Celi Spasandin; FREITAS, Maria Teresa Menezes; MISKULIN, Rosana Giaretta Sguerra. Formação de professores que ensinam matemática: um balanço de 25 anos de pesquisa brasileira. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 36, p.137-159, 2002. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/edur/n36/n36a09.pdf. Acesso em: 28, set. 2020.

GATTI, Bernardete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá. (Coord.) Professores do Brasil: impasses e desafios. Relatório de Pesquisa. Fundação Carlos Chagas. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em: https://www.fcc.org.br/fcc/wp-content/uploads/2019/04/Professores-do-Brasil-impasses-e-desafios.pdf. Acesso em: 15, jun. 2020.

GOMES, Marineide de Oliveira; PIMENTA, Selma Garrido. Unidade teoria e prática e estágios supervisionados na formação de professores polivalentes: indícios de inovação em cursos de pedagogia no estado de São Paulo. In: Cursos de pedagogia: inovações na formação de professores polivalentes [S.l: s.n.], 2019.

GONÇALVES, Carlos Luiz; PIMENTA, Selma Garrido. Revendo o ensino de 2o Grau: propondo a formação do professor. São Paulo: Cortez, 1990.

JENSKE, Grazielle. A Teoria de Gérard Vergnaud como aporte para a superação da defasagem de aprendizagem de conteúdos básicos da Matemática: um estudo de caso. 2011, 86f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Faculdade de Física da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUC-RS, Porto Alegre, 2011.

LÜDKE, Marli; ANDRÉ, Menga. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U, 1995.

MAGINA, Sandra. Teoria dos Campos Conceituais: contribuições da Psicologia para a prática docente. In: Anais do XVIII Encontro Regional de Professores de Matemática. São Paulo: UNICAMP. Disponível em: http://www.ime.unicamp.br/erpm2005/anais/conf/conf_01.pdf. Acesso em: 1, maio 2020.

MELLO, Simone Portella Teixeira de; LINDNER, Luciana Martins Teixeira. A contribuição dos estágios na formação docente: observações de alunos e professores. In: Anais do IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul – ANPED SUL. Caxias do Sul: RS. 29 de Julho a 1º de Agosto, 2012. p.1-10. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/362/978. Acesso em: 3, ago. 2020.

MENDONÇA, Tânia Maria; PINTO, Sandra Maria; CAZORLA, Irene Mauricio; RIBEIRO, Eurivalda. As estruturas aditivas nas séries iniciais do ensino fundamental: um estudo diagnóstico em contextos diferentes. Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa. 2007. 10(2): 219-239. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/relime/v10n2/v10n2a3.pdf. Acesso em: 15, jul. 2020

MENGALI, Brenda Leme da Silva. A cultura da sala de aula numa perspectiva de resolução de problemas: o desafio de ensinar matemática numa sala multisseriada. 2011. 218f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade São Francisco – USF, Itatiba-SP, 2011. Disponível em: https://www.usf.edu.br/galeria/getImage/385/432205416021476.pdf. Acesso em: 15, set. 2019.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio supervisionados e o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência: duas faces da mesma moeda? Revista Brasileira de Educação, v. 24, e240001, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v24/1809-449X-rbedu-24-e240001.pdf. Acesso em: 09 out. 2020.

PIMENTA, Selva Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência: diferentes concepções. Poíesis Pedagógica, 3(3 e 4), 5-24. 2006. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/10542>. Acesso em: 08 out. 2020.

POLYA, George. Como resolver problemas (Tradução do original inglês de 1945). Lisboa: Gradiva. 2003.

POLYA, George. Sobre a resolução de problemas de matemática na high school. In: KRULIK, S, REYS, R. E. A resolução de problemas na matemática escolar. Trad. de Domingues, H. H., Corbo, O. São Paulo: Atual, 1997.

ROCHA, Marisa Lopes; AGUIAR, Katia Faria de. Pesquisa intervenção e a produção de novas análises. Psicologia: Ciência e Profissão, v.23, n. 4, 64-73. Brasília: CFP. 2003. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pcp/v23n4/v23n4a10.pdf. Acesso em: 28, set. 2020.

STANCANELLI, Renata. Conhecendo diferentes tipos de problemas. In: SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ, Maria Ignez. (Org.). Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001. p.103-120.

VERGNAUD, Gérard. A criança, a Matemática e a realidade: problemas do ensino da Matemática na escola elementar. Tradução: Maria Lucia Faria Moro. ed. revisada. Curitiba: Ed. UFPR, 2014.

________. La théorie des champs conceptuels. Recherches en Didactique des Mathématiques, Grenoble, v. 10, n. 23, p. 133-170, 1990. Disponível em: https://hal.archives-ouvertes.fr/cel-01528253/document. Acesso em: 15, ago. 2020.

________. Psicologia cognitiva e do desenvolvimento e pesquisas em educação matemática: algumas questões teóricas e metodológicas. Trad. de Weiss, J. Apresentação concedida para o grupo Canadense de Estudos em Educação Matemática na Queen’se University, Kingston, jun.1982.

________. Teoria dos campos conceituais. In: Anais do 1º Seminário Internacional de Educação Matemática. Rio de Janeiro. 1993. p.1-26. Disponível em: http://odin.mat.ufrgs.br/usuarios/paula/Teoria_do_Campo_Conceitual_G.Vergnaud.pdf. Acesso em: 15, abr. 2020

Downloads

Publicado

2021-07-25

Como Citar

Baima, J. de G., & Ciríaco, K. T. (2021). O estágio como possibilidade de pesquisa na licenciatura em Pedagogia e a teoria dos campos conceituais de Gérard Vergnaud. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(2), 53–79. https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11325